Épica recuperação: Mark Allen vence o UK Championship

Snooker 20.11.2022 23:38
Por António Barroso

O norte-irlandês Mark Allen, de 36 anos, quinto do ranking, conquistou este domingo em York (Inglaterra) pela primeira vez o UK Championship, oitavo título em provas de ranking da sua carreira, ao vencer na final do segundo mais prestigiado torneio da época 2022/23 da World Snooker o chinês Ding Junhui, de 35 anos, 19.º da tabela mundial, com recuperação épica, de 1-6 para 10-7.


Vice-campeão mundial em 2016, com um Masters (2011) e três UK Championship conquistados (2005, 2009 e 2019), o ‘Dragão’ (Ding), ganhador de 14 provas de ranking, fez o Mundo pensar que a vitória não lhe fugiria à tarde, no Barbican Centre, em que chegou a 6-1, e acabou 6-2 na frente.


Um festival do ídolo chinês, com três centenárias – 126, 135 e 102 pontos, respetivamente – mais duas entradas acima dos 50 pontos (52 e 70 pontos) a explicarem a diferença ante um Allen vencedor do Open da sua Irl. Norte natal de novo esta época (como em 2021) e na terceira final da época: perdeu a do British Open para o galês Ryan Day, 7-10.


Vindo das qualificações – fez mais dois jogos do que Mark Allen, nesta fase preambular - para estar entre os 32 qualificados para o segundo mais prestigiado torneio da época, nada faria prever tamanho declínio de Ding ao seu sétimo jogo na competição, após usufruir de tão larga vantagem.


Se todos pensariam que o jogo estava decidido com o 6-1, depois 6-2 – entrada de 79 pontos do norte-irlandês – no final da primeira sessão, a prova de que umas horas bastam para tudo virar do avesso veio à noite. Allen ganhou todos os quatro ‘frames’ até ao intervalo da sessão decisiva, com entradas de 60, 93, 132 (centenária) e 56 pontos – respetivamente, e por esta ordem – para deixar tudo empatado 6-6 para após o descanso. Estava em ‘modo intratável’.


Sensacional, vindo de um Allen qual Fénix renascida: nos ‘quartos’, já recuperara de 2-4 para vencer San Craigie por 6-4 – quatro parciais de rajada -, e nas ‘meias’ virara de 3-5 ante Jack Lisowski e venceu na ‘negra’ (6-5), ganhando os últimos três ‘frames’.


Prova de consistência e solidez do norte-irlandês, que após o intervalo, continuou o recital e a monumental recuperação, ante um Ding já sem gás no tanque e a fazer figura de corpo presente.


Mais um ‘break’ de 59 pontos e após o 13.º ‘frame’ Allen, após ganhar seis parciais de rajada, comandou o marcador pela primeira vez: 7-6. E com a sua segunda centenária na final (109 pontos) ampliou, imparável, para 8-6. Sete ‘frames’ de rajada para Mark, e Ding nas cordas. Quem ousaria prevê-lo?


Junhui conseguiu estancar a hemorragia no 15.ª parcial, com centenária (105 pontos) a encostar: 7-8. Mas o 9-7 para Mark, logo após, secou margem de erros para o asiático, em quebra psicológica irreversível: entrada de leão e saída de sendeiro.


Ao 17.º ‘frame’, com drama veio o 10-7 (8-1 na segunda sessão!), com uma das maiores recuperações da história para ‘The Pistol’: está de parabéns a Irlanda do Norte, Mark Allen de Antrim, levou a melhor quando o cansaço de ambos já era evidente.


Elegância no discurso de vencedor e vencido


«Mark defensivamente foi superior, tive algumas más opções e tacadas. O 6-2 nada me garantia para a noite, já o sabia, ele viria forte e confiante. Após três anos de ausência e muito difíceis para mim, foi bom voltar a uma final, é treinar-me mais. Mas obrigado pelo apoio», afirmou Ding Junhui no final.


«Não joguei bem toda a semana. Ele puniu-me bem na primeira sessão, mas continuei a ‘escavar’. De repente, senti-me bem, o meu jogo defensivo apareceu, e a 6-6, senti que ia ganhar, estava confiante. Não quero soar desrespeitoso, mas após estar o 1-6, ante Ding, uma lenda, é uma vitória que me sabe muito bem», afirmou Mark Allen.


«Tentei não ser duro comigo mesmo enquanto Ding somava ‘frames’, sentado na cadeira. Esperei as minhas chances, mantendo o pensamento positivo. Quero deixar o meu legado, no jogo, mas ainda me falta muito. Estou a jogar bem, não vou mudar muita coisa: segunda-feira volto à mesa, para me treinar», disse o grande vencedor, após ‘batalha’ de sete horas de final.


Allen sucede como campeão ao chinês Zhao Xintong, vencedor do ‘UK’ em 2021. Embolsou £250 mil (€287.148), enquanto Ding Junhui levou para casa £100 mil (€114.859).


A próxima prova da época 2022/23 da World Snooker é o Open da Escócia, que se irá disputar de 28 do corrente mês a 4 de dezembro, no Meadowbank Sports Centre, em Edimburgo.


O torneio, segundo do conjunto das Home Nations Seris, pontua para o ranking, é transmitido pela TV, tal como o UK Championship, em direto para Portugal (EuroSport) e distribui um total de £427 mil (€490.449) em prémios, das quais 80 mil libras (€91.887) para o campeão. O belga Luca Brecel venceu a prova em 2021.


Final do UK Championship, este domingo (campeão a negro):

Mark Allen (IRN) – Ding Junhui (CHN), 10-7

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias

Serviço de apoio ao cliente
Dias úteis das 9.30h às 13h e 14.30h às 18h
E-mail: clientes@abola.pt
Telefone: 213232133 (Chamada para a rede fixa nacional)
Morada: Tv. da Queimada, 23 1249-113, Lisboa Portugal