Os melhores jogos do fim de semana

Notícia Patrocinada 13-01-2022 22:06
Por Redação

Liga inglesa – Manchester City-Chelsea (15 de janeiro, 12.30 horas)

 

Jogo grande desta 22.ª jornada da Premier League. Frente a frente primeiro e segundo classificados, Manchester City e Chelsea, dois dos três (o outro é o Liverpool) principais candidatos ao título que, chegados a esta altura da época, se mantêm na corrida. Há, ainda assim, um que é, à entrada para esta ronda, mais candidato que os outros, tendo em conta a diferença que já conseguiu abrir para os outros dois: falamos, é claro, do Manchester City de Guardiola (e de Rúben Dias, Bernardo Silva e João Cancelo, já agora), que lidera com mais dez pontos do que o Chelsea. E é, por isso – e pelo facto de jogar em casa, já agora – visto como favorito também à vitória nesta partida. Os citizens, a jogar na condição de visitados, têm apenas uma derrota em dez jogos (oito vitórias e um empate), mas atenção, os blues apenas perderam uma vez a jogar como visitantes: sete vitórias e um empate nos outros nove encontros. Olhando para o momento de forma das duas equipas, vemos que o City chega a esta partida com 13 triunfos consecutivos nas provas inglesas, o Chelsea tem sido mais inconsistente, somando apenas seis vitórias (a que junta quatro empates) nos últimos dez jogos. Jogo grande é, quase sempre, imprevisível, mas se há equipa relativamente consistente… é o Manchester City. Conseguirá o Chelsea travar a marcha imperial do conjunto de Guardiola rumo ao título.


Clique aqui

 

Liga inglesa – Aston Villa-Manchester United (15 de janeiro, 17.30 horas)

 

Há uns anos não haveria grandes dúvidas. Muito menos deveria haver grandes dúvidas quando de um lado estão jogadores como Bruno Fernandes e Cristiano Ronaldo. Mas a verdade é que nem com os dois craques portugueses o Manchester United parece ser capaz de subir o nível e aproximar-se da luta pelo título. Prova disso é o facto de entrar para esta ronda 22 no sétimo lugar, com 31 pontos, menos 22 do que o rival de Manchester (!) e com apenas mais nove do que o adversário deste jogo, um Aston Villa que tenta, com Gerrard ao comando, voltar aos tempos de maior glória. Não é, portanto, de estranhar que embora entre com algum favoritismo, o Manchester United não consiga reunir uma dose de confiança que nos faça olhar para ele como claro favorito. Ainda assim, um dado que pode ser interessante (este é, afinal, um daqueles jogos que pode valer a pena), dizer que as duas equipas defrontaram-se há cinco dias para a Taça de Inglaterra, em Old Trafford, e o Manchester United – sem Cristiano Ronaldo, atenção… - venceu por 1-0. Com o craque português em campo talvez as coisas fiquem um pouco mais desequilibradas…


Clique aqui

 

Liga 2 – Casa Pia-Académico de Viseu (15 de janeiro, 11 horas)

 

Não há, naturalmente, outra forma de olhar para este jogo do que dar o favoritismo (quase) total ao Casa Pia, conjunto que lidera a segunda liga portuguesa (33 pontos) e recebe um Académico de Viseu que entra nesta jornada 18 da Liga 2 como 13.º classificado, com menos 15 pontos (18). Se a isso juntarmos o impressionante registo do conjunto lisboeta quando joga em Pina Manique – sete vitórias e uma derrota em oito partidas – mais a tendência de favoritismo da equipa da casa se acentua. E mais ainda (para que não fique nada por saber na hora de escolher…) se olharmos para o momento de forma dos dois clubes: o Casa Pia vem de duas vitórias consecutivas, o Académico de Viseu não ganha desde 31 de outubro de 2021, acumulando uma série de sete encontros sem qualquer vitória – cinco derrotas e dois empates. A Liga 2 é, todos sabemos, conhecida pela sua competitividade, mas o Casa Pia, que assumiu recentemente a liderança da prova, não quererá perde o embalo. Muito menos frente a adversário que parece estar longe dos melhores momentos…

 

Clique aqui

 

