Presidente do SC Braga deixa recados aos líderes do futebol português
António Salvador (IMAGO/Aleksandar Djorovic)

Presidente do SC Braga deixa recados aos líderes do futebol português

NACIONAL23.12.202321:00

António Salvador bastante cáustico na mensagem de Natal publicada este sábado no site dos minhotos

O presidente do SC Braga, António Salvador, visou os líderes do futebol nacional numa mensagem de natal ao universo bracarense publicada este sábado na página oficial do clube na internet.

«É estranha a negligência com que o futebol nacional tem reagido à anunciada e concretizada queda no ranking UEFA, agudizada na época em curso sem merecer ainda um amplo e sério debate que nos recoloque no patamar a que já pertencemos e que acredito que podemos voltar a atingir, assim os nossos líderes revelem vontade e, acima de tudo, coragem», lê-se na nota.

«Estamos conscientes de que o ano que se aproxima será politicamente convulso, em todas as esferas. No que ao futebol e ao desporto concerne, devo alertar que o futuro não se compadecerá com estratégias ou taticismos e que amanhã será tarde demais. Urge a capacidade de decidir e de agir, sob pena de caminharmos coletivamente para a irrelevância e de perdermos todas as oportunidades que conseguimos conquistar ao longo dos anos», acrescentou.

Leia a mensagem na íntegra:

Guerreiras e Guerreiros, 

A campanha de marca que o SC Braga tem concretizado ao longo desta quadra reflete dois conceitos: o Clube enquanto Família e o Clube enquanto Casa. 

Considero que esta mensagem é particularmente certeira no ano que agora finda, pelo que é importante que se sublinhe as grandes conquistas coletivas que temos alcançado e que devem motivar o nosso entusiasmo para encarar os desafios que estão para vir. 

Este foi um bom ano para a Família do SC Braga. 

Desde logo, pelo enorme e contínuo crescimento que se vem verificando no número de sócios. Somos um clube com passado e com memória e noto-o nas homenagens anuais que sempre prestamos aos nossos associados com 25, 50 e 75 anos de filiação. Mas também somos um clube com futuro, bem expresso na quantidade de jovens que elegem o SC Braga como a sua família desportiva. Rapazes e raparigas que nos transmitem, muito claramente, que também na dimensão social nos preparamos para assumir a grandeza que já nos é reconhecida em tantas outras dimensões. 

Este foi, igualmente, um ano memorável para o SC Braga enquanto Casa. 

Atingimos a melhor média de assistências do século e vamos embalados para superar esse registo, mais uma vez, já em 2024. Nunca tivemos tantos sócios detentores de Lugar Anual e não me recordo de tão grande entusiasmo e de tão grande adesão aos nossos jogos e a todos os eventos do Clube. 

Mas Casa é também a Cidade Desportiva, que conta desde setembro com uma nova e importante centralidade. Não é apenas a casa do futebol e das modalidades, é também a casa das famílias e a casa dos adeptos, que rapidamente transformaram a Arena num dos mais fervorosos pavilhões do desporto nacional. 

Admito particular emoção e orgulho no fantástico património que hoje o SC Braga disponibiliza aos seus associados. É uma obra que a todos nos engrandece e que só existe, não me canso de o recordar, porque os sócios assim o quiseram e assim o decidiram. 

A Cidade Desportiva transmite-nos a todos a convicção de que estamos no caminho certo e cada vez mais capacitados para concretizar todas as ambições desportivas e sociais que temos para o nosso SC Braga. 

Não ignoramos, porém, que o contexto externo nos coloca desafios e ameaças. É inegável o peso que o futebol sénior masculino tem no funcionamento de toda a marca SC Braga, mas o ecossistema no qual nos movemos reflete tendências que motivam a nossa preocupação e reforçam o nosso estado de alerta. 

É estranha a negligência com que o futebol nacional tem reagido à anunciada e concretizada queda no ranking UEFA, agudizada na época em curso sem merecer ainda um amplo e sério debate que nos recoloque no patamar a que já pertencemos e que acredito que podemos voltar a atingir, assim os nossos líderes revelem vontade e, acima de tudo, coragem. 

Estamos conscientes de que o ano que se aproxima será politicamente convulso, em todas as esferas. No que ao futebol e ao desporto concerne, devo alertar que o futuro não se compadecerá com estratégias ou tacticismos e que “amanhã” será tarde demais. Urge a capacidade de decidir e de agir, sob pena de caminharmos coletivamente para a irrelevância e de perdermos todas as oportunidades que conseguimos conquistar ao longo dos anos. 

Por outro lado, e estando o futebol e o dirigismo português tão (bem) representado nas mais altas esferas internacionais, seria muito negativo que a reforma das competições e o surgimento de novas provas coincidissem com um aumento do fosso entre o topo e a base da pirâmide. 

Da nossa parte, e cumprindo o que nos é transmitido pelos sócios, continuaremos a ser agentes em prol de um futebol e de um desporto melhores, com independência de pensamento e de ação e sempre procurando conciliar o interesse do SC Braga com o interesse comum. 

Desejo para todas as Guerreiras e para todos os Guerreiros que o novo ano nos permita concretizar todas as ambições que temos para o nosso Clube, mas nesta hora em particular espero que tenham, na vossa Casa e na vossa Família, a celebração que esta quadra merece. 

Feliz Natal! 
António Salvador