Finanças travam W52-FC Porto

Ciclismo 07-10-2019 08:41
Por Fernando Emílio

A divulgação das equipas Continentais Profissionais para a próxima temporada por parte da UCI, não inclui a W52-FC Porto que juntamente com a Hagens Berman Axeon -onde correm João Almeida e André Carvalho-  descem à categoria Continental. Além da pouca visibilidade conseguida a nível internacional, onde participou na Volta à Turquia, Luxemburgo, Lago Qinghai, Dinamarca,  Tour de Limousin e Poitou-Charentes, a nova legislação obrigava a que os dragões abrissem os cordões à bolsa para não mudarem.


O número de corredores a inscrever será no mínimo de 20 e no máximo de 30, o que obrigaria a que a equipa dos dragões tivesse de correr simultaneamente em duas frentes. Esse facto aumentaria o número de corredores, veículos, mecânicos e massagistas. O orçamento para se manter no escalão superior fixar-se-ia entre os dois milhões e dois milhões e meio de euros, e mesmo assim a equipa portista sabia antecipadamente que nunca estaria presente em qualquer das três grandes voltas, além de que dificilmente seria convidada para as restantes provas do World Tour - restando-lhe assim algumas corridas do calendário ProSeries.


Com a inscrição feita na Federação Portuguesa de Ciclismo em tempo oportuno, a W52-FC Porto ficará em igualdade de circunstâncias com as restantes oito equipas portuguesas - foi abolida a categoria de Continentais sub-25, um dos pontos de partida para a débil situação da formação em Portugal.
 

Ler Mais
Comentários (9)

Últimas Notícias