Gelson pondera rescisão após nega a proposta do Arsenal

Sporting 06-06-2018 11:27
Por Nuno Raposo

Estavam 30 milhões de euros em cima da mesa, que o Arsenal tinha prontos para resgatar Gelson Martins ao Sporting. Foi esse valor que os leões recusaram e, por isso, o negócio não se fez. A administração dos verdes e brancos a dizer não aos gunners e Gelson a ver gorada a possibilidade de rumar à Premier League e logo para um histórico. A saída é desejada pelo extremo, de forma limpa, preferencialmente, mas a rescisão de contrato com justa causa continua a ser cenário ponderado.


É um dos mais cobiçados jogadores do Sporting, jovem pérola da formação que há muito - pelo menos desde aquele 14 de setembro de 2015, 1-2 no Santiago Bernabéu, com o Real Madrid, para a Champions - é seguida por muitos dos principais clubes europeus. Gelson Martins com as portas da Liga inglesa abertas mas a ver os leões negarem o ingresso no Arsenal. Com contrato até 2021 e cláusula de rescisão de 60 milhões de euros, os de Alvalade não pretendem deixar sair o atacante já neste defeso, a não ser que chegue proposta na ordem dos... 45 milhões de euros. Os londrinos não chegaram a tanto mas a nega que levaram dos leões não deixou o jogador satisfeito. Porque pretende sair, dar novo rumo à carreira, ainda para mais devido ao momento conturbado por que passa o Sporting.


A ligação afetiva que tem com o clube leonino faz Gelson pretender que a saída seja limpa, ou seja, sem recurso à rescisão alegando justa causa, via já seguida por Rui Patrício e Daniel Podence. Mas, ainda assim, esse cenário drástico, ainda que sempre como último recurso, não está nesta altura totalmente posto de lado - na sequência dos acontecimentos da Academia de Alcochete, a 15 de maio, pode fazê-lo até ao próximo dia 14 deste mês.


Esta época, recorde-se, Gelson Martins marcou 23 golos em 52 jogos com a camisola dos leões.


Ler Mais
Comentários (77)

Últimas Notícias

ATENÇÃO: Este site utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. Saiba mais