Duarte Gomes analisa arbitragem do SC Braga-Union Berlim
Clement Turpin (Foto: Matthias Koch/IMAGO)

Duarte Gomes analisa arbitragem do SC Braga-Union Berlim

INTERNACIONAL30.11.202300:00

Especialista A BOLA fala de «um erro em lance subjetivo»

Clément Turpin, um dos mais conceituados árbitros europeus da atualidade, deslocou-se à Pedreira para dirigir o SC Braga-Union Berlim. 

O internacional francês recebeu a colaboração, à distância, do compatriota Willy Delajod, que exerceu a função de vídeo árbitro. 

Turpin é internacional desde 2010. No seu cartão de visita mais recente está apenas uma Final da Liga Europa (em 2020/21) e outra da Liga dos Campeões (na época seguinte). 

Currículo impressionante, o do árbitro gaulês.

Segue resumo dos lances tecnicamente mais importantes do encontro: 

2' Knoche, apesar de tocar na bola, protagonizou entrada negligente sobre Ricardo Horta. O defesa alemão pisou o pé do adversário, lesionando-o momentaneamente. Viu bem o primeiro cartão amarelo da partida. 

20' Khedira tentou tocar na bola, mas acabou por derrubar Banza, que disputou o lance com ele. O árbitro entendeu ter havido apenas um choque entre ambos, mas o capitão do Union fez mesmo falta sobre o seunadversário. 

24' Falta bem assinalada a Álvaro Djaló, que saltou à bola com Laidouni, mas atingindo-o de forma imprudente com o braço direito na cabeça.

29' Clement Turpin exibiu inicialmente o cartão amarelo a Niakaté, mas o VAR esteve muito bem ao alertar o colega de equipa para o seu erro de análise: o defesa francês do SC Braga não foi malicioso nem quis lesionar Behrens, mas a sua entrada - com a sola da bota/pitons no calcanhar de Aquiles  do avançado germânico (e com a bola distante) - foi mesmo susceptível de originar uma lesão grave. A sua falta grosseira foi bem sancionada com o vermelho direto. 

39' Excelente decisão do internacional francês após simulação grosseira (daquelas que deviam ser punidas com cartão vermelho) de Tousart. O avançado francês saltou para o relvado sozinho, quando os três adversários que o rodeavam estavam, no mínimo, a um metro de distância. Ninguém lhe tocou. Momento a roçar o caricato (mas em mau).

42' Golo legal do Union Berlin, a inaugurar o marcador no Estádio Municipal de Braga. Marcou Gosens para a equipa alemã. 

45' Laidouni, na disputa de uma bola que estava a ser jogada no solo, levantou o braço direito e atingiu o rosto de Álvaro Djaló de forma antidesportiva. A infração aconteceu mesmo em frente ao árbitro assistente e devia ter valido advertência para o médio tunisino.

45+1' Lance muito difícil de analisar, em que se percebe a não intervenção do VAR. Na nossa opinião, a equipa de arbitragem errou na sua interpretação: no momento do remate de Staatci à baliza alemã, Diogo Leite intercetou a bola com os dois braços. Primeiro com o esquerdo (que estava colado ao corpo e em posição claramente defensiva), depois com o esquerdo (inicialmente aberto, depois a recolher na direção da bola). Foi este último momento que nos pareceu ilegal. O contacto, que ocorreu por força do movimento efetuado na direção do esférico e com braço ainda aberto, teve a vantagem defensiva de desviar, para canto, remate que ia direcionado à baliza do Union. Pontapé de penálti por assinalar para o Braga. Na sequência, Zalazar foi advertido por protestos excessivos.

49' Cartão amarelo bem exibido a Alex Kral por protestos. O jogador checo estava sentado no banco de suplentes e, tal como vários dos seus colegas (e restantes elementos técnicos), protestou decisão do árbitro. Essa atitude foi recorrente ao longo de toda a primeira parte. 

54' Cartão amarelo bem mostrado a Khedira após agarrar Roger Fernandes, incorrendo em comportamento antidesportivo. 

70' Borja tocou no braço/ombro de Juranovic, com o croata a cair depois e já dentro da área bracarense. O contacto não pareceu suficiente para fazer desequilibrar o adversário, mas a ter havido infração (não nos pareceu), ela teria acontecido fora da área da equipa portuguesa. 

Nota 5: um erro em lance subjetivo