Famalicão: estabilizar de novo o processo defensivo para voltar ao sucesso
João Pedro Sousa, treinador do Famalicão, tem de reacender os índices de eficácia defensiva. (Foto: CARLOS BARROSO/LUSA)

Famalicão: estabilizar de novo o processo defensivo para voltar ao sucesso

NACIONAL02.03.202414:40

Minhotos (ainda) têm a sexta defesa menos batida da Liga, mas na segunda volta sofreram em todos os jogos; saída de Otávio Ataíde para o FC Porto ainda não está devidamente 'preenchida'; João Pedro Sousa projeta este domingo a receção ao Boavista

Colocar trancas à porta. Passará (também) por aqui grande parte do sucesso a que o Famalicão aspira no que falta jogar da presente temporada. Afinal, não sofrer golos é (sempre) meio caminho andado para se poder ganhar jogos...

E pese embora o Famalicão ainda seja uma das defesas menos batidas da Liga - na altura em que é escrito este texto, antes dos jogos desta 24.ª jornada, os minhotos estão no 6.º lugar do referido ranking, com 28 tentos consentidos (apenas Benfica, FC Porto, Sporting, Vitória de Guimarães e Moreirense apresentam melhor registo) -, a verdade é que a segunda volta tem trazido problemas acrescidos a este nível.

Afinal, nos cinco jogos já realizados desde a viragem do Campeonato, o Famalicão concedeu oito golos - SC Braga (1-2), Moreirense (0-1), Farense (1-1), Rio Ave (2-1) e Arouca (2-3). Sendo que, acrescente-se, os famalicenses ainda têm uma partida pelo meio por disputar, no caso, frente ao Sporting. O jogo deveria ter-se-realizado no passado dia 3 de fevereiro, mas acabou por ser adiado devido à greve dos agentes das forças de segurança.

E essa inconstância defensiva também tem contribuído, naturalmente, para os resultados menos positivos neste período: apenas quatro pontos somados em 15 possíveis.

Tal como os treinadores dizem com bastante frequência, quando as coisas não correm bem no processo defensivo as responsabilidades não podem ser imputadas apenas aos guarda-redes ou aos elementos da retaguarda. Afinal, o processo é coletivo e, muitas vezes, a pressão exercida pelos avançados permite uma maior folga à linha mais recuada.

No entanto, e apesar dessa realidade, também não pode esquecer-se que o Famalicão perdeu recentemente o seu esteio da defesa: Otávio Ataíde. O jovem defesa-central brasileiro rumou ao FC Porto no mercado de inverno, sendo que antes disso era, apenas e só, um titular absoluto no eixo da retaguarda famalicense.

Enea Mihaj e Justin de Haas têm sido os eleitos para formar a dupla de centrais, mas João Pedro Sousa tem ainda à sua disposição Riccieli. O capitão tem vindo a perder algum espaço, mas quem sabe se o seu regresso à equipa num futuro próximo não pode ajudar a voltar a estabilizar o setor...

O plantel do emblema de Vila Nova continua a preparar afincadamente a partida da próxima segunda-feira, diante do Boavista, duelo que João Pedro Sousa projetará amanhã, em conferência de Imprensa.

Para a receção aos axadrezados, o técnico dos famalicenses já sabe que estará privado de três jogadores, todos eles devido a castigo: Zaydou Youssouf, Puma Rodríguez e Jhonder Cádiz. Já Alex Dobre e Filipe Soares, ambos a recuperar das respetivas lesões, estão em dúvida. Em sentido inverso, Mirko Topic, que cumpriu um jogo de castigo diante do Arouca, na ronda anterior, está de regresso às opções e deve mesmo ter (re)entrada direta no onze.