Farense: José Mota promete reação à pesada derrota no Estoril
José Mota, treinador do Farense

Farense: José Mota promete reação à pesada derrota no Estoril

NACIONAL05.01.202413:41

Treinador considera que a goleada (4-0) sofrida foi injusta e garante uma equipa reativa neste sábado com o Gil Vicente

Na antevisão ao jogo com o Gil Vicente, agendado para as 15:30h deste sábado, no São Luís, em Faro, José Mota ‘voltou’ à pesada derrota (4-0) que o Farense sofreu na última ronda no Estoril, considerando-a imerecida e garantindo uma reação positiva dos seus jogadores no duelo com os gilistas.

«No Estoril foi um jogo menos positivo da nossa parte. Temos a consciência de que podíamos e deveríamos ter feito mais. Também é verdade que não tivemos o fator sorte do nosso lado, que é muito importante, porque penso que em termos de oportunidades de golo, elas foram divididas. Mas a verdade é que tivemos uma derrota pesada, que penso que não foi merecida. Mas temos é que pensar no futuro. O que temos feito, nomeadamente nesta semana, é recuperar e percebermos os erros que cometemos e trabalharmos sobre o próximo adversário e também sei que nós, Farense, os adeptos, os jogadores, os treinadores e os dirigentes, somos fortes e recuperamos rapidamente dos desaires ou das coisas menos positivas. Foi uma derrota que como é óbvio deixa marcas, mas que nós temos e vamos reagir a esse resultado negativo, até porque o grupo trabalhou muitíssimo bem durante a semana», apontou o treinador dos ‘leões de Faro’, deixando ainda elogios ao adversário: «Vamos defrontar um adversário de grande valor, com grande experiência na Liga, com jogadores muito experientes e temos que estar a um nível muito bom para levar de vencida o Gil Vicente». 

Apesar desse resultado no Estoril, José Mota rejeita importância acrescida ao jogo com o Gil Vicente, equipa que luta pelos mesmos objetivos do Farense. «Não tem importância acrescida. O próximo jogo é sempre o mais difícil, é aquele que nós temos que estar a prepará-lo com toda a determinação e concentração. Depois, há vários fatores que vão ditar se é mais difícil ou não, depende muitas vezes dos nossos comportamentos e das nossas atitudes. Neste momento, as equipas conhecem-se muito melhor umas às outras, percebem quais são os pontos fortes e os mais fracos», considerou, vincando depois as pretensões dos algarvios: «A nossa ambição passa sempre por obter os três pontos e temos que estar a um nível muito bom. Temos que perceber os momentos de jogo, sermos aquela equipa que quando constrói as oportunidades - e temos construído várias - temos que ser mais eficazes nessa finalização, porque nas oportunidades que têm sido a criadas, tem-nos faltado finalização. Vamos pensar que agora estaremos melhor nesse capítulo para conseguirmos ter o que nós ambicionamos, que é os três pontos», disse.