Diogo Leite: «O Pepe é uma inspiração»
Diogo Leite, defesa português do Union Berlim. Foto IMAGO/Matthias Koch

Diogo Leite: «O Pepe é uma inspiração»

INTERNACIONAL24.01.202416:49

O central do Union Berlim deu uma entrevista ao 'Sport Bild', onde fala do seu clube, da seleção, de Ronaldo e descreve o defesa português como uma referência

Em entrevista ao jornal alemão Sport Bild, Diogo Leite abordou vários assuntos, incluindo as suas inspirações. O central português falou de Beckenbauer, Bonucci, Hummels e do seu compatriota, Pepe, a quem gabou o alto nível que mantém há tantos anos.

«Fiquei fascinado com os vídeos [de Beckenbauer] a que assisti. Foi impressionante a elegância com que ele construiu o jogo desde trás, com dribles e passes. Claro, o Pepe também é um deles [defesas que servem de inspiração]. É incrível que ele ainda jogue ao mais alto nível aos 40 anos. Também costumava assistir a vídeos do Mats Hummels e tive a sorte de jogar com o Bonucci em Berlim», disse Leite, questionado sobre as suas referências no eixo da defesa. 

Questionado sobre Cristiano Ronaldo, Diogo Leite fala de um «jogador brilhante» que o «ajudou muito na integração na seleção»: «É um jogador de futebol brilhante, que tem uma personalidade marcante. Ajudou-me muito na Seleção: veio logo ter comigo para conversar, o que facilitou a minha integração e a tornou mais confortável. Isso impressionou-me.»

Sobre o início de época desapontante do Union Berlim, Diogo Leite diz que foi um momento «difícil», mas responde com esperança. «Entretanto, tivemos alguns resultados encorajadores: vencemos em casa o Gladbach e o Colónia em dezembro e empatámos 0-0 em Friburgo no ano novo. A nossa confiança voltou e também queremos marcar em Munique. O Union tem uma equipa de grande qualidade, um grupo que funciona bem e adeptos fantásticos. É como uma família.» 

Urs Fischer foi demitido e deu lugar a Nenad Bjelica, um técnico com «ideias muito diferentes»: «Em primeiro lugar, estou muito grato a Urs Fischer, que me ajudou muito a integrar no Union. Mais ainda porque Berlim é a minha primeira experiência no estrangeiro. Ele fez muito pelo clube e tornou-se numa lenda aqui. No que diz respeito ao nosso novo treinador, ele tem ideias diferentes. Por exemplo, ter mais controle de bola na preparação do jogo para criar mais oportunidades de golo.»

«Faço sessões extra, trato de comer e de dormir bem. Não podemos treinar bem se estivermos cansados. Preciso de oito horas por dia, costumo ir para a cama entre as 22 e as 23h. E, quando durmo, uso sempre um anel especial que regista dados, que analiso no dia seguinte. Isso ajuda-me», diz, sobre a sua rotina de trabalho. O objetivo é, diz, voltar à seleção, para disputar o Euro 2024: «Estive lá em 2023 e quero voltar. É o meu objetivo, especialmente porque o torneio será realizado na Alemanha.»