Destaques do Sporting: Paulinho perfumou com cheirinho a campeão
Paulinho com futuro ainda indefinido nos leões (Foto IMAGO)

Sporting-Portimonense, 3-0 Destaques do Sporting: Paulinho perfumou com cheirinho a campeão

NACIONAL04.05.202421:06

Ponta de lança marcou e assistiu, acertou no poste, esteve sempre ligado à corrente; Gonçalo Inácio, que luxo de central construtor; Nuno Santos merece prémio de generosidade

O melhor em campo: Paulinho (8)

A titularidade fica-lhe bem e, agora, ao lado de Gyokeres. Nada intimidado pela presença do sueco, desatou a jogar e rapidamente justificou a aposta de Rúben Amorim, com golo de qualidade ao minuto 13, disparando com eficácia no coração da grande área. Não satisfeito, acertou no poste ao minuto 36, em cima do intervalo foi Nakamura a negar-lhe o 2-0. O mesmo duelo repetido ao minuto 60, com nova vantagem para o Japão. Aos 70’, mudou, todavia, de funções, trabalhou como um extremo na esquerda, fugiu para a área e ofereceu o 2-0 a Trincão. O ponta de lança teoricamente suplente usou perfume de campeão e chegou à vitória número 100 de leão ao peito.

Franco Israel (5) - O jogo mais fácil com a camisola do Sporting. Terá, eventualmente, realizado treinos mais trabalhosos. Ao minuto 75 foi visto a encaixar bola fácil junto à relva, fica a dúvida se chegou a sujar os calções.

Diomande (6) - Deu nas vistas ao minuto 38, cabeçada a ameaçadora para a baliza de Nakamura. De resto, em termos defensivos, o seu jogo foi praticamente um passeio do parque.

Coates (6) - Quase celebrou ao minuto 17, com cabeçada perigosa na área algarvia, mas errou por pouco. Quanto à missão propriamente dita de comandar a linha defensiva sportinguista, difícil terá sido encontrar quem marcar, tal a ausência de adversários.

Gonçalo Inácio (8) - Um luxo. Poder contar com um central que constrói tão bem quanto destrói... Ofensivamente, foi dos melhores da equipa, começando a sobressair logo ao minuto 12, com remate de cabeça ameaçador. Um minuto depois, belo passe longo a isolar Nuno Santos na esquerda, dando origem à jogada do 1-0. Também colocou Nakamura na sua lista negra, quando, em cima do intervalo, viu o guarda-redes negar-lhe incrivelmente o golo. Voltaria, pois, à fórmula inicial para chegar à baliza algarvia, servindo com classe, bem lá de trás, Daniel Bragança, no início do lance do 3-0. As tarefas defensivas foram, de forma geral, fáceis.

Esgaio (6) - Belo cruzamento para Gyokeres ao minuto 4, no melhor momento ofensivo na partida. Muita serenidade na forma como foi lendo o jogo, não se deslumbrando com as facilidades que os algarvios concederam na primeira parte, contribuindo com a ocupação de espaço e conquista de segundas bolas para o carrossel leonino no meio campo ofensivo. Ao minuto 61 arriscou, com abordagem física a um lance com Gonçalo Costa e viu justamente o amarelo, impedindo ao mesmo tempo o atacante de fugir em direção à área leonina, quando já tinha inclusivamente evitado Pedro Gonçalves. Saiu a seguir.

Hjulmand (6) - Muitas bolas ganhas, uma ou outra perdida, o jogo não exigiu muito dele, também não ofereceu demasiado. Esteve à altura das necessidades.

Pedro Gonçalves (7) - Minuto 3, livre lateral a obrigar Nakamura a trabalhar, minuto 21, boa desmarcação e finalização, com Nakamura a impedir o golo, minuto 54’, trabalho individual ainda longe da baliza e disparo em jeito, bola agora mais acessível para o guarda-redes japonês. O desafio do sportinguista não foi só baliza, ocupou posição a meio-campo, um regresso ao passado, jogou e fez jogar.

Nuno Santos (8) - Que fuga, receção e cruzamento no lance do 1-0! Até os cantos de lhe saíam bem. Ao minuto 45, mais um cruzamento de grande qualidade, colocando de primeira a bola na área, direitinha a Paulinho. Gyokeres também não pode queixar-se, ao minuto 81 foi ele o destinatário de mais um passe generoso do esquerdino.

Trincão (7) - Passe impecável para Pedro Gonçalves aos 21’, deixando o companheiro de frente para Nakamura, e bom golo ao minuto 70, disparando com qualidade no interior da área, bem servido por Paulinho. É um castigo para o adversário tirar-lhe a bola.

Gyokeres (7) - Perdeu, ao minuto 4, o primeiro duelo com Nakamura, aos 25’ foi Seck a evitar a festa. Aos 66’, serviu bem Paulinho, aos 81’ perdeu mais um duelo com Nakamura, mas ao minuto 90+2 ganhou, finalmente, o dia, empurrando a bola para o fundo da baliza, em esforço, aguentando carga do marcador. Parece menos disponível fisicamente, mas vai à luta.

Daniel Bragança (6) - Entrou aos 68’. Belo trabalho no 3-0, desmarcando-se, recebendo e evitando com classe Nakamura, antes de ver Gyokeres marcar.

Geny Catamo (5) - Entrou aos 68’, mantendo o flanco vivo.

Morita (5) - Entrou aos 80’ e ainda deu para aquecer.

Eduardo Quaresma (5) - Entrou aos 80’ e fechou o lado direito da defesa.

Matheus Reis (-) - Entrou aos 89’, sem tempo para grande coisa.