DOMINGO, 30-08-2015, ANO 16, N.º 5692
Resultados da 1.ª fase
Resultados dos jogos da 1.ª fase da Taça da Liga já realizados. Oliveirense, Feirense, Leixões, Académico, Varzim, Oriental, Penafiel, Portimonense e Atlético são as equipas apuradas para a próxima ronda.
Taça da Liga
legenda
02-08-2015 - 19:12
Oliveirense elimina Farense nas grandes penalidades
Taça da Liga A Oliveirense garantiu o acesso à segunda fase da Taça da Liga, depois de eliminar o Farense nas grandes penalidades (5-3), num encontro que terminou empatado (1-1) no final dos 90 minutos. Na estreia da competição, Osama colocou os leões de Faro em vantagem logo aos cinco minutos, mas Carlitos, em tempo de descontos, empatou para o conjunto orientado por Artur Marques, numa altura em que os algarvios já estavam reduzidos a nove unidades. Na próxima eliminatória a Oliveirense medirá forças frente ao Famalicão.
Artur Marques, treinador da Oliveirense
01-08-2015 - 21:04
Mafra estreia-se nas competições profissionais
Taça da Liga A primeira fase da nona edição da Taça da Liga marca a estreia do Mafra nas competições profissionais de futebol, com a receção ao Leixões, no domingo, um dia depois de Oliveirense e Farense iniciarem a ronda. O Gil Vicente vai defrontar o Académico de Viseu, em Barcelos, e o Penafiel recebe o Olhanense na eliminatória que dá acesso à ronda que já vai contar com equipas da I Liga. Nessa fase o Marítimo vai receber a Académica, o Vitória de Setúbal visita o Moreirense, o Rio Ave defronta o Vitória de Guimarães, em Vila do Conde, o União da Madeira enfrenta o Paços de Ferreira e o Tondela recebe o Nacional. A prova que vai inaugurar internamente a época 2015/16 começa no sábado com o jogo entre Oliveirense e Farense.
Alterações à primeira jornada da primeira fase
Taça da Liga A Liga de Clubes anunciou, esta segunda-feira, o calendário da primeira jornada da primeira fase da Taça da Liga, a realizar no fim de semana de 1 e 2 de agosto. Programa: Sábado, 1 agosto Oliveirense - Farense, 18 horas Domingo, 2 agosto: Mafra - Leixões, 16 horas Gil Vicente - Académico, 16 horas Feirense - Covilhã, 16 horas Santa Clara - Atlético, 16 horas (17 em Portugal continental) Penafiel - Olhanense, 17 horas Portimonense - Aves, 17 horas Chaves - Varzim, 17 horas Oriental - Freamunde, 18 horas
Chaves-Varzim na primeira ronda
Taça da Liga O Chaves irá receber o Varzim, em Trás-os-Montes, em jogo da primeira fase da Taça da Liga 2015/16, cujo sorteio foi efetuado na tarde deste sábado, no Cine-Teatro Municipal de Loulé. A primeira fase da competição, com 18 clubes, todos da 2.ª Liga, envolverá a eliminação direta, num só jogo, com os encontros a disputarem-se no próximo dia 2 de agosto. O sorteio ditou o reencontro de transmontanos e poveiros, outrora um clássico do principal escalão do futebol português, esta época com os emblemas na 2.ª Liga. O Famalicão ficou isento no sorteio, realizado no Algarve, com João Pinto, ex-jogador e capitão de equipa do FC Porto, a tirar as bolas dos potes que ditaram o acasalamento dos clubes na prova. Os oito jogos da 1.ª fase da Taça da Liga 2015/16, a disputarem-se a 2 de agosto, são os seguintes: Santa Clara-Atlético Penafiel-Olhanense Portimonense-Aves Oliveirense-Farense Mafra-Leixões Chaves-Varzim Gil Vicente-Académico Oriental-Freamunde Feirense-Covilhã Realizou-se ainda o sorteio da 2.ª fase da Taça da Liga, que determinou os seguintes jogos: Moreirense–V. Setúbal Oriental/Freamunde–Estoril Mafra/Leixões–Gil Vicente/Académico Feirense/Covilhã–Boavista Chaves/Varzim–Arouca União–Paços de Ferreira Tondela–Nacional Santa Clara/Atlético–Belenenses Marítimo–Académica Oliveirense/Farense–Famalicão Rio Ave–V. Guimarães Penafiel/Olhanense–Portimonense/Aves
Benfica vence Marítimo (2-1)
Taça da Liga O Benfica derrotou o Marítimo, por 2-1, no Estádio Cidade Coimbra, tendo assim conquistado a Taça da Liga
PAULO NOVAIS/LUSA
29-05-2015 - 21:37
Coimbra pintada de vermelho
