Estoril – Estrela da Amadora: Vizinhos dividem posição e a ambição de finalmente vencer em 2024
Jean Felipe, do Estrela da Amadora, e João Marques, do Estoril, disputam a posse de bola em jogo pela Liga de futebol. Foto: Maciej Rogowski/Imago.

ANTEVISÃO Estoril – Estrela da Amadora: Vizinhos dividem posição e a ambição de finalmente vencer em 2024

NACIONAL04.02.202408:00

Canarinhos e tricolores dividem o 14.º lugar da Liga, em conjunto com o Rio Ave; ambos os conjuntos procuram o primeiro triunfo no ano civil e afastar séries de encontros consecutivos sem vencer

Dificilmente Estoril e Estrela da Amadora poderiam estar mais próximos: canarinhos e tricolores são praticamente vizinhos, tendo as suas sedes separadas por 22 quilómetros de distância, dividem o 14.º lugar da Liga - com a companhia do Rio Ave, desde a noite passada, na qual os vila-condenses conseguiram segurar um nulo no Estádio do Dragão, perante o FC Porto – e ainda não venceram em 2024. O embate entre ambos, pelas 18 horas, poderá, então, dissipar dúvidas e reencaminhar um destes sucessos para o bom caminho.

As duas equipas pretendem destacar-se, mas atravessam momentos de moralização ligeiramente diferentes. O Estoril não vence oficialmente desde, mas pelo meio teve uma meritória participação na final four da Taça da Liga, com duas igualdades frente a Benfica e SC Braga que quase garantiram a conquista de um troféu. Já o Estrela, também defrontou o Benfica muito recentemente, mas acentuou a sua sequência pouco abonatória de resultados, que se prolongou para seis encontros consecutivos sem vencer, todos pela Liga.

O histórico de confrontos dita uma interessante curiosidade: o Estoril não derrota o Estrela da Amadora há mais de 36 anos, mais concretamente desde dezembro de 1987 e numa altura em que as duas equipas do distrito de Lisboa se cruzavam na II Divisão. 

Na altura, o técnico estorilista era Fernando Santos que, anos depois…também treinaria o Estrela e, como é sabido, alcançou o maior título do historial da Seleção Nacional, conquistando o Euro 2016 para Portugal. De resto, o histórico é particularmente desfavorável aos estorilistas, que venceram apenas dois dos 18 jogos oficiais realizados entre os dois conjuntos – em 1987, como acima referido, e seis anos antes, em 1981.

Uma tendência de sucesso para a qual o Estrela voltou a contribuir na primeira volta da Liga, com um emotivo triunfo por 2-1 que se definiu numa reviravolta consumada num longo período de compensação através de um golo de Léo Cordeiro, aos 90+10, na Reboleira, ainda em agosto.

Estoril

Sistema tático: 3x4x3.

Onze provável: Marcelo Carné, Raúl Parra, Volnei Feltes e Bernardo Vital; Wagner Pina, Mateus Fernandes, Vinícius Zanocelo e Tiago Araújo; Rafik Guitane, João Marques e Cassiano.

Castigado: Rodrigo Gomes.

Lesionados: Pedro Álvaro e Erick Cabaco.

Figura: Cassiano

Divide com João Marques (tem mais um jogo realizado) e Alejandro Marqués o estatuto de melhor marcador dos canarinhos na Liga, com cinco golos em 18 partidas realizadas. A sua movimentação é fundamental para o bom funcionamento do ataque estorilista, pois permite aos companheiros de ataque surgir nos espaços vazios e em zonas privilegiadas de finalização, onde é, normalmente, letal a atirar certeiro…ou a condicionar adversários, como o comprovou na recente final four da Taça da Liga, na qual originou e marcou o golo, na transformação de um penálti, que ainda colocou o Estoril em vantagem na final (que o emblema da Linha de Cascais perderia para o SC Braga no desempate).

O que disse Vasco Seabra na antevisão ao desafio. «Desde o início da época que o Estoril Praia começou a ter mais gente no estádio e há uma ligação muito grande entre o plantel e os adeptos. Não conseguimos controlar o resultado, porque isso tem muitos fatores, mas controlamos a nossa atitude e postura, e os adeptos ficam muito orgulhosos de nós».

Estrela da Amadora

Sistema: 3x4x3.

Onze provável: Bruno Brígido, Johnstone Omurwa, Pedro Mendes e Mansur; Hevertton Santos, Pedro Sá, Léo Cordeiro e João Reis; Léo Jabá, André Luiz e Ronaldo Tavares.

Lesionados: António Filipe, Miguel Lopes e Gustavo Henrique.

Castigado: Régis N´Do.

Figura: Léo Cordeiro

É o fiel da balança desta equipa do Estrela, ditando equilíbrios entre os momentos defensivo e ofensivo, e o estatuto de jogador com mais minutos na equipa amadorense na Liga (1473 minutos) prova-o. Altamente disponível e pressionante, pode ser visto em posições adiantadas na procura do resgate da bola e, quando os tricolores a têm em seu poder, apresenta uma chegada junto da baliza adversária particularmente interessante. Que o diga o Estoril, que na partida relativa à 1.ª volta viu escapar um ponto graças a um remate bem colocado que soltou festa rija na Reboleira, na altura com a primeira vitória dos amadorenses desde o regresso ao primeiro escalão…

O que disse Sérgio Vieira na antevisão ao desafio. «Chegámos aqui com 18 pontos, dentro de uma primeira volta normal e positiva, que até poderia ser melhor, mas temos de fazer uma segunda volta dentro daquilo que foi a primeira, para alcançar no mínimo 36 pontos. Acredito que podemos fazer mais. Os ajustes no mercado aportam também uma atitude preventiva dos problemas recentes que tivemos, mas são fatores que não controlamos».