Pinto da Costa: «Procuramos derrotá-los, não rebentá-los»
Pinto da Costa (IMAGO)

Pinto da Costa: «Procuramos derrotá-los, não rebentá-los»

NACIONAL24.05.202411:24

Presidente da SAD do FC Porto fez a antevisão à final da Taça

Com o aproximação da final da Taça, o ainda Presidente da SAD do FC Porto, Pinto da Costa, fez a antevisão ao jogo e deixou uma bicada ao Presidente do Sporting, em declarações à Federação Portuguesa de Futebol: «Procuramos derrotá-los, não rebentá-los, até porque não recorremos a discurso de ódio, que só incendeia o ambiente já tóxico do futebol português.»

Pinto da Costa considerou, ainda, tratar-se de um jogo especial, por todo o ambiente envolvente numa final da Taça de Portugal e por ser o último jogo da temporada: «Todos os jogos que definem os vencedores de troféus são especiais. A final da Taça de Portugal é-o ainda mais, por normalmente fechar a temporada e por constituir um momento importante de comunhão e celebração para muitos adeptos.»

No seu último jogo como Presidente da SAD do FC Porto, Pinto da Costa lembrou o seu historial de conquistas na competição: «Pessoalmente, esta final tem o significado de corresponder ao fim de um ciclo. O primeiro troféu que ajudei a conquistar como diretor do departamento de futebol foi uma Taça de Portugal ganha ao Braga, nas Antas, com um golo do saudoso Fernando Gomes. Já como presidente, vi o FC Porto disputar 22 finais e ganhar 15, a primeira contra o Rio Ave, fez no dia 1 de maio 40 anos. Tenho as melhores memórias desta competição, que me proporcionou e a todos os portistas muito mais alegrias do que tristezas.»

Por fim, mostrou-se confiante na conquista do troféu: « Com todo o respeito pelo Sporting, tenho a expectativa de que o FC Porto vai lutar até ao limite das suas forças para vencer a Taça de Portugal pela terceira época consecutiva. Não há nada que deseje mais do que continuar a ver os portistas felizes.»

Veja o discurso na íntegra:

Todos os jogos que definem os vencedores de troféus são especiais. A final da Taça de Portugal é-o ainda mais, por normalmente fechar a temporada e por constituir um momento importante de comunhão e celebração para muitos adeptos.

Para o FC Porto é um jogo para ganhar, porque este clube alimenta-se de vitórias e de títulos. À custa desse espírito forjado nas últimas décadas temos hoje o melhor palmarés de Portugal, um estatuto que ambicionamos manter e consolidar. Para que isso aconteça encaramos sempre os adversários com respeito, pois sabemos que têm valor e ambições legítimas. Procuramos derrotá-los, não rebentá-los, até porque não recorremos a discurso de ódio, que só incendeia o ambiente já tóxico do futebol português.

Pessoalmente, esta final tem o significado de corresponder ao fim de um ciclo. O primeiro troféu que ajudei a conquistar como diretor do departamento de futebol foi uma Taça de Portugal ganha ao Braga, nas Antas, com um golo do saudoso Fernando Gomes. Já como presidente, vi o FC Porto disputar 22 finais e ganhar 15, a primeira contra o Rio Ave, fez no dia 1 de maio 40 anos. Tenho as melhores memórias desta competição, que me proporcionou e a todos os portistas muito mais alegrias do que tristezas.

Com todo o respeito pelo Sporting, tenho a expectativa de que o FC Porto vai lutar até ao limite das suas forças para vencer a Taça de Portugal pela terceira época consecutiva. Não há nada que deseje mais do que continuar a ver os portistas felizes.