Taça da Liga Já são muitos os adeptos do Benfica nas imediações do Estádio Cidade de Coimbra onde, a partir das 19.45 horas, os encarnados vão medir forças com o Marítimo na final da Taça da Liga. Refira-se também que há alguns aficionados do conjunto insular em redor do recinto conimbricense, sendo que alguns deles chegaram ontem e pernoitaram em Coimbra. Em relação aos bilhetes para a partida que decidirá o vencedor da 8.ª edição da Taça da Liga, já são muito poucos os que estão disponíveis, sendo que o Benfica terá, com toda a certeza, uma grande falange de apoio no Estádio Cidade de Coimbra. A cidade do conhecimento já está, de resto, pintada de vermelho quando ainda faltam cerca de sete horas para o início do jogo.
Carlos Xistra quer ter influência positiva na final
Taça da Liga Carlos Xistra, árbitro de Castelo Branco, foi o primeiro a surgir na sala de Imprensa para antever a final da Taça da Liga. As equipas são-lhe bem conhecidas, pelo que o trabalho de casa foi fácil de fazer. «Esta época apitei o Marítimo quatro vezes, o Benfica duas, e já estive num jogo entre as duas formações. Quero contribuir positivamente para esta final, quero ter influência positiva, o que se consegue com boa prestação», avançou o juiz, ladeado de duas jovens promessas da arbitragem nacional, ambos de 16 anos, Ana Luísa Baptista e Ivo Ramos, sublinhando, ainda, apitar a final com dois árbitros assistentes que hoje se despedem da arbitragem: Luís Marcelino e Alexandre Freitas. Com o troféu na Sala de Imprensa do Estádio Cidade de Coimbra, Carlos Xistra manifestou vontade de que tudo corra pelo melhor, satisfeito também com o auxílio da tecnologia linha de golo. «Tudo o que for para ajudar à verdade desportiva é benéfico. Agora, se me perguntam o que prefiro, prefiro a introdução dos árbitros de baliza», avançou o árbitro de 41 anos.
PSP e Liga garantem segurança para a final
Taça da Liga No seguimento das iniciativas levadas a cabo pela Liga tendo em vista a final da Taça da Liga, que se disputa esta sexta-feira (19.45 horas), entre Benfica e Marítimo, no Estádio Cidade de Coimbra, esta quarta-feira foi destinada à conferência de Imprensa de segurança. Na ocasião, Margarida Oliveira, Comissária da Polícia de Segurança Pública, referiu que tudo está a ser preparado ao pormenor para que o jogo seja uma verdadeira festa de família: - Estamos a falar de uma final, claro que é um jogo de risco e, como tal, o contingente policial será o suficiente para garantir toda a segurança necessária. Incidentes em Guimarães? Não posso garantir que não se repitam quaisquer tipo de incidentes mas o que se passou não me compete a mim comentar. O que posso dizer é que tudo estamos a fazer para garantir total segurança a todos os intervenientes no espetáculo. Solicitamos a todos os adeptos que cheguem atempadamente às imediações do Estádio Cidade de Coimbra e que não tragam objetos que não possam entrar no recinto, casos de armas, engenhos pirotécnicos ou qualquer outros que possam ser arremessados. Tentaremos ser o mais minuciosos possível na revista de segurança. Em relação à circulação rodoviária, a partir das 17 horas a mesma não vai ser possível em redor do Estádio, com exceção dos autocarros que transportem adeptos de ambas as equipas que viajem de forma organizada. Para esses, haverá parques de estacionamento devidamente sinalizados. Na conferência marcou também presença Helena Pires, Diretora de Competições da Liga, que também deixou vários apelos aos adeptos que vão assistir ao vivo ao encontro entre o Benfica e o Marítimo. «É um jogo de nível 1 e há uma grande coordenação das forças de segurança. Queremos que seja uma grande festa, uma festa de muitas famílias. Os adeptos do Benfica entrarão pela porta 5 A e ocuparão o topo sul e uma parte da bancada central. Já em relação aos adeptos do Marítimo, deverão entrar pela Porta 8 A, ocupando o topo norte e outra parte da bancada central. Claro que a massa associativa do Marítimo é menor do que a do Benfica e, como tal, se tivesse que entrar no campo estatístico diria que talvez tenhamos 25 a 30 por cento de aficionados do Marítimo e 70 a 75 por cento de adeptos do Benfica. A abertura das portas do Estádio será às 17.45 horas, duas horas antes do início do jogo, e apelamos a todos que venham com tempo para o Estádio e entrem atempadamente no recinto. Vamos também garantir que todos os postos de primeiros socorros existentes no Estádio estejam abertos para situações de necessidade que possam ocorrer», concluiu.
