«Devia estar contente, mas fiquei chateado com os meus jogadores»
Ricardo Costa, treinador do andebol do Sporting (Miguel Nunes/ASF)

«Devia estar contente, mas fiquei chateado com os meus jogadores»

ANDEBOL23.03.202420:47

Ricardo Costa após o Sporting concluir a fase regular do campeonato com o pleno de vitórias

O Sporting venceu o FC Porto no clássico de andebol deste sábado e confirmou uma fase regular perfeita: foram 22 vitórias em igual número de jogos.

A matemática diz, agora, que o título fica mais perto para os leões, que vão levar quatro pontos de vantagem para a segunda fase, disputada em seis jornadas entre os quatro primeiros classificados: FC Porto, Benfica e ABC, além dos leões.

Mas a razão, pelo menos para Ricardo Costa, treinador do Sporting, tem um discurso bem distinto. Até porque o técnico sabe bem o que é ganhar a fase regular invicto e terminar sem títulos.

«É a terceira vez. Se há pessoa que sabe o que é terminar a fase regular só com vitórias, sou eu. Tenho aprendido com isso [perdeu os dois campeonatos dessa forma, ao comando do FC Porto]. Por isso posso dizer que nada está ganho. Nem costumo ir ao balneário falar com os jogadores no final do jogo e hoje fui, precisamente para lhes dizer isso: Nada está ganho, por isso vamos manter os pés assentes na terra. Não vamos jogar com vantagens. Vamos lutar por ganhar cada jogo», declarou, em conferência de imprensa.

 De resto, o treinador leonino admitiu que preferia disputar a prova de forma distinta, que premiasse mais a regularidade.

«Se calhar nem é conversa para ter aqui. Mas não sou adepto deste formato de campeonato. Vale o que vale, é só a minha opinião. Independentemente de ganhar ou perder, para mim um campeonato é uma prova de regularidade», defende.

E reforça: «Não podemos olhar para a vantagem que temos porque do outro lado estão três equipas que nos querem ganhar. E vamos ver o que dita o sorteio. Mas o importante é que a nossa vontade de ser campeões tem de ser maior do que de todos os adversários».

Tendo em mente o que disse antes, não espantou que Ricardo Costa tenha admitido também que… ficou chateado com os seus jogadores. Sim, mesmo após vencer o FC Porto 35-32.

«Entrámos muito fortes nos últimos 10 minutos, por isso fico chateado por não termos controlado a vantagem de outra forma. Devia estar feliz, mas fiquei chateado. A ganhar por cinco, não precisamos de massacrar o FC Porto, devíamos controlar e fazer ataques mais prolongamos porque corremos riscos desnecessários. Talvez por sermos uma equipa muito jovem», explicou.

Por outro lado, o treinador sublinhou o borrego que a sua equipa matou neste sábado.

«Nunca tínhamos conseguido ganhar em nossa casa, desde que chegámos ao clube. E isso também é importante», lembrou, sendo depois questionado sobre o facto de uma vitória caseira sobre os dragões fugir ao clube desde 2019.

«Sim, isso também pesa. Do lado do FC Porto há jogadores com seis ou sete campeonatos ganhos e peso na Seleção. Nós somos com uma equipa de jogadores com 19, 20, 22 anos. Eles estão muito habituados a estes jogos, nós nem tanto. Ganhar estes jogos dá-nos consciência de que estamos a fazer as coisas bem. No passado, muitas vezes jogámos bem e perdemos. Hoje jogámos mal e conseguimos ganhar. Isso quer dizer muita coisa», finalizou.

De referir que ninguém do FC Porto prestou declarações após o final do encontro.