Moreno: «Sporting é a melhor equipa do campeonato»
Moreno Teixeira, treinador do Desp. Chaves (IMAGO)

Moreno: «Sporting é a melhor equipa do campeonato»

NACIONAL12.01.202413:07

Treinador do Chaves deixa elogios à equipa de Rúben Amorim; considera que os leões «têm jogadores que podem resolver jogos sozinhos»; reforços Vasco Fernandes e Guzzo disponíveis; João Correia será titular

Na antevisão à receção ao Sporting, que marca o fecho da primeira volta da Liga, Moreno não poupou nos elogios à equipa de Rúben Amorim, considerando que os leões são «a melhor equipa do campeonato.»

Apesar de enaltecer as qualidades dos verdes e brancos, o técnico do Chaves vinca a evolução que os flavienses têm tido, sobretudo nas duas últimas jornadas, e destaca a ambição de conquistar os três pontos diante do líder do campeonato: 

«Em termos de qualidade de jogo, o Sporting é a melhor equipa do nosso campeonato, com atletas com um talento incrível, a nível individual. Em qualquer momento resolvem jogos sozinhos, embora eu ache que o Sporting é muito mais coletivo que individual. Mas temos de olhar também para nós, e perceber os sinais que a equipa tem dado principalmente nestes últimos dois jogos, não tanto em pontos como gostaríamos de ter, mas naquilo que é a qualidade de jogo, estar competitivo dentro do campo. Acreditamos naquilo que estamos a fazer, e não queremos vitórias morais. Precisamos de pontos, e é assim que nos vamos apresentar amanhã, reconhecendo que do outro lado há realmente uma grande equipa. Acreditamos genuinamente que é possível ganhar os 3 pontos amanhã.»

Pese embora o conjunto transmontano tenha perdido no Estádio do Dragão e empatado no terreno do Famalicão, Moreno salienta que as recentes exibições trazem «conforto», sublinhando a importância do jogo com e sem a bola nos pés: 

«A motivação tem de estar sempre no máximo, independentemente do lugar, do nosso presente e daquilo que possamos fazer. Não escondo que nos dá mais certezas e conforto ver a resposta que a equipa deu no Dragão, ou agora em Famalicão. Mas os jogos são todos diferentes, o Sporting cria problemas diferentes do FC Porto ou do Famalicão, e estamos identificados com isso. Temos de continuar a ser uma equipa unida, uma família dentro do campo. Acho que isso é essencial. Temos vindo a melhorar, temos de saber o que fazer com bola e perceber que nestes jogos também se corre muito sem bola. Estamos preparados para isso, que esse desgaste de correr sem bola não nos tire depois o discernimento de poder decidir bem quando a recuperarmos.»

Sobre as recentes aquisições do Chaves, o defesa-central Vasco Fernandes e o médio Raphael Guzzo, o treinador dos flavienses revela que os dois atletas estão disponíveis para a partida deste sábado, mas deixa em aberto a sua utilização. João Correia, por outro lado, será titular: «Não faltam profissionais a quererem representar o Chaves, nós temos de ter a convicção de que quem entrar vem para acrescentar, porque isso é muito importante da parte técnica e tática. E depois, aquilo que mostrou o Vasco [Fernandes] e o Guzzo, uma vontade grande de querer representar o Chaves. Foi isso que encontrámos nestes dois atletas. Se encontrarmos mais jogadores que se enquadrem nestas duas situações que falei, poderão entrar ainda mais. Não vamos entrar em desespero neste mercado. Vamos ter sempre esta responsabilidade e este critério. Já estão disponíveis para o jogo, amanhã veremos se vão atuar ou não. João Correia vai ser utilizado amanhã, tenho indicação da administração que o posso utilizar amanhã. João Correia será titular.»

Nos últimos encontros, Moreno alterou a estrutura tática da equipa, passando a apresentar uma linha de quatro defesas, ao contrário do que tinha sido habitual nas jornadas anteriores. Para o técnico, a disposição tática «não é uma questão de preferência»: 

«Acho que o sistema de 3x4x3 ou 5x4x1 consegue equilibrar melhor a equipa no momento sem bola, essencialmente. O treinador tem de se ajustar àquilo que o grupo lhe oferece. É um facto que vínhamos a jogar numa linha de cinco até ao Dragão, e mudámos para uma linha de quatro, portanto a probabilidade de continuarmos com uma linha de quatro é grande, percebendo que o Vasco [Fernandes] entrou agora, e tem feito grande parte da carreira a jogar com uma linha de três. Mas percebemos que ele pode jogar numa linha de quatro ou até mais à frente. Isto ajuda o Chaves, porque vai ter mais soluções, um plantel mais competitivo. Jogar com uma linha de três ou quatro vai depender também do adversário. Não há como esconder que a equipa se tem sentido confortável com uma linha de quatro.»

«O plantel foi preparado de uma forma diferente da minha, isso é óbvio, não estou a dizer que foi melhor ou pior. Se repararem, 10 dos 11 pontos conquistados foram com uma linha de três. Com uma linha de quatro tinha tido cinco derrotas e goleada atrás de goleada… Temos de ser equilibrados, perceber o adversário, as caraterísticas dos jogadores que temos à disposição», acrescentou.