Bilhetes para a Taça da Liga esgotados
Benfica O Benfica informou esta quarta-feira que todos os bilhetes atribuídos ao clube para a final da Taça da Liga foram vendidos. Existem ainda ingressos à venda nas bilheteiras do Estádio Cidade de Coimbra. A final da Taça da Liga entre Benfica e Marítimo esta marcada para a próxima sexta-feira, dia 29 de maio, às 19.45 horas.
Final da Taça da Liga apresentada em Coimbra
Taça da Liga A final da Taça da Liga, entre Benfica e Marítimo, e que está agendada para as 19.45 horas da próxima sexta-feira, foi apresentada na tarde desta terça-feira, numa conferência de Imprensa que decorreu no Estádio Cidade de Coimbra e que contou com as presenças de Luís Duque (Presidente da Liga), José Eduardo Simões (Presidente da Académica), Luís Cunha Velho (Diretor Geral da TVI) e Carlos Cidade (Vereador do Desporto da Câmara Municipal de Coimbra). Luís Duque destacou a importância que a mais jovem competição do calendário nacional tem ganho nos últimos anos e sublinhou a introdução da nova tecnologia: - Há algum tempo a Taça da Liga estava em risco. Felizmente, estamos aqui hoje para a realização da final. É uma competição que já ganhou espaço no quadro competitivo, é a prova elite, com características próprias. Este ano até vamos ter pela primeira vez uma equipa das Ilhas na final. Temos a lotação quase esgotada, apesar de o jogo ser a uma sexta-feira. Isto só comprova que a competição é de referência. Penso que podemos assistir aqui a um virar de página no futebol português, com as novas tecnologias implementadas. É algo que será sempre a favor do futebol e da transparência. A tecnologia permite minimizar o erro. A Liga está, estrategicamente, a abrir-se às novas tecnologias. No entanto, o árbitro continua a ser soberano e cabe-lhe sempre a ele a última palavra. É uma novidade e é o princípio do que pretendemos introduzir, no futuro, nas nossas competições. José Eduardo Simões, presidente da Académica, destacou a importância da final ser, novamente, em Coimbra e ainda o facto de os clubes terem tido uma grande abertura face aos problemas recentes da Liga. «A Taça da Liga é extremamente interessante em termos desportivos. Este ano teve grande solidariedade dos clubes devido aos problemas da Liga nos últimos anos. Todos os clubes decidiram abdicar das suas receitas para equilibrar as receitas e custos da Liga. É um prazer, uma responsabilidade e um agradecimento: Coimbra queria que a Taça da Liga viesse para aqui. Em Coimbra sabemos dizer que sim e que quando damos as mãos conseguimos fazer coisas, às vezes muito difíceis, com qualidade. Vai ser uma grande festa, estou certo», afirmou. O Diretor Geral da TVI, Luís Cunha Velho, destaca a mobilização feita pela estação de televisão para aquilo que se pretende que seja uma grande festa do futebol. «A Taça da Liga vai ser uma festa e é isso que queremos para esta final. Esta competição é, nos últimos anos, a única que é transmitida em sinal aberto. O futebol é uma festa de família, mesmo com as rivalidades normais, e mobilizámos para esta final meios para que todos possam assistir a uma grande emissão: mais de 80 técnicos e 2 carros de exteriores. Terá uma captação do melhor que se faz em transmissões desportivas. Não iremos transmitir só o jogo em si. Também teremos outros programas, na TVI 24, antes e depois do jogo», disse. Também Carlos Cidade, Vereador do Desporto da Câmara Municipal de Coimbra, destacou a abertura da edilidade para receber eventos como este: «É uma honra para Coimbra receber, mais uma vez, a final da Taça da Liga. Desde a primeira hora que a Câmara Municipal de Coimbra demonstrou a sua disponibilidade e todo o apoio possível. Não tenho dúvidas de que com a colaboração da Liga, da Académica e da Câmara estão criadas todas as condições para que o espetáculo seja uma grande festa. A cidade de Coimbra está aberta para receber todas as pessoas, com as devidas condições de segurança e acolhimento. Todos são bem-vindos.»
