Mário Silva ‘explode’ com arbitragens: «Também somos portugueses!»

Santa Clara 09.09.2022 22:46
Por Redação

O treinador do Santa Clara, Mário Silva, manifestou-se indignado com a derrota dos açorianos (0-1) na noite desta sexta-feira, no Estádio Dom Afonso Henriques, diante do V. Guimarães, no jogo que abriu a 6.ª jornada da Liga, e disparou críticas à equipa de arbitragem liderada por João Pinheiro, mas também ao tratamento que alega a equipa que orienta estar a ter das arbitragens até agora no campeonato.


«Tentámos sempre, arriscámos e expusemo-nos muito. Corremos riscos. Sentimos, todos, que queríamos muito mais do que este resultado. Parabéns ao Vitória, finalizou naquela bola parada. Infelizmente, sofremos um golo numa situação em que trabalhámos afincadamente para que não aconteça», começou por dizer Mário Silva à Sport TV, em Guimarães, no final do jogo, antes de apontar o dedo às arbitragens, num longo desabafo.


«Se quiserem, podem despedir-me já hoje, mas ao minuto 75 o Bamba põe mão na bola… e nada?! E contra o Arouca, tivemos um penálti, e o VAR não interveio noutra mão? Somos um clube açoriano, os Açores fazem parte de Portugal, somos portugueses! Pessoas brasileiras investiram no clube, e a justiça tem que ser igual para todos! Mas até agora, em quase todos os jogos, em situações de dúvida, as arbitragens todas as semanas, decidem em nosso desfavor. Porquê? Não entendo! Despeçam-me hoje, se tiverem que despedir», afirmou Mário Silva, revoltado com as arbitragens dos seus nesta Liga.


«E a compensação do tempo? Porque não há nem mais um minuto? Temos de ser justos. Tenho muito respeito por João Pinheiro, mas não é só ele: é jogo após jogo, mesmo quando ganhámos ao Marítimo. Estou longe da minha família, sacrifico-me, mas quero que haja um tratamento igual com todos. Estamos nos Açores, somos portugueses», vincou um técnico indignadíssimo.


«Como líder deste grupo, assumo sempre, e naturalmente, toda a responsabilidade. A equipa sobe jogo após jogo, e tenho a certeza que vamos crescer. Mas deixem-nos continuar a crescer, se eu tiver tempo para isso! Se vou ser castigado ou não por estar a dizer isto, não sei, mas sei que estou a ser honesto. Respeito o senhor João Pinheiro, mas se não viu algumas situações e devia ter sido chamado ou ir ao VAR», acusou Mário Silva, nada preocupado, disse, com ‘chicotadas psicológicas’.


«O lugar em risco tenho sempre, desde que cheguei ao clube, em janeiro. Eu não desisto, nunca atiro a toalha ao chão, faz parte da minha cultura de infância no bairro. Agora não posso olhar para as coisas… e fazer de conta que nada vejo! Quero andar nisto de forma honesta e de cabeça levantada! Deve haver justiça igual para todos. Esperemos que possamos continuar a crescer e trabalhar» vincou o treinador do Santa Clara, que só no final de muitas críticas voltou a uma abordagem mais clínica.


«Esperamos conseguir vencer já no próximo jogo. Aqui arriscámos, terminámos o jogo com três defesas. Normal, não estávamos satisfeitos com o resultado e vamos continuar. Merecíamos pontos, sem querer tirar mérito ao Vitória. Sabíamos que poderia haver espaços e explorar os corredores laterais. Estrategicamente, apesar de termos perdido, tentámos e fizemos tudo por tudo para o conseguir. Espero que na próxima semana possamos sair mais felizes do jogo do que neste», concluiu.

Ler Mais
Comentários (1)

Últimas Notícias

Serviço de apoio ao cliente
Dias úteis das 9.30h às 13h e 14.30h às 18h
E-mail: clientes@abola.pt
Telefone: 213232133 (Chamada para a rede fixa nacional)
Morada: Tv. da Queimada, 23 1249-113, Lisboa Portugal