Federação italiana avança com medida anti-Superliga
Roma enfrenta o Nápoles. Foto: IMAGO/Flash Press Agency

Federação italiana avança com medida anti-Superliga

INTERNACIONAL28.12.202319:49

Objetivo é 'incentivar' as equipas a não participarem na competição milionária

A FIGC (Federação Italiana de Futebol) decidiu avançar com uma medida que previne a entrada das equipas italianas na Superliga Europeia.

Gabriele Gravina, o presidente da Federação, já tinha ameaçado com medidas muito duras os clubes que aspirassem a participar na eventual nova competição, e a FIGC deu agora um primeiro e importante passo nesse sentido. 

No último Conselho Federal de dezembro, que teve lugar na semana passada, a federação italiana aprovou o sistema de licenciamento das inscrições nas ligas para a época 2024/25, com um novo critério. De acordo com os jornais Calcio e Finanza, os clubes terão de fornecer à Serie A um «compromisso escrito de não participar em competições organizadas por associações privadas não reconhecidas pela FIFA, UEFA e FIGC». 

Esta cláusula é, para todos os efeitos, uma cláusula de combate ao projeto milionário da superliga europeia. Os clubes terão de apresentar o compromisso antes de 4 de junho de 2024, sob pena de não poderem competir nas provas nacionais italianas.

Desde que a ideia da Superliga voltou a ganhar força, apenas o Nápoles mostrou interesse em participar na prova, com o presidente do clube, De Laurentiis, a admitir que está «disposto a conversar». O Inter mostrou-se contra a ideia e a Juventus, um dos membros fundadores do projeto original, manteve silêncio sobre o assunto.