«Ambicionamos trazer pontos», avisa José Mota sobre o jogo com o Benfica

«Ambicionamos trazer pontos», avisa José Mota sobre o jogo com o Benfica

NACIONAL07.12.202314:35

José Mota está consciente das dificuldades do jogo desta sexta-feira com o Benfica, mas espera «enervar» os encarnados e «dividir o jogo», lembrando que não há equipas «invencíveis».

É com grande confiança que o Farense joga nesta sexta-feira com o Benfica, no Estádio da Luz. José Mota espera um adversário com vontade em inverter o momento que atravessa e garante uma equipa capaz de contrariar o poderio do adversário e lutar pela conquista de pontos, com o tónico extra dos mais de 1000 adeptos do clube algarvio que irão marcar presença no jogo. 

- Nos confrontos com os grandes o Farense venceu o SC Braga e esteve perto de conquistar pontos com o FC Porto e com o Sporting. À terceira é de vez, o Farense pode conquistar pontos no Estádio da Luz?

«É evidente que o que nos move são as vitórias. O que nós pretendemos é ter um bom resultado contra o Benfica, mas também estamos conscientes das grandes dificuldades que vamos encontrar. O Benfica é uma equipa composta com excelentes executantes e um candidato ao título. Sabemos que vamos ter muitas dificuldades em muitos momentos de jogo, mas também temos que estar precavidos e preparados para elas. Eu acho que se nós estivermos ao nível que eu penso que temos estado, nomeadamente nos últimos jogos, tornaremos mais complexa e mais difícil a tarefa do nosso adversário. Estamos preparados para um jogo difícil e para tentarmos fazer um jogo positivo. Ambicionamos trazer pontos e para isso temos que ter uma concentração, entrega e disciplina tática muito forte, porque sabemos que o Benfica tem jogadores muito fortes, não só no um para um, tem jogadores que criam muitos desequilíbrios e a nossa preparação e o nosso conhecimento vai ser uma base muito grande para ter ou não sucesso.» 

- A situação do Benfica não é a melhor, isso pode facilitar a tarefa ao Farense ou, pelo contrário, espera mais dificuldades?

«Não, espero mais dificuldades, clubes como Benfica, que lutam pelo título nacional, quando perdem a liderança, o que pensam é no jogo seguinte e esse é com o Farense. Aliás, os próprios jogadores do Benfica têm comentado exatamente da importância do jogo com Farense. Ou seja, querem regressar aos bons resultados com o objetivo de chegar ao primeiro lugar novamente. Sabemos que o título esta época tem, se calhar, uma maior importância do que tinha os anteriores, porque há questões de entrada na Liga dos Campeões e percebo que os clubes que lutam por esse objetivo maior, vão ter que ter uma concentração, umas dinâmicas e um trabalho muito grande para conseguir os pontos tão desejados. O que se vai passar é exatamente isso. O Benfica, os jogadores e responsáveis, estarão com certeza mentalizados de que terão que fazer tudo para vencer o Farense. Nós temos é que estar preparados para contrariarmos o estado de espírito deles, que é olhar para o Farense com toda a ambição, tentar garantir os três pontos, entrarem muito fortes no jogo. Nós temos que estar preparados para contrariar esse poderio, essa forma de pensar e exibir aquilo que nós, que eu acho que está ao nosso alcance. Não há adversários invencíveis, que mentalmente sejam superiores em relação aos meus atletas e quando assim é, com certeza que iremos contrariar esse poderio do Benfica. Vai ser extremamente difícil, mas penso que temos capacidades, até pelo que temos feito no campeonato, para, não só enervar o Benfica, como também impor muitas vezes a nossa filosofia de jogo, a nossa mentalidade e o nosso critério, que penso que nos tem dado muito bons resultados e que em todos os jogos temos trabalhado e lutado pelos três pontos.» 

- Já estão vendidos cerca de 1000 bilhetes para adeptos do Farense. Eles vão ser um tónico extra para os seus jogadores frente ao Benfica?

«Sem dúvida. Isso diz bem do acreditar que os nossos adeptos e os nossos sócios têm pela nossa equipa e que sabem que embora nós não possamos ganhar todos os jogos, mas a garantia de trabalho está lá. Ou seja, eu sinto-me sempre muito satisfeito com a atitude da minha equipa, que é responsável, e em que todos os atletas trabalham de uma forma afincada e humilde para conseguirem ter bons resultados. Muitas vezes não conseguimos, mas não é sinal de que não trabalhamos, não nos esforçamos e não nos dedicamos à causa, e os nossos adeptos sabem perfeitamente que garantia de trabalho, de termos uma equipa competitiva, uma equipa organizada, isso vamos ter. Sabemos perfeitamente também que não há equipas invencíveis, que tenham sempre os seus melhores momentos e que este Benfica também tem os seus pontos fracos, como é óbvio, e tentaremos explorar isso. E ter um aspecto que eu acho que é muito importante: muitas vezes jogar o jogo pelo jogo, dividirmos o jogo, porque penso que temos capacidade para tal, e se o fizermos, com certeza que nos dará e nos vai galvanizar para o jogo. Os nossos adeptos percebem perfeitamente que nós em muitos momentos iremos dividir o jogo e tentaremos fazer um bom resultado. Isso é o lema desta equipa, do nosso clube e a confiança que os nossos adeptos depositam nesta equipa faz com que os jogadores trabalhem sempre de uma forma muito dedicada.»