João Cancelo e o Euro-2024: «Temos a obrigação de passar em primeiro na fase de grupos»
João Cancelo é o dono do corredor direito da defesa portuguesa Copyright: xDavidxMartinsx
Foto: IMAGO

ENTREVISTA A BOLA João Cancelo e o Euro-2024: «Temos a obrigação de passar em primeiro na fase de grupos»

INTERNACIONAL24.03.202411:00

Elogia o selecionador Roberto Martínez e lembra que Portugal não é o único favorito no competição; agradecido a Fernando Santos; «João Neves, um míudo especial», diz

Inserido numa das maiores gerações de talentos do futebol nacional, João Cancelo revela que sente a pressão dos portugueses para o Campeonato da Europa no verão, que terá lugar na Alemanha entre 14 de junho e 14 de julho. Alerta para o facto de Portugal não ser o único favorito na competição. Nesta parte da entrevista a A BOLA, o jogador fala sobre a relação que criou com João Neves, médio do Benfica, e explica o porquê de querer terminar a carreira no Barreirrense.

- Está de volta à Seleção, que somou por vitórias os 10 jogos de apuramento para o Europeu. Maior pressão para a prova que decorrerá na Alemanha?

- Sem dúvida alguma, estão a tentar colocar-nos essa pressão, até porque tem de haver pelos jogadores que nós temos, com qualidade técnica e tática, no nosso plantel. Mas também temos de ter em conta a Inglaterra, que tem uma grande seleção, a França igualmente. A Espanha pela forma como joga é sempre complicadíssima para nós. A Alemanha está recheada de talento, a Itália também. Há muitos favoritos e Portugal é um deles, mas vamos passo a passo. Temos obrigação de passar o grupo em primeiro lugar. Somos os favoritos.

- Que trouxe de diferente Roberto Martínez à Seleção?

- Uma dinâmica mais moderna, é um treinador mais próximo de todo o grupo, dos que jogam mais e menos, tenta rodar mais a equipa, o que acaba por ser bom para todos. Mas também desfrutei do mister Fernando Santos. Houve momentos em que não estive no meu melhor a nível psicológico e isso afetou-me bastante em competições como no último Mundial. Sinto esse vazio por não ter podido mostrar-lhe como queria o meu talento e a minha qualidade nessa prova. Foram fatores que não pude controlar, mas é um treinador que é meu amigo, alguém que me liga nas minhas conquistas e também quando estou mal, capaz de mandar-me uma mensagem de força. Eu valorizo-o muito e tudo é feito de ciclos. A FPF e o mister entenderam que o ciclo acabou e veio uma cara nova, que está a fazer um grande trabalho.

Cancelo esteve em Guimarães e recebeu carinho especial dos colegas. Foto Diogo Pinto/FPF

- Neste ciclo que engloba uma nova geração, há um nome que sobressai que é do João Neves. Como encara a entrada dele neste espaço da Seleção?

- É um miúdo muito especial. Eu não o conhecia e desde o primeiro dia tivemos uma relação muito próxima. É alguém genuíno, transparente, como não se vê no futebol, pois neste meio existe muita coisa que é por interesse. Ele é atrevido, mas no bom sentido da palavra e gosto muito disso. A idade não define o que tu és como jogador e se fores realmente bom vais mostrá-lo. Ele conquistou todo o balneário, não há ninguém que não goste dele. Adaptou-se totalmente à equipa, com grandes nomes como Cristiano Ronaldo, Pepe, Bruno, Bernardo, Rui Patrício. Sempre mostrou respeito aos mais velhos, com aquela pontinha de atrevimento. Tenho a certeza de que será dos melhores médios dos próximos anos.

- Porquê o desejo de terminar a carreira no Barreirense?

- É a equipa que me formou, estão a passar algumas dificuldades a nível financeiro e quero fazer lá o meu último ano de carreira só a desfrutar.

João Neves conquistou todo o balneário, não há ninguém que não goste dele

- A lateral-direito ou a número 10?

- Se pudesse, queria ser extremo ou jogar a 10, embora a extremo penso que já não terei aquela irreverência que tenho agora. Sou muito competitivo e vamos ver daqui para a frente. Até agora, tive poucas lesões e tenho participado em quase todos os jogos e é assim que quero continuar sempre a trabalhar no duro.

- Para finalizar, quem é o João Cancelo como pessoa?

- A minha melhor qualidade é a minha transparência. Ainda que para algumas pessoas isso possa parecer arrogância, não é. Sempre fui habituado a dizer as coisas na cara das pessoas e só assim se chega a um bom senso. Também gosto que me digam as coisas, que me critiquem quando faço mal porque a vida é isto.

João Cancelo, Barcelona, IMAGO