Mourinho: «Em condições normais teria sido um ano histórico para a Roma»

Mourinho: «Em condições normais teria sido um ano histórico para a Roma»

INTERNACIONAL31.12.202300:15

Treinador português lembrou a final da Liga Europa, perdida para o Sevilha nos penáltis, e deixa desejos moderados para 2024

Para fazer o balanço de 2023, José Mourinho recuou até 31 de maio, o dia em que a Roma perdeu a final da Liga Europa para o Sevilha, nos penáltis.

«Em condições normais teria sido um ano histórico para a Roma. Teria conquistado um título europeu pelo segundo ano consecutivo, teria disputado a Supertaça Europeia e teria garantido a presença na Liga dos Campeões. Os deuses do futebol assim não quiseram. Não foram os deuses do futebol, foi uma noite infeliz de uma equipa de arbitragem da elite europeia», começou por dizer, após a derrota deste sábado com a Juventus.

O técnico português não esquece a arbitragem do inglês Anthony Taylor, que confrontou no estacionamento da Puskás Arena, de Budapeste, o que deu origem a um castigo de quatro jogos aplicado pela UEFA.

Relativamente aos objetivos para 2024, o técnico português foi moderado na ambição, até porque a Roma está na sétima posição da Serie A.

«Desejo ser feliz e fazer felizes os outros. Garantir a presença na Liga dos Campeões seria muito bom, tendo em conta as nossas limitações. Se não sonhas, nunca alcanças. Sonhamos e trabalhamos arduamente para o conseguir», respondeu.

José Mourinho deixou ainda um lamento por ficar agora privado de N'Dicka, convocado pela Costa do Marfim para o Campeonato Africano das Nações (CAN). «Não estou aqui para chorar relativamente ao mercado, ou para comparar a Roma com outros clubes. Se vier alguém, excelente, caso contrário cá estaremos para preparar Atalanta e Cremonese», comentou.

Tags: