Alipour sonha alto: «Quero jogar e vencer a Champions»

Gil Vicente 25-05-2022 10:19
Por Entrevista de Pedro Cadima

O iraniano Ali Alipourghara segue os passos de Taremi em Portugal. Após duas épocas de visível crescimento no Marítimo, o avançado decidiu rumar a Barcelos, tentado pelo projeto europeu e pensando em valorizar-se para ganhar lugar no elenco do Irão para o Catar… Um jogador consciente do que quer, carregado de elogios para a época dos galos, que agora o acolhem.

 

- Como avalia a importância da mudança do Marítimo para o Gil Vicente e que expectativas o acompanham no novo clube?
 - Atingi os meus objetivos no Marítimo, tinha de dar um passo à frente para ficar mais forte. Nesta estrada que tracei, decidi que era importante chegar a uma equipa com melhor ranking, que jogasse na Europa. Quero provar as minhas condições e o meu potencial, ajudar o Gil Vicente e trazer distinções para o clube na Europa. Procuro ter sucesso, alcançar patamares mais elevados, acalentando jogar na Champions.


- Com apelos de outras partes, Portugal reúne condições para ajudar a dar maior dimensão à carreira?
- O futebol português tem um nível muito alto e é muito reconhecido no mundo. Tenho objetivos muito definidos, quero caminhar devagar mas de forma direta. Não penso tanto no dinheiro. É um pouco como o Taremi. Buscar reconhecimento, jogar na Champions, experimentar Espanha ou Inglaterra. Essa é a minha fasquia e aquilo com que sonho. Quando vim para o Marítimo vim a perder dinheiro, porque tinha ofertas muito boas da China. Mas jogar a Liga portuguesa era importante pela montra que é, pelo bom futebol que se respira, por ser até próximo do Irão em termos de cultura e clima.

 


- Reconhece o papel importante do treinador Ricardo Soares na sua contratação? Já falaram sobre o que espera de si?
- Tenho um grande respeito por todos os treinadores e Portugal tem alguns dos melhores do mundo. Todos os bons jogadores procuram bons treinadores, pois assim podem complementar-se. Via os jogos do Gil Vicente e, como disse, senti como o treinador controlava a equipa de maneira positiva e comunicava com os jogadores. Sempre que via os jogos, a equipa parecia fresca, com energia e jogava com estratégia. Isso vem do treinador. Mas não falámos diretamente. Estou simplesmente honrado de fazer parte da sua equipa e das suas ideias. É um grande treinador!

 

 

- Continuar em Portugal tem algum tipo de prazo de validade dentro dos planos de carreira?

- O objetivo cimeiro é jogar e vencer a Champions. Não sei quantos anos posso demorar. Se puder ter essa chance em algum clube de Portugal, sendo parte de uma equipa que dispute essa competição e que me faça acreditar na concretização do meu sonho, posso ficar muitos anos por cá.

 

Leia na íntegra na edição impressa ou digital de A BOLA.

Ler Mais
Comentários (3)

Últimas Notícias

Mundos