Bomba: Scaloni dá a entender que pode deixar seleção argentina
Lionel Scaloni (Imago)

Bomba: Scaloni dá a entender que pode deixar seleção argentina

INTERNACIONAL22.11.202310:10

«Tenho muito em que pensar», disse o selecionador campeão do Mundo

Ainda se festejava a vitória no Maracanã sobre o Brasil (1-0), quando caiu a bomba: o selecionador Lionel Scaloni não garantia, na sala de imprensa, a sua continuidade à frente da seleção campeã do mundo. «Vou pensar no que vou fazer…», soltou.

Foi já no final da conferência que verbalizou as ideias que chocaram adeptos e até os jogadores, que ficaram a saber no balneário.

«Uma coisa importante que queria dizer é que é preciso parar a bola; pensar, tenho muito em que pensar. Este grupo de jogadores deu-me muito, deu muito a toda a equipa técnica e preciso de pensar muito no que vou fazer», referiu. 

«Não é um adeus nem nada disso, mas preciso de pensar, porque a fasquia está muito alta e é difícil continuar, difícil continuar a ganhar, os rapazes dificultam a coisa. Vou ter de pensar sobre este tempo, vou falar com o Presidente e com os jogadores. Esta seleção precisa de um treinador que tenha toda a energia possível e que esteja bem», explicou Scaloni, saindo da sala. 

Scaloni leva um ciclo de 66 jogos, tendo começado de forma interina do Mundial da Rússia em 2018 – ganhou 48 jogos, empatou 12 e perdeu 6. 

O jornal TyC Sports refere que Scaloni pediu à sua equipa técnica que fosse ao relvado no final do jogo para uma foto todos juntos. Terá sido de despedida?

Otamendi falou de como foram vistas as declarações de Scaloni no balneário, detalhando que não houve conversa entre o técnico e a equipa devido a várias ausências: «Temos que conversar sobre isso. Palavras são desnecessárias agora, acho que temos que conversar pessoalmente. Recebemos a informação e... pronto, vamos tentar conversar e ver o que acontece. Ainda não estivemos todos juntos, o Di María) estava no controlo antidoping, o Leo (Messi) em tratamento. Seguramente vamos falar», disse.