O estigma do fato de treino (artigo de Vítor Rosa, 82)

Espaço Universidade 19-02-2020 14:44
Por Vítor Rosa

Em conversa com uma pessoa amiga sobre educação física e desporto, fui chamado a atenção para o “estigma do fato de treino”. Alguns professores de educação física sentem-se diferentes por andarem de fato de treino no seu dia a dia nos estabelecimentos de ensino. Contaram-me também um episódio caricato: num almoço de convívio escolar um aluno cumprimentou todos os seus professores, exceto o professor de educação física. Chamado a atenção, o aluno disse que estava habituado a ver o professor de fato de treino, e não de outra forma, daí a dificuldade no reconhecimento do mesmo. Perante o fato, o professor em causa ficou muito aborrecido.

 que se deve este estigma? O ensino da educação física em Portugal, apesar das honrosas iniciativas, tardou a se generalizar. Foi desvalorizado! A disciplina e os professores foram considerados com um estatuto “periférico”, sobretudo em relação a outras disciplinas (português, matemática, história, físico-química, etc.). Muitos encaixaram socialmente ser os “parentes pobres” do ensino ou uma espécie de “segunda linha” de educadores. Quando alguém fala de educação física e desporto, não sendo da área, mas que estuda profundamente o fenómeno, muitos professores, que se consideram “herdeiros” da temática, chateiam-se e amuam. Outros, porque estão em lugares de poder, até impedem o alavancar de importantes iniciativas.

A criação de vários cursos na área da educação física e desporto, com ou sem qualidade, trouxeram uma divisão na classe e uma desorientação conceptual, metodológica e deontológica. A formação, no ensino superior (universitário e politécnico), tem dado origem a tensões e conflitos. Era importante fazer-se um estudo científico, procurando averiguar como os professores de educação física e desporto, de diferentes escolas de formação, são percecionados pelos alunos, pelos professores de outros grupos disciplinares e por funcionários da escola.

 

Vítor Rosa

Sociólogo, Doutor em Educação Física e Desporto, Ramo Didática. Investigador Integrado do Centro de Estudos Interdisciplinares de Educação e Desenvolvimento (CeiED), da Universidade Lusófona de Lisboa

A PAIXÃO CONTINUA EM CASA


O momento particular que vivemos determina a permanência das pessoas em casa além do fecho de todas as lojas comerciais alterando dramaticamente os hábitos das pessoas no que toca à leitura e ao acesso à informação.

Neste momento de grandes dificuldades para todos, estamos a trabalhar a 100% para continuar a fazer-lhe companhia todos os dias com o seu jornal A Bola , o site ABOLA.pt e no canal A Bola Tv.

Mas este trabalho só vale a pena se chegar aos seus clientes de sempre sem os quais não faz sentido nem é economicamente sustentável.

Para tanto precisamos que esteja connosco, que nos faça companhia, assinando a versão digital de A Bola e aproveitando a nossa campanha de assinaturas.

ASSINE JÁ

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias