A incrível história de superação (com muito sangue à mistura) de Xabi Alonso para jogar a meia-final do Mundial-2010

Espanha 07.07.2022 16:59
Por Redação

12 anos depois, o médico Juan José García Cota contou uma inacreditável história dos bastidores do Mundial-2010, na África do Sul, o primeiro da história ganho pela Espanha.


Cumprindo um ritual que tinha antes de seguir viagem no autocarro rumo ao estádio para o jogo, o antigo médio Xabi Alonso, na altura a representar o Real Madrid, tomou um duche de água fria 10 minutos antes da hora marcada para a saída do autocarro rumo à meia-final com a Alemanha, em Durban. Mas uma escorregadela do jogador quando se esticou para agarrar a toalha fez com que o vidro de proteção da zona do duche se estilhaçasse por completo e, revelou o ex-jogador, um pontiagudo pedaço de vidro rasgou-lhe o joelho direito de lado a lado.


«O sangue impacta sempre mas, neste caso, o que mais me impressionou foi ver o meu joelho aberto de um lado ao outro, conseguia ver o interior da pele e o tecido muscular. Tinha muitas dores e pensei que era o adeus à meia-final e à final do Mundial, nem queria acreditar e tive um ataque de pânico. Lembrei-me logo do Cañizares, que perdeu o Mundial-2002 por se ter cortado no pé com um perfume», contou Xabi Alonso no programa de rádio El Larguero.


Pelo telemóvel, o antigo médio chamou o médico da seleção ao quarto…


«Entrei no quarto e encontrei o Xabi branco, completamente pálido. A casa de banho parecia a cena de um crime, com sangue por todo o lado e ele só me implorava para poder jogar a meia-final», recordou o médico da Roja.


Sem tempo para suturar a perna de Xabi Alonso, Juan Cota limpou a zona como pôde e aplicou uma ligadura muito apertada na zona afetada, apenas larga o suficiente para permitir a circulação.


«A minha cabeça dizia-me que era impossível o Xabi jogar e tinha de informar o selecionador (Vicente Del Bosque). Foi uma luta entre o racional e o emocional. Não sei se fiz o correto, mas a vontade do Xabi em jogar ganhou à razão», disse o médico, ciente das consequências que o ocultar da verdade poderia ter para a sua carreira.


Na chegada ao estádio, Xabi Alonso, Juan Cota e um fisioterapeuta foram para uma sala à parte, onde o jogador foi, finalmente, cosido depois de aplicada uma anestesia. «Não foi nenhuma brincadeira, foram 14 pontos logo em cima do joelho. Obriguei o Xabi a comprometer-se comigo que, caso sentisse dores no aquecimento, teríamos de contar tudo ao selecionador.»


A verdade é que Xabi Alonso acabou mesmo por ir a jogo, foi titular e só ao minuto 90 seria substituído por Carlos Marchena. Em campo, os espanhóis derrotaram a Alemanha, com golo único de Carles Puyol, e, dias mais tarde, seriam campeões do mundo diante dos Países Baixos, com o golo de Andrés Iniesta no prolongamento.


Fotografia de Xabi Alonso no referido jogo, sendo percetível a ligadura por baixo dos calções de licra na zona afetada:




Ler Mais
Comentários (1)

Últimas Notícias