Polémica do número de títulos: conheça os pareceres pedidos pela FPF

Futebol 14-06-2022 08:13
Por Ricardo Quaresma

A Federação Portuguesa de Futebol já tem em sua posse dois pareceres elaborados por investigadores de universidades de Lisboa, Porto e Coimbra sobre a categorização das competições nacionais, que serão votados em Assembleia Geral Extraordinária no dia 29 de junho - em que serão também sujeitos a ratificação os regulamentos de arbitragem e disciplina votados na passada semana em AG da Liga -, uma reunião que pode reescrever a história dos títulos nacionais de futebol.

A criação da Comissão Independente para Análise dos Títulos Nacionais (CIATN), em 2018, surgiu na sequência da pretensão apresentada pelo Sporting, que reclamava mais quatro títulos da Liga Portuguesa pelo facto de ter conquistado por quatro vezes (1922/1923, 1933/1934, 1935/1936 e 1937/1938) o Campeonato de Portugal, prova que decorreu entre 1921/1922 até 1937/1938, cujos vencedores, no entendimento dos leões, deviam ver os seus nomes incluídos na lista de clubes campeões nacionais.
 

Conforme prometera quando recebeu a exposição apresentada pelo Sporting a Federação Portuguesa de Futebol entregou a análise e avaliação histórica das competições a um grupo de especialistas – a denominada Comissão Independente para Análise dos Títulos Nacionais (CIATN) -, que quase quatro anos depois entrega os resultados desse trabalho. E, sabe A BOLA, a discussão e aprovação vão dois pareceres. E se um deles for aprovado – a AG da federação pode decidir não aprovar nenhum deles… -, seja qual for, a lista de títulos nacionais será alterada.
 

- PARECER 1

Elaborado pela por Amândio J. M. Barros, Manuel A. Janeira e Ricardo C. Pereira (todos indicados pela Universidade do Porto) e Sílvia A. C. Alves (da Universidade de Lisboa), este parecer seria o que alterações mais drásticas introduziria no palmarés das duas principais provas nacionais. «Os vencedores do Campeonato de Portugal entre as épocas 1921/1922 e 1933/1934 devem ser considerados como campeões nacionais, bem como os vencedores do Campeonato das Ligas (entre 1934/1935 e 1937/1938) que precede o Campeonato Nacional. Os vencedores do Campeonato de Portugal entre 1934/1935 e 1937/1938 devem ser reconhecidos como vencedores da Taça de Portugal.», pode ler-se.

Ou seja, o Sporting passará a ter, se foi este o parecer aprovado pelos sócios, mais dois títulos de campeão nacional, tal como Benfica, mas os grandes beneficiados seriam FC Porto (+3) e Belenenses (+3). E Marítimo, Carcavelinhos e Olhanense passariam a constar também na lista de campeões nacionais. No que a Taças de Portugal diz respeito, o Sporting ficaria com mais duas, Benfica e FC Porto com mais uma cada um


- PARECER 2

Da autoria de Francisco Pinheiro (nomeado pela Universidade de Coimbra) é o parecer 2, que é mais conservador. «O Campeonato de Portugal é prova antecessora da Taça de Portugal e os Campeonatos das Ligas (I e II Liga) antecessores do Campeonato Nacional (I e II Divisão). Devem ser por isso reconhecidos como campeões nacionais os vencedores dos Campeonatos das Ligas (entre 1934/35 e 1937/1938) e como vencedores da Taça de Portugal os clubes que venceram o Campeonato de Portugal desde 1921/1922 até aos dias de hoje», lê-se neste caso.
 

Ou seja, caso seja este o parecer aprovado pela Assembleia Geral da Federação Portuguesa de Futebol, o palmarés dos títulos de campeão nacional iria manter-se inalterado, mudando apenas os vencedores da Taça de Portugal. Nesse caso, Sporting e FC Porto seriam os maiores beneficiados, com mais quatro taças casa, mas Benfica e Belenenses surgiriam logo atrás, com três cada. E, claro, Marítimo, Carcavelinhos e Olhanense passariam a constar como vencedores da Taça de Portugal.

Leia mais na edição digital ou na edição impressa de A BOLA.

Ler Mais
Comentários (146)

Últimas Notícias

Mundos