Feliz Natal

OPINIÃO23.12.201803:00

1 Hoje jogam, entre si, os primeiros seis classificados da nossa Liga. Entre as três da tarde - hora portuguesa - e as dez da noite o futebol vai dominar as atenções de milhões de adeptos e alegrar, apesar das buscas de que foram alvo na passada sexta feira, os principais operadores do serviço de telecomunicações a operar em Portugal. Haverá muitos milhares ligados às suas empresas e às suas respeitosas marcas. E essas buscas, necessariamente pouco divulgadas, - como se não houvesse um casamento de múltiplas conveniências … - foram suscitadas «por suspeitas de práticas anti concorrenciais lesivas da liberdade de escolha do consumidor»! O consumidor, o cliente e o cidadão têm de ser, sempre, o centro da atenção e da proteção das estruturas de investigação e de regulação que o Estado de Direito Democrático desenvolveu e construiu. Mesmo que, do nosso prisma, algumas estruturas de regulação tenham um funcionamento bem lento e, em certos casos, quase que ineficaz. E com os Tribunais, em outros casos, a não acompanharem as suas deliberações, muitas vezes identificadas em multas (coimas) substancialmente reduzidas por fundamentadas decisões judiciais. O futebol jogado vai prender, assim, a nossa atenção. E, também, espera se toda a atenção do VAR que é, cada vez mais, um dos factos desportivos do ano de 2018. Com o seu protocolo ainda não totalmente percebido. E, assim, em vésperas de mais um Natal, teremos um domingo gordo em termos de futebol jogado. E, depois, será muito, e muito, falado. Ontem o Real de Madrid voltou a conquistar - tri conquistar! - um Mundial de clubes que não é claramente uma competição atrativa e em Inglaterra Chelsea e Manchester City perderam em casa para alegria de muitos  apostadores , de todas as partes do Mundo, que acreditaram em surpresas de Natal. Com os seus chorudos lucros! E, ao lado, e após a demissão de José Mourinho, o Manchester United voltou às vitórias, e às goleadas, como que fazendo crer que a chicotada psicológica produziu múltiplos efeitos. O que não aconteceu, por cá, e por ora, no Marítimo que, ontem, perdeu em Tondela e fez sorrir Pepa. Mas, acredito, que esta pausa de Natal e Ano Novo, vai desencadear e multiplicar cordas em alguns sapatos de certos treinadores! Para alento suplementar do cliente/associado/ acionista de determinadas sociedades desportivas que participam, por ora, nas duas competições profissionais organizadas pela nossa Liga de Clubes. Por ora, digo e escrevo eu…

2 Se nos bonitos relvados teremos um domingo de fartas atenções, fora deles o Benfica teve uma grande sexta-feira. O e-toupeira para o Benfica foi ‘e-nada’. Boa notícia para o universo do Benfica e, também, para os seus principais patrocinadores, sujeitos alguns deles a regras internas de complexa fiscalização! Se alguns vaticinavam uma sexta-feira negra o que aconteceu, como há largos meses me dizia, com profunda convicção, um jovem e sagaz advogado, - o Manel, natural de Mangualde - que consultara o processo, foi uma verdadeira goleada da Benfica SAD. A lúcida e sábia estratégia de defesa determinou que os trinta crimes de que vinha causada a SAD caíram. Com estrondo digo eu. Muito estrondo. O que aconteceu foi que a Juíza, verdadeira juíza das liberdades e das garantias, assumiu ao longo do seu despacho de cento e noventa e oito páginas, o papel que constitucional e legalmente lhe está atribuído e, ao contrário do que ocorreu em outros casos, não se deixou ficar colada à posição do Ministério Público e perante a ‘não prova produzida’ -  que não a ‘dita prova’ multiplicada e repetida ao nível da comunicação - reduziu substancialmente os crimes de que vinham acusados os arguidos deste mediático processo. Tal como escreveu, em outro momento e com a lucidez e a sapiência que todos lhe reconhecemos o Conselheiro Henriques Gaspar esta intervenção de um Juiz é uma forma de assegurar que «a sujeição de alguém a julgamento não fique apenas no âmbito de decisão de um órgão eminentemente comprometido com a acusação» permitindo-se  «uma verificação judicial para que um acusado não seja ou não deva ser submetido a julgamento injustificadamente ou sem provas bastantes e suficientemente consistentes». O que aconteceu foi, acima de tudo, o pleno funcionamento da justiça penal e dos seus tempos, e entre eles, e após a fase do inquérito - e do seu dito ‘dossier probatório’! - a concretização  da fase de instrução como os seus despachos de pronúncia e de não pronúncia. E, aqui, mesmo havendo, em determinados termos, suscetibilidade de recurso direi que o Benfica e  o seu universo de vozes e de  múltiplos e diversos sentimentos não poderão apreciar que outros possíveis intervenientes processuais, e por excelência, outras SAD´s ou clubes venham praticar atos que, tendo em conta a apreciação judicial  feita, alimentem, ainda mais, a sua ingerência em atos e fatos que já foram  objeto de legítima ponderação, avaliação e  intervenção de um Juiz (a).  E essa ingerência, mesmo que legalmente admissível, a ocorrer, não poderá ser entendida como um ato positivo mas sim como uma atitude bem negativa. Direi, aqui, o que ensinava aos meus alunos(as) de Direito Político e citando o bem antigo General chinês Sun Tsu: «Não pressione um inimigo encurralado»! É que, como sabemos, «quando esperamos, os segundos são anos. Quando recordamos, os anos são segundos». O Benfica durante largos meses sofreu e muito. Fora e dentro, sim dentro, dos relvados. Provocando dores e, até, desconfianças. Mas como nos ensinou Kant «as sombras salientam a luz»! Salientam mesmo a luz!

3 Um amigo foi despedido de treinador do Benfica. Um amigo que é e sente o Benfica. Pedro Nunes, treinador do hóquei em patins, não resistiu a um conjunto de resultados não positivos e, de ente eles, o empate face à Associação Desportiva de Oeiras. Mas o Pedro Nunes no Benfica ajudou a conquistar muitos títulos. Nacionais e europeus. E, também, recordo a Taça Intercontinental . Acredito que, com o Carlos Andrade, - mais o Zé e o Igor - nos vamos continuar a encontrar no arranque de cada ano no agradável e hospitaleiro ‘Pedra Dura’ - ali bem no centro da linda Ericeira - e degustar uma bife na pedra e uma massa deliciosa e recordar histórias do Benfica, do seu futebol, do seu hóquei e do seu basquetebol e com a certeza, a certeza mesmo, que «quem tem um amigo verdadeiro, pode dizer que possui duas almas». E um benfiquista, nestes tempos, tem mesmo duas almas!

4 Santo e Feliz Natal a todas as nossas leitoras e a todos os nossos leitores. E a toda a Família deste jornal. E da sua resistente televisão!
 

Vídeos

shimmer
shimmer
shimmer
shimmer