Liga – SC Braga-Marítimo (15 de janeiro, 18 horas)

 

Como quarto grande, o SC Braga entra, de forma natural, sempre em campo como favorito quando o jogo em causa não é contra Benfica, FC Porto ou Sporting. É normal que assim seja e esta partida com o Marítimo não pode ser exceção. E se olharmos para a classificação a ideia pode ser reforçada: os bracarenses estão no quarto lugar com 32 pontos, os madeirenses são nono, com menos 12. Mas há, ainda assim, um dado importante para o qual se deve olhar: o momento de forma dos dois conjuntos. O SC Braga, talvez pelo desgaste provocado pela participação na Liga Europa, tem mostrado alguma irregularidade, somando apenas duas vitórias nas últimas sete partidas – a que junta três derrotas e dois empates. O Marítimo, pelo contrário, tem crescido de uma forma surpreendente desde a entrada de Vasco Seabra para o cargo de treinador e vem de duas vitórias consecutivas, a última das quais fora, no terreno do Portimonense, uma das equipas sensação deste campeonato. Mais, nos últimos seis jogos, os madeirenses foram derrotados apenas uma vez, no Estádio da Luz, frente ao Benfica. Um desaire pesado (1-7), mas que pelos vistos não afetou a equipa neste percurso de recuperação que parece estar a encetar. Resumindo, o SC Braga entra como favorito, mas este talvez seja um bom jogo para os mais atrevidos…


Clique aqui

 

Liga – Belenenses SAD-FC Porto (16 de janeiro, 20.30 horas)

 

O que dizer quando frente a frente estão primeiro e último lugar da classificação? Duas equipas separadas por 36 pontos? É, naturalmente, mais do que suficiente para dar todo o favoritismo ao FC Porto, mesmo que o jogo se dispute no Jamor, cada do Belenenses SAD. Não há, de resto, qualquer prisma por onde se possa pegar para inverter essa análise: o Belenenses SAD vem de uma inesperada mudança de comando técnico, o que provoca sempre muitas incertezas. O Belenenses SAD tem apenas uma vitória nos últimos sete encontros (cinco derrotas e um empate completam a conta) e o FC Porto chega a esta partida com uma série de 12 triunfos consecutivos em partidas das provas portuguesas. O único ponto para o qual se pode olhar para dar uma mínima ideia de equilíbrio é mesmo o histórico de confrontos entre as duas equipas no Jamor: embora o Belenenses SAD nunca tenha conseguido vencer (em quatro partidas), nas duas últimas épocas conseguiu forçar os dragões a empates – embora as circunstâncias fossem, então, bastante diferentes. Ainda assim, e para os que gostam de arriscar, digamos apenas: o futebol, às vezes, pode ser uma caixinha de surpresas.

 

Clique aqui

 

Liga francesa – Marselha-Lille (16 de janeiro, 19.45 horas)

 

Jogo grande da 21.ª jornada da Ligue 1 que coloca frente a frente um histórico que não tem conseguido responder à superioridade do PSG – o Marselha – e o último clube que conseguiu contrariar o domínio milionários dos parisienses: o Lille, que conseguiu, contra todas as expectativas, sagrar-se campeão em 2020/2021. Ainda assim, convém dizer que esta época não está a correr assim tão bem ao conjunto dos portugueses Renato Sanches, José Fonte e Tiago Djaló, como fica bem evidente no décimo lugar que o Lille ocupa à entrada para esta ronda, com 28 pontos. Bem mais acima está o Marselha, que ocupa o terceiro posto, com mais oito pontos, em igualdade pontual com o segundo classificado, o Nice. Percebe-se, por isso, o favoritismo atribuído ao conjunto da casa – ainda mais quando o Marselha soma sete triunfos nos último nove encontros. Ainda assim, convém referir que o Lille não perde desde 29 de outubro de 2021 (nada mais nada menos do que contra o PSG…), somando daí para cá sete vitórias e cinco empates em 12 partidas. Este é, portanto, um daqueles jogos que pode não ser tão desequilibrado como um simples olhar à classificação pode fazer parecer…

 

Clique aqui

Ler Mais
Comentários (1)

Últimas Notícias