Ninfomaníaca? Ser mulher? Ou foi outra coisa que irritou Mourinho...
Para lá do que se vê Ganhou fama como uma foto que não era a sua, mas agora os holofotes caíram sobre si – Eva Carneiro, a médica do Chelsea que nada tem de Portugal a não ser o nome. Nasceu em Gibraltar, filha de pai espanhol e mãe inglesa. Em criança gostava de ballet e equitação, além de dançar salsa e samba. Mas uma viagem ao México, mudou-lhe por completo o destino. Conheceu o futebol durante o Mundial de 1998, ganhando um ´bichinho´ que não mais largou, tornando-se ´especialista´ no desporto-rei. Estudou medicina, mas rapidamente direcionou a sua carreira para o desporto, tendo passado dois anos num instituto médico desportivo em Melboune, na Austrália. Em Londres, acompanhou a seleção feminina de futebol inglesa e trabalhou de perto com os atletas britânicos que competiram nos Jogos Olímpicos de 2008. É simpatizante do Real Madrid, mas só tem olhos para os ´blues´, afinal é o Chelsea que lhe paga o ordenado. Começou por trabalhar nas reservas, até chamar a atenção de Andre-Villas Boas que a levou diretamente para o banco da equipa principal. Ele saiu, mas ela permaneceu apesar de todos os comentários sexistas por ser mulher. Até agora, até declarar guerra a Mourinho quando decidiu ir atrás de um jogador quando o ´special one´ dizia ser só cansaço. Uma decisão que nada surpreendeu Rupert Patterson-Ward, o ex-namorado que a acusou de ser ninfomaníaca e ter relações com os jogadores. Afinal, qual foi o pecado de Eva? Nunca foi de estar parada, já desde criança tinha o ´bichinho´ do desporto. Praticou equitação e dançou ballet, mas não foi muito além – em ambos tinha dores e lesões musculares, que aligeirava com repouso, mas sabia que nunca poderia ser uma atleta de elite. Decidiu mudar de ares. Teve a ideia de ser médica e foi parar ao futebol. A caminho do México apaixonou-se pelo futebol ao ver jogar a seleção brasileira Chama-se Eva Carneiro, o apelido induz em erro, além de que, ganhou fama com uma foto que não era dela, mas sim da modelo russa, Eliska Kovarova. Filha de pai espanhol e mãe inglesa, nasceu em Gibraltar a 15 de setembro de 1973. Tinha 16 anos quando escolheu a profissão ao ver um jogo da Liga dos Campeões – queria ser como os médicos que corriam do banco para assistir os jogadores com dificuldades. Estudou medicina em Nottingham onde mais tarde se mudou para Melboune, especializando-se em medicina desportiva. A passagem pela Austrália fez com que ficasse fã de surf, modalidade que ainda pratica. «Passar um dia inteiro a surfar em boa companhia é a melhor coisa que pode haver». O contacto com o futebol propriamente dito, surgiu mais tarde, durante uma viagem ao México, na mesma altura que decorria o Mundial de 1998 e a cidade se enchia de turistas brasileiros, que se juntavam em grande festa para ver a sua seleção jogar. Com tanta animação, Eva não conseguiu ficar indiferente, todo aquele frenesim mexeu com ela. Mal sabia, que depois daquele dia, nunca mais seria a mesma. «Viajava para o México e paramos numa cidade que era o destino de lua-de-mel dos brasileiros. Eles fizeram uma festa para celebrar o jogo do Brasil. Na época estava mais interessada em aprender a sambar. Os brasileiros dançaram depois de cada golo e durante o intervalo. No final do jogo estava viciada em futebol e samba». A paixão e o sonho levaram-na a mudar-se para Londres, onde tirou o mestrado e trabalhou para o West Ham, enquanto completava a tese de doutoramento. Nessa altura, Eva trabalhou no Instituto Médico Olímpico, onde acompanhou os atletas britânicos que competiram nos Jogos Olímpicos de 2008, e exerceu funções na Federação Inglesa de Futebol (seleção feminina). Do reinado com Villas-Boas à repulsa com José Mourinho O verdadeiro sonho de Eva concretizou-se em 2009, quando ingressou no Chelsea, o clube londrino liderado pelo magnata russo, Roman Abramovich. Começou por trabalhar com as camadas jovens e nas reservas até que, chamou a atenção de Andre-Villas Boas, o português campeão que tinha acabado de trocar o FC Porto rumo ao desconhecido. A 16 de agosto de 2011, Villas Boas não pode contar com Paco Biosca, o novo chefe espanhol do departamento médico do clube - não tinha os papéis em ordem a tempo de se sentar no banco durante os jogos dos ´blues´. Um erro burocrático que acabou por ser a chave de ouro para Eva, que saltou das reservas diretamente para o banco durante a abertura da ´Premier League´. O êxito foi tanto que nunca mais deixou de acompanhar a equipa. O sexismo por ser mulher O mediatismo de haver uma mulher no banco fez com que se tornasse uma figura reconhecida em todo o mundo, mesmo que nem sempre pelas melhores razões. A primeira vez que Eva teve que lidar com o facto de ser uma mulher médica num mundo dominado pelos homens, aconteceu durante uma viagem ao Brasil. Durante o voo, uma senhora entrara em trabalho de parto. «O meu português era tão mau que nem consegui perceber que estavam a perguntar se havia algum médico. Felizmente, havia um brasileiro a bordo que respondeu rapidamente ao pedido, e depois ajudei-o». Apesar de ter ajudado a fazer um parto em pleno avião, Eva não gostou da forma como foi tratada pela imprensa brasileira. Podia ler-se: «um médico e uma enfermeira fizeram o trabalho de parto». Estereótipos à parte, em Stamford Bridge ninguém a esqueceu. Mesmo depois da saída de Villas Boas, continuaram a chamar Eva ao banco principal...e seguiram-se outros reinados - Di Matteo, Rafa Benitez e o ´special one´, José Mourinho. Eva que outrora era uma mera desconhecida, começou a ganhar fama, e tornou-se um alvo fácil para os constantes piropos nos estádios ingleses, tanto que, impulsionou uma campanha contra o sexismo em Inglaterra. Do seu lado, tinha a Ministra britânica do desporto, Helen Grant, que veio a público exigir que se atuasse mais contra a discriminação. E quando tudo parecia mais calmo, a bomba voltou a explodir, e Eva voltou a ser o centro das atenções. O pecado de Eva No Chelsea, Eva tinha a exclusiva missão de se preocupar com a saúde dos jogadores, mas para Mourinho, Eva falhou num aspeto – esqueceu-se do jogo e de pensar como um treinador em situações de risco. Se antes era considerada a musa dos ´blues´, hoje é uma carta em cima da mesa. Eva esperou mais de uma década até cumprir o sonho, e agora caiu do pedestal. A razão? Não caiu nas graças de José Mourinho durante o jogo frente ao Swansea, quando Eden Hazard apresentou problemas físicos, numa altura em que o Chelsea jogava reduzido a dez elementos. Mourinho não queria que lhe fosse prestada assistência, insistia que o jogador estava apenas cansado, mas o árbitro deu ordem e Eva seguiu o fisioterapeuta Jon Fearn para dentro de campo. Momentaneamente, o Chelsea jogou apenas com nove elementos, o que não agradou a Mourinho. Para piorar a situação, Eva recorreu às redes sociais para agradecer as muitas mensagens de apoio, o que acabou por condenar a sua posição no banco de suplentes. Quem manda no banco é Mourinho, e desde então, Eva não voltou a ser convidada a sentar-se nele. A questão é iminente: permanecerá ligada ao Chelsea? Não sabemos, mas a verdade é que Eva simpatiza com o Real Madrid, mas desde que trabalha em Londres só tem olhos para os ´blues´. E em Espanha, uma recente petição ´online´ já fez um apelo para que a médica assine pelo Barcelona. Ninfomaníaca? Os ´affairs´ com os jogadores do Chelsea E o calvário de Eva parece não ter fim. Depois da ´guerra´ com Mourinho, foi a vez de Rupert Patterson-Ward, o ex-namorado dar que falar. «Ela arruinou a minha vida. A Eva disse-me que dormiu com um dos jogadores». Ao jornal ´The Sun´, Rupert não poupou nas críticas à ex-companheira e acusou-a de ter escondido casos amorosos. «Orgulhava-se de ser popular entre os jogadores. Adora ser o centro das atenções». O antigo namorado revelou ainda que, algumas vezes, «elementos do plantel do Chelsea ligavam-lhe à noite a dizer que tinham problemas musculares». Eva saía de casa às 21 ou 22 horas e só voltava no dia seguinte. «A Eva é uma mulher muito sexual e poucas pessoas sabem como ela é. É cruel e consegue tudo o que quer, sempre que o quer. Eu estava obcecado com ela e já estávamos a planear uma família, mas ela usou-me e deitou-me fora. É ambiciosa e não tem escrúpulos. A Eva adora sexo, fazíamos amor todos os dias. É uma ninfomaníaca». ...
Estilos e Espantos Licenciou-se em Criminologia, ambiciona ser Inspetora da Policia Judiciária e fama não lhe falta. Nos tempos livres faz de modelo, e nas redes sociais não há quem passe despercebido aos seus encantos onde conta com mais de 14.000 seguidores. Juliana Rocha é uma mulher renascentista, quem olha para ela, não diz o que é – uma campeã de boxe. Aventurou-se pelos caminhos das artes marciais tinha apenas cinco anos. Pentacampeã nacional na categoria de -64 Kg, ficou conhecida como ´Piton´ nos ringues, devido à forma como encara os seus combates. Fã incondicional de Muhammed Ali, promete dar que falar nos próximos Jogos Olímpicos no Brasil. Para já, sabe-se que é pugilista do FC Porto, em Espanha faz tanto furor como Iker Casillas e há mesmo quem a considere a Ronda Rousey portuguesa... É a mais nova dos Jovens Sem Fronteiras, movimento missionário de Fiães, terra onde nasceu. É católica praticante e gosta de ajudar o próximo – costuma participar em quermesses para angariar bens para quem precisa e ajuda a organizar jantares com meninos sem família. Ao longe, ninguém diz o que é. Menina de passerelles, tem por hábito refugiar-se no cinema nas horas vagas – ´Cinderella Man´ e ´Million Dollar Baby´, estão na lista de favoritos. «Todas as vezes que o revejo, é uma situação complicada. Depende dos filmes, mas há muitos que me põem a chorar». E a escolha tem uma explicação. Quando não é modelo, Juliana Rocha Piton é pugilista de alta competição e não se sente ´arrependida´, muito menos discriminada, por ter entrado num mundo que é dominado pelos homens. Caso contrário, admite, «não faria sentido estar no boxe». Menina-prodígio do boxe português quer ser a próxima Ronda Rousey Foi através do pai, Álvaro Rocha, grande adepto de desportos de combate que, Juliana conheceu o mundo das artes marciais. Iniciou-se no karaté, tinha apenas cinco anos, até passar para o kickboxing. Aos 14, já encarava competições a nível internacional e em novembro de 2005, sagrou-se pela primeira vez campeã da Europa na modalidade. Só mais tarde foi apresentada ao boxe, e ao fim de seis anos, já contava com quatro títulos nacionais consecutivos. «Não é fácil, envolve sempre muito trabalho e dedicação». Em 2009, Juliana ganhou a medalha de prata no Torneio Internacional ´Boxam´ em Cádis. Recentemente sagrou-se campeã ibérica ao derrotar a campeã de Espanha. Os Jogos Olímpicos são, mais que um objetivo, o seu maior sonho. Para os olhos alheios, o boxe é um desporto predominantemente praticado por homens, mas Juliana encara a competição de outra forma. «É bom ser mulher e praticar boxe». As pessoas com quem se cruza mostram-se admiradas pelo facto de ser pugilista. A paixão pela modalidade é tão grande que até já contagiou algumas amigas da faculdade, ´muito curiosas´ com o fenómeno. Nascida a 7 de março de 1992, Juliana é aos 23 anos, uma das referências do boxe feminino de Portugal. Agenciada pela Central Models, Juliana tem ganho espaço no mercado publicitário e já é tratada como um dos novos fenómenos do país. Fã de Ronda Rousey, é encarada como a nova musa do desporto em Portugal. A carreira como Inspetora da Polícia Judiciaria Além de boxeadora profissional e modelo, Juliana também é formada em criminologia pela Faculdade de Direito da Universidade do Porto e tem mestrado pela Faculdade de Medicina da Universidade do Porto. No futuro, ambiciona integrar a Polícia Judiciária, dado o seu gosto por questões criminais. «É preciso querer e gostar, acima de tudo. Costumo dizer que a minha vida é como uma pizza em que preciso de todas estas atividades para que esteja equilibrada e, quando uma destas fatias está mais fragilizada, sinto-me afetada». Pentacampeã nacional, Juliana foi em 2011, protagonista do documentário em curta-metragem ´Píton´, idealizado por André Guiomar como trabalho final de conclusão do curso de Som e Imagem da Universidade Católica, da cidade do Porto. Um projeto que, tornou-se um premiado documentário português: «Na altura tinha meramente a ideia de entregar o trabalho na universidade», comentou André ao site ´P3´, dias depois de ter visto o seu trabalho ser premiado mais uma vez, com o primeiro lugar do ´NY Portuguese Film Festival´. O FC Porto que tanto encanta Espanha Julen Lopetegui deu que falar quando recebeu no Dragão, Iker Casillas, o mediático guarda-redes do Real Madrid e da Seleção Espanhola. Além dos novos trunfos no futebol, o FC Porto tem dado que falar por outros motivos – é que Juliana treina no clube de boxe dos dragões e quer a todo o custo competir nos Jogos Olímpicos de Rio de Janeiro de 2016. Uma destreza que já conquistou a vizinha Espanha, que além de Casillas tem os olhos postos em Juliana. Foi o caso do jornal desportivo ´Marca´ que ficou rendido aos encantos da pugilista azul e branca, desmistificando a ideia de que, dizem eles, ´todas as portuguesas têm bigode´. Fã incondicional do mítico ´Muhammed Ali´, um dos maiores pugilistas da história do desporto, Juliana é toda uma mulher renascentista – usa a beleza para no ringue, nocautear qualquer adversário, mas não precisa de apresentações – nas redes sociais, tanto no Facebook como no Instagram, conta já com mais de 14.000 seguidores. ...
Estilos e Espantos É muçulmano, nasceu na Bélgica e é um dos diamantes da fórmula mágica de Loius Van Gaal. Dentro dos relvados, é uma espécie de Pablo Osvaldo – já foi suspenso por agredir um adversário em pleno jogo; quase que enganou José Mourinho; foi apanhado pela polícia quando conduzia alcoolizado. Fora de campo, é um verdadeiro Don Juan, e até já teve que fugir das mulheres - primeiro namorou uma Miss, depois apaixonou-se por uma atriz pornográfica e agora ao que parece namora com uma modelo que já foi capa da Playboy. Azar no jogo ou sorte no amor? Saiba o que andou a fazer Marouane Fellaini... Tem 1,94m e uma cabeleira estilo ´black power´, mas também sabe jogar futebol. Tinha oito anos quando começou a dar os primeiros pontapés na bola. Fellaini é muçulmano, filho de Abdellatif, um ex-guarda-redes marroquino que passou pelo Raja Casablanca na década de 80. Na altura, o pai chegou a assinar contrato com o Racing Mechelen, clube modesto da Bélgica, mas o Raja recusou-se a emitir os documentos necessários para a transferência e a negociação ficou desfeita. Não quis voltar a Marrocos, e tornou-se motorista de autocarros na Bélgica. A 22 de novembro de 1987, nascia Marouane Fellaini, um outro astro do futebol. Trocou Liverpool por Manchester para fugir ao assédio das mulheres Fellaini brilhou com a camisola do Everton entre 2008 e 2013, altura que despertou o interesse do Manchester United, liderado por David Moyes, o seu antigo técnico na equipe de Liverpool. No verão de 2013, mudou-se para Old Trafford, no último dia da janela de transferências (em troca de 32,4 milhões de euros). Mas a primeira temporada não foi fácil – prejudicado por lesões e má forma, oscilou entre a titularidade e o banco de reservas. Apesar disso, o técnico escocês durou apenas dez meses no comando do Manchester United, antes de ser demitido. A equipa terminou em sétimo no campeonato e foi a vez de Louis Van Gaal assumir o poder. Uma oportunidade para Fellaini, que caiu nas boas graças do novo treinador. «Van Gaal exige muito nos treinos, assim como no jogo. Ele é assim. Gosta quando os jogadores dão tudo, isso deixa-o feliz. Se não for assim, discute e grita. Cada dia aprendemos algo». Agressões, fuga à autoridade e mulheres Marouane Fellaini bem tenta manter-se longe dos holofotes mas sem sucesso. O ex-jogador do Everton admitiu ter feito as malas para a cidade de Manchester devido ao assédio de que era alvo por parte das adeptas em Liverpool. «As mulheres não me largavam. Era demasiado. Em Manchester, não sou tão reconhecido e sou tratado de forma mais respeitadora. Não quero ser uma estrela, apenas jogar futebol». E quando não estava a ´fugir´ das mulheres, eram os adversários que fugiam dele nos relvados. Já no Manchester, Fellaini, foi castigado com três jogos de suspensão por ter agredido Ryan Shawcross do Stoke City. A 15 minutos do final da partida, o belga agrediu Ryan Shawcross com uma violenta cabeçada na sequência da marcação de um livre. Para piorar a situação, chegou a ser apanhado pela polícia quando conduzia alcoolizado. O episódio aconteceu na madrugada após a vitória da equipe sobre o Liverpool. O irmão, um tal de Mansour que atrapalhou Mourinho No dia em que o Chelsea iria receber o Manchester United, José Mourinho viveu um momento de alvoroço no hotel onde os ´blues´ estavam instalados. Tudo porque Mansour – o irmão de Marouane apareceu na receção do hotel e disse que ia buscar os bilhetes para o jogo que pedira a Eden Hazard, jogador do Chelsea. Atrapalhado, o rececionista ligou ao treinador português, que ficou preocupado com a possibilidade de um principais jogadores do rival não jogarem, visto que, tinha treinado a equipa a contar com o internacional belga. Mourinho apressou-se a correr à receção, mostrando ao porteiro do hotel uma fotografia dos irmãos gémeos Fellaini para identificar qual deles havia entrado. O porteiro apontou para o irmão – as semelhanças físicas são bastantes mas Mourinho teve sorte, não era ele, mas mesmo assim, o Chelsea venceu por 1-0. Don Juan do futebol Fellaini tornou-se ao que parece um verdadeiro diamante raro em Manchester, mas o seu forte são as mulheres. Durante muito tempo, foi o fiel companheiro de Lara Binet, a namorada de longa data, finalista ´Miss Bélgica´ em 2011. Mas o conto de fadas terminou em 2012. De lá para cá, fugiu delas, mas em 2014, pela altura do Mundial do Brasil, deixou-se conquistar por Roxanne Jeffers. Uma relação que também chegou ao fim, já que, segundo o jornal espanhol ´Mundo Deportivo´, o médio do Manchester United terá deixado a atriz pornográfica para assumir uma relação com a modelo internacional Gaelle García Díaz. ...

destaques