Jovem campeã estuda e treina em casa

Golfe 08.03.2022 08:52
Por Miguel Morgado

Tem 17 anos de idade, 10 de golfe. No dia internacionalmente dedicado às mulheres, A BOLA assinala a data com a história da jovem Sofia Barroso Sá que, a um ano da maioridade, se tornou a primeira mulher a vencer um torneio do Circuito da Federação Portuguesa de Golfe (FPG), categoria competitiva que, desde o ano passado, integra golfistas profissionais ao lado dos amadores.

Entre 111 atletas, 22 dos quais profissionais, a golfista amadora da Associação Quinta do Lago venceu no Montado, em Palmela, no primeiro domingo de fevereiro e com 7500 euros em prémios, ao entregar o cartão na segunda e última volta com 138 pancadas, 6 abaixo do par. A também campeã nacional absoluta ficou uma pancada abaixo de Tomás Melo Gouveia, profissional do Challenge Tour, II divisão do golfe europeu, e cinco de Leonor Bessa, jogadora do Ladies European Tour Access Series e namorada de Tomás Gouveia, irmão de Ricardo Melo Gouveia, membro do European Tour.

A vitória não distraiu, porém, nem por um milímetro, a 43.ª do ranking europeu (EGR) do caminho que quer trilhar. Sofia Sá tem como prioridade máxima, no imediato, os estudos. A frequentar o 12.º ano, tem à sua espera, no verão, uma universidade americana, no Texas. À área da economia acrescentará a carreira de golfe na I divisão feminina da NCAA (desporto universitário norte-americano).
«Em agosto vou para a Texas Christian University. Como os meus resultados no golfe têm sido notáveis a nível nacional e mesmo a nível internacional, fui contactada por várias universidades que me queriam na equipa de golfe. Tive várias ofertas e acabei por escolher esta universidade, que certamente me irá ajudar a evoluir como jogadora e pessoa», adiantou a A BOLA.

«Já faltei uma semana toda às aulas porque estive a jogar o Campeonato Internacional Amador de Portugal [terminou no grupo os 12.os]», confidenciou em breve intervalo entre aulas e explicações para recuperar o tempo fora dos bancos da escola. «De manhã tenho aulas, a tarde é dividida entre treinos, estudos e explicações. Como falto, por vezes, semanas inteiras, tenho explicações todos os dias, em especial na altura de testes. Torna-se difícil treinar aquilo que gostaria, porque também tenho de dar valor aos estudos, e muitas vezes sacrifico um pouco o treino», admitiu, nas vésperas de mais um teste de matemática.

Campeã nacional sub-10, sub-13 e vencedora da 31.ª Taça da FPG, aos 13 anos, a mais jovem na competição, em 2017, ano em que se tornou a primeira golfista a ganhar a Taça Mendes d’Almeida, em Vidago, em 80 anos da prova, depois de dar os primeiros passos com o pai, é orientada, desde 2019, por José Ferreira.

A viver em Belmonte, Castelo Branco, longe dos palcos habituais do golfe nacional (Montebelo, em Viseu, fica a 120 km), Sofia Sá treina «o jogo comprido na Quinta da Bica, campo de pitch and putt, perto da minha casa». «Quando não tenho possibilidade, consigo bater bolas até ao ferro 9 e treinar putts em casa», revela.
 
Leia mais na edição impressa ou na edição digital de A BOLA 
 
 

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias