«Nos 400, 800 e 1500 metros sou um homem, nos 100 uma mulher…»

Atletismo 27-03-2022 20:27
Por Redação

Caster Semenaya continua a dar que falar. Legalmente identificada como mulher, a bicampeã olímpica da África do Sul em 800 metros apresenta níveis pouco comuns de testosterona que levaram mesmo a federação mundial de atletismo (IAAF) a pedir à atleta para fazer prova do seu género.

 

Realizados os testes (cujos resultados nunca foram revelados) e depois de vários meses suspensa, Semenya foi autorizada a competir em competições femininas internacionais em julho de 2010 e desde então tem-se debatido com uma série de restrições. A mais recente mereceu a crítica da sul-africana

 

De acordo com a IAAF, as atletas que apresentem um nível de testosterona superior a 5 nanomoles por litro de sangue estão proibidas de correr distâncias superiores a 400 metros. A única hipótese é se tomarem medicação para nivelar as hormonas, coisa que Semenaya sempre se recusou a fazer.

 

Perante isto, a medalhada olímpica ironizou.

 

«Portanto, de acordo com a Federação Mundial e os seus membros, eu sou um homem nos 400, 800, 1500 e 1600 metros. Nos 100, 200 metros e eventos de longa distância sou uma mulher. Que estudo. Que tipo de idiota faria uma coisa destas», desabafou nas redes sociais que está assim impedida de correr a distância em que ganhou medalhas de ouro em Londres (2012) e Rio de Janeiro (2016).

 

 

 

Ler Mais
Comentários (29)

Últimas Notícias