Ex-internacional dinamarquês confessa arrependimento: «O meu corpo já é uma ruína»
Bendtner em ação frente a Portugal no Euro-2012 (IMAGO / Newspix)

Ex-internacional dinamarquês confessa arrependimento: «O meu corpo já é uma ruína»

INTERNACIONAL08.02.202410:15

Nicklas Bendtner, que passou por Arsenal e Wolfsburgo, pendurou as chuteiras no verão de 2021, aos 33 anos. Carreira ficou marcada por algumas excentricidades e escândalos, como exibir uma marca de uma casa de apostas desportivas nos boxers e ser preso por agredir um taxista em Copenhaga

Nicklas Bendtner, de 36 anos, pendurou as chuteiras no verão de 2021 depois de algumas questões extradesportivas. Quase três anos depois, o antigo internacional dinamarquês, que passou por clubes como Arsenal, Juventus e Wolfsburgo, admite estar arrependido de ter terminado a carreira numa fase tão precoce.

Bendtner e Agger (IMAGO / Laci Perenyi)

«Deixei que o lobo preto de dentro de mim se sobrepusesse ao branco. O meu corpo já é uma ruína. Devido à minha reputação não pude chegar aos clubes que queria. Alguns treinadores disseram-me: ‘Queríamos contratar-te, mas não te vamos aceitar’. Independentemente do que eu dissesse, havia algo que não abonava a meu favor. Então decidi deixar o futebol», começou por referir, no documentário autobiográfico Nicklas Bendtner - The Portrait.

Bendtner no Wolfsburgo (IMAGO / Christian Schroedter)

«Nem tive tempo de pensar bem se o fim de carreira era o correto. Durante os últimos anos, pensei quase todos os dias se deveria tentar voltar. Mas por alguma razão não voltei a colocar as minhas pernas sobre a linha de cal. É uma questão física. Para mim, o futebol é amor. Foi a única coisa que gostei realmente de fazer. Quando entrava em campo, todos os problemas desapareciam. Nunca tentei dececionar alguém de forma propositada. Tenho uma personalidade um pouco difícil e é por isso que pus pessoas em situações mais difíceis do que devia. Agora consigo sentar-me, sendo mais velho, e pensar… Porquê? O que aconteceu? É bem possível que arrependa», completou.

Bendtner e Wenger no Arsenal (IMAGO / Sportimage)

Ao longo da carreira, Bendtner ficou marcado por algumas excentricidades e escândalos, como exibir uma marca de uma casa de apostas desportivas nos boxers e ser preso por agredir um taxista em Copenhaga.