Melhor exibição da época
Di María marcou na Áustria de canto direto. Foto IMAGO

O MISTER DE A BOLA Melhor exibição da época

NACIONAL13.12.202316:39

Augusto Inácio faz a análise à vitória do Benfica diante do Salzburgo

1. Mais dois ou três golos

O Benfica precisava de ganhar na Áustria por uma diferença de dois golos para continuar nas competições europeias, no caso na Liga Europa. Os encarnados mereceram inteiramente este resultado (3-1) e penso que se marcassem mais dois ou três golos não seria favor nenhum, pois fez, na mina opinião, a melhor exibição da época – equipa muito consistente, pressionante, a trocar bem a bola. Destaque durante todo o jogo para Di María, que voltou aos seus grandes velhos tempos, ao pegar no jogo, fez a equipa jogar para a frente e marcou totalmente a diferença, perante um Salzburgo que nunca teve argumentos para criar mossa na defesa do Benfica, como é evidente teve uma ou outra oportunidade mas Trubin disse sempre presente e o Benfica foi para o intervalo a ganhar por uma diferença de dois golos. É verdade que Rafa marcou o segundo golo mas o Benfica também deve a Rafa o não ter o marcador mais alargado ao intervalo, pois dispôs de várias oportunidades flagrantes de poder finalizar e esteve muito infeliz, tal como tinha acontecido no jogo com o Farense.

2. Mérito de Shmidt

Roger Schmidt tem muito mérito nesta vitória porque estava à procura duma equipa-tipo, que jogasse bem, ganhasse e tivesse um nível de jogo mais parecido com o praticado na época passada e o certo é que o Benfica teve esse nível de jogo com o Farense, pecando muito na finalização. Aí já dava sinais de que a equipa estava a retomar ao bom futebol sendo muito mais competitivo do que até então e repetiu praticamente o mesmo onze neste jogo na Áustria, trocando só António Silva por Tomás Araújo – este menino fez uma boa estreia, mostrando que está ali um bom valor português, central a jogar num grande clube como o Benfica. Mas, no seu conjunto, o Benfica fez um jogo muito bom e só foi pena não ter marcado mais golos, ficando essa lacuna. Se não fosse essa pecha da finalização, sairia da Áustria com um resultado volumoso e fica essa sensação de que a águia está a crescer, voltando aos seus velhos tempos e o treinador alemão ganhou uma equipa, com aqueles que, provavelmente, serão as escolhas para cada jogo. Talvez António Silva possa reentrar mas de resto é a equipa que jogou estes últimos dois jogos. 

3. Mudar sempre para melhor

Nas substituições o treinador alemão também esteve muito bem, pois quando teve de alterar algumas coisa mudou para melhor. Por vezes Roger Schmidt tem sido alvo de algumas críticas mas desta vez também é justo dizer-se que desta vez foi um treinador que ajudou muito a equipa a jogar, a ganhar a e ter outro nível que parece estar a retomar. Arthur Cabral entrou e marcou num grande gesto técnico e estão feitas as pazes. Boas notícias para o Benfica, que continua para a Liga Europa. Cedo ficou fora da Champions mas tem uma oportunidade na Liga Europa de continuar a marcar a sua presença e vamos ver até que ponto o Benfica vai chegar. Parabéns ao Benfica, parabéns ao também ao SC Braga que também passa para a Liga Europa e claramente são duas equipas que fazem falta em termos de pontuação para o 'ranking' do futebol português, que sairia prejudicado se fossem eliminados. Quero também desejar boa sorte ao FC Porto e ao Sporting para as suas prestações europeias.