«A eficácia nem sempre esteve presente ou já podíamos ter o apuramento assegurado»

FC Porto 24-11-2021 22:46
Por Redação

O FC Porto deixou Anfield com um sentimento de grande frustração e muita dificuldade em aceitar a derrota (0-2) frente ao Liverpool. «Primeiro, a falta de eficácia ofensiva. Depois, a qualidade individual do adversário», apontou, Sérgio Conceição, as principais razões para o desaire sofrido nesta deslocação a Inglaterra.

 

«Foi, talvez, a melhor primeira parte que fizemos contra o Liverpool e já os defrontámos algumas vezes. Criámos três ou quatro ocasiões para marcar, enquanto eles tiveram uma situação mais difícil para nós, numa altura em que o Pepe estava para ser substituído. Fomos rigorosos defensivamente até ao intervalo», começou por analisar.

 

«Iniciámos bem o segundo tempo. Criámos uma situação pelo Uribe para marcar até que, numa falta que me deixou muitas dúvidas, pois até me pareceu a nosso favor – o árbitro teve sempre um critério largo, não é normal haver apenas 12 faltas para cada lado num jogo de tanta intensidade –, apareceu o golo do Liverpool num remate fantástico do Thiago. E depois vimos a qualidade do Salah no 2-0», lamentou.

 

Apesar do desaire e nada adepto de vitórias morais, Sérgio Conceição era, no final, um treinador «muito mais satisfeito, sem a mínima dúvida», do que aquele que se viu após o encontro entre as duas equipas, no Estádio do Dragão, que terminou com goleada (5-1) dos ingleses.

 

«Queremos pensar já, e foi essa a mensagem que passámos aos jogadores, na partida com o Vitória, para a Liga. A seu tempo falaremos do desafio com o Atlético de Madrid, da última jornada da Champions. Disse desde o início que isto ficaria decidido na penúltima ou na última ronda. O grupo é muito forte e equilibrado e forte. A vitória do Milan em Madrid, por exemplo, não me espanta nada. Falta um jogo, que nos pode dar acesso aos oitavos, como, felizmente, tem acontecido nos últimos anos. Realço as boas prestações do FC Porto em Madrid, em Milão e, agora, em Liverpool, com uma mão cheia de oportunidades. Infelizmente, essa eficácia nem sempre esteve presente ou já podíamