Procuradora fala de «influência e poder do FC Porto»

FC Porto 01-12-2021 22:30
Por Redação

A revista Sábado teve acesso a uma citação da procuradora Cristina Henriques que consta na resposta de outubro do Ministério Público de Cascais ao recurso apresentado pelo vice da SAD do FC Porto, Adelino Caldeira, que contestou no Tribunal da Relação de Lisboa a condenação (2100 euros de multa, além das despesas judiciais) pelo crime de ofensa à integridade física simples, em setembro de 2013, a Nuno Lobo, presidente da Associação de Futebol de Lisboa, no camarote presidencial do Estádio António Coimbra da Mota, no Estoril.

 

Segundo a procuradora, o facto de ninguém ter visto a agressão prova o poder e a influência do FC Porto. «A audiência de discussão e julgamento foi esclarecedora quanto à influência e ao poder do FC Porto, nada que já não fosse do conhecimento geral, mas o tribunal ‘a quo’ logrou firmar a sua convicção sobre a prova produzida, de acordo com as regras processuais, atribuindo credibilidade a quem de facto a merecia, o que desde já se louva (...)», expressou.

 

A Sábado lembra que entre as testemunhas apresentadas por Adelino Caldeira estavam, por exemplo, o presidente do FC Porto, Pinto da Costa, o então selecionador nacional, Paulo Bento, e outros convidados que assistiram ao jogo entre os dragões e o Estoril (2-2).

 

Ler Mais
Comentários (95)

Últimas Notícias