Sporting: já se fala no valor que pode chegar por Gonçalo Inácio
Gonçalo Inácio tem contrato até 2027 e cláusula de rescisão de 60 milhões. GRAFISLAB

Sporting: já se fala no valor que pode chegar por Gonçalo Inácio

NACIONAL03.01.202420:41

Nos bastidores em Inglaterra segreda-se que há €40 milhões para oferecer já, mais 20 milhões por objetivos; Arsenal sempre muito atento; plantel, apreensivo, torce para o central não sair no inverno

Está oficialmente aberta a janela de inverno do mercado de transferências e no Sporting há apreensão. Não apenas por parte da administração mas também no plantel, que considera Gonçalo Inácio peça fundamental na equipa mas sabe que o central de 22 anos é muito cobiçado e pode ser alvo de proposta que o leve de Alvalade em plena luta pelo título nacional — no sábado os verdes e brancos venceram por 2-1 no terreno do Portimonense e jogadas 15 jornadas do campeonato seguem no 1.º lugar, com 37 pontos, mais um do que o Benfica, que está no 2.º lugar, e mais três do que o FC Porto, que fecha o pódio da Liga. Todos sabem que a saída é inevitável mas pedem que tal aconteça apenas no fim da temporada, de preferência com o estatuto de campeão nacional — «Esperamos que seja só no final da época, não agora», disse o capitão Coates em entrevista a A BOLA.

A preocupação chegou ao grupo mas à SAD já existe há algum tempo. Tanto que já foi contratado um central esquerdino, Rafael Pontelo, 20 anos — chegou do Leixões e com custo de 750 mil euros —, e há outro referenciado, Otávio, também brasileiro, de 21 anos, do Famalicão. De facto desde há mais de um mês que chegam ecos aos corredores de Alvalade que, sobretudo de clubes da Premier League, pode avançar proposta capaz de levar prematuramente o internacional português, cujo valor da cláusula de rescisão, 60 milhões de euros, serve de referência para quem o quiser contratar. Também de Espanha chegam com insistência notícias de interessados, entre eles o colosso Real Madrid.

O que se diz em Inglaterra

Já se falou então dos merengues, continua a apontar-se o Liverpool como possível destino mas é o Arsenal que está mais incisivo, resta saber se com vontade de chegar ao valor único capaz de fazer com que o defesa deixe Alvalade já em janeiro: os 60 milhões da cláusula.

Na época passada Gonçalo Inácio marcou ao Arsenal, no 2-2 em Alvalade para a Liga Europa. ANDRÉ ALVES/ASF

Nos bastidores em Inglaterra há até quem garanta que há clube prestes a avançar com uma primeira proposta, não dos 60 milhões mas de 40 milhões no imediato e 20 milhões em objetivos de fácil concretização. Acontece que 40 mais 20 dá 60 mas apenas mais adiante no tempo, algo que não satisfaz a administração leonina, firme em cumprir a promessa feita a Rúben Amorim, de apenas deixa sair as peças principais mediante o bater das cláusulas de rescisão.

O Arsenal está muito atento mas o Sporting tem outro plano para Gonçalo Inácio. Passa pela venda do passe, sim, mas nunca no mercado de inverno, antes no próximo verão, operação que, tal como aconteceu com Manuel Ugarte na janela estival de 2023 — saiu para o Paris Saint Germain a troco de 60 milhões de euros —, permitirá atacar o mercado, no que a compras diz respeito, com o desafogo que levou às duas maiores aquisições da história do clube: o goleador Viktor Gyokeres por 20 milhões de euros (ao Coventry, do segundo escalão de Inglaterra) e Morten Hjulmand por 18 milhões (aos italianos do Lecce). E com os resultados desportivos que se estão a ver...