Ryan Day campeão do British Open

Snooker 02.10.2022 22:58
Por António Barroso

O galês Ryan Day, de 42 anos, 25.º do ranking mundial, conquistou este domingo a sua quarta prova de ranking na carreira, o British Open, prova da época 2022/23 da World Snooker, que se iniciou a 26 de setembro e neste dia se concluiu, na Marshall Arena, em Milton Keynes (Inglaterra), ao vencer o o norte-irlandês Mark Allen, de 36 anos, 14.º do ranking, na final, por 10-7.


Quarto título em provas de ranking para ‘Dynamite’ Day  - que segunda-feira deverá subir a 20.º do ranking, na próxima atualização da World Snooker.
 

Na primeira sessão da final, oito ‘frames’ jogados durante a tarde, equilíbrio quase total: ninguém se distanciou mais do que a vantagem tangencial. 4-4 e oito ‘breaks’ de 50 ou mais pontos, três de Allen (e dois deles centenárias, 126 pontos no primeiro parcial e 105 no quinto) e cinco de Day, a confirmar a boa forma de ambos, com assinaláveis entradas.


À noite, o equilíbrio continuou até bem depois do intervalo da sessão derradeira. O descanso atingiu-se com 6-6… depois de Allen chegar a 7-6, chegou a 'sapatada' de 'Dynamite Day', que, com quatro 'frames' de rajada, acelerou para a vitória por 10-7 numa final em que protagonizou 10 das 14 entradas de 50 ou mais pontos registadas, e na qual foi muito melhor do que Allen na decisiva segunda sessão.
 

O British Open, prova da época 2022/23 da World Snooker pontuável para o ranking, iniciou-se na segunda-feira, 26 de setembro, e terminou este domingo em Milton Keynes (Inglaterra), tendo distribuído £487 mil (€551.529) em prémios.


Ryan Day amealhou as £100 mil (€113.250) destinadas ao vencedor e sucede ao galês Mark Williams como campeão do torneio, transmitido para Portugal (EuroSport), enquanto Mark Allen levou £45 mil (€50.963) para casa, prémio de vice-campeão.


Hong Kong Masters na 5.ª feira com os melhores


A próxima prova da época 2022/23 da World Snooker irá de quinta-feira a domingo, dias 6 a 9 do corrente mês, no Hong Kong Coliseum, e irá atribuir £307 mil (€347.678) em prémios, das quais £100 mil (€113.250) ao campeão. Atração: a arena comporta... 10 mil espectadores, pelo que se adivinha ambiente tipo NBA...


Será o Hong Kong Masters, prova por convite (não pontuável para o ranking) reservada a oito. Entram só os seis primeiros da hierarquia mundial – Ronnie O’Sullivan, Judd Trump, Neil Robertson, Mark Selby, John Higgins e Zhao Xintong, respetivamente, e por esta ordem (chinês é agora sétimo, atrás de Kyren Wilson, mas era sexto quando os convites seguiram) – e aos dois maiores expoentes do snooker naturais do território: Marco Fu e Ng On Yee.


Nos quartos de final, e a abrir a prova, Mark Selby irá defrontar Marco Fu na quinta-feira (6.30 horas de Portugal continental), enquanto na sessão noturna desse mesmo dia 6 do corrente mês, o australiano Neil Robertson medirá forças com o chinês Zhao Xintong (12 horas de Portugal continental). Tal como o British Open, todos os jogos serão transmitidos em direto para Portugal (EuroSport)


Na sexta-feira, dia 7 do corrente mês, Judd Trump digladia-se à mesa com John Higgins (6.30 horas em Portugal continental), enquanto Ronnie O’Sullivan enfrentará, depois, a fechar os quartos de final, a representante feminina, Ng On Yee (12 horas em Portugal continental).


Os jogos dos quartos de final serão à melhor de nove parciais: vence o primeiro a ganhar cinco (de 5-0 a possíveis 5-4).


As meias-finais estão agendadas para sábado, dia 8: o vencedor do duelo Selby/Marco Fu defronta o triunfador do embate Trump/Higgins (6.30 horas de Portugal continental), enquanto o ganhador do duelo Robertson/Xintong encontra quem ganhar do encontro O’Sullivan/On Yee, no mesmo dia (12 horas de Portugal continental).


A final do torneio, que regressa cinco anos após a última edição – 2017, venceu Neil Robertson (6-3 ao ‘Rocket’ na final’ – é domingo, dia 9 do corrente mês, e tal como as ‘meias’, jogada à melhor de 11 parciais: vencer o primeiro a ganhar seis (de 6-0 a possíveis 6-5), com transmissão direta a partir das 12 horas de Portugal continental.


Será o 10.º Hong Kong Masters, prova jogada pela primeira vez em 1983, com interrupção em 1989 e pausa mais prolongada desde 1991 até 2017, altura em que se iniciou novo hiato temporal agora a findar.


Nas anteriores nove edições, apenas o inglês Steve Davis (hexacampeão mundial, já retirado) bisou em triunfos, em 1984 e 1987. O galês Doug Montjoy ganhou em 1983, o seu compatriota Terry Griffiths em 1985, os ingleses Willie Thorne e Jimmy White em 1986 e 1988, o tailandês James Wattana em 1990 e o escocês Stephen Hendry em 1991.


Final do British Open, este domingo (campeão a negro):

Mark Allen-Ryan Day, 7-10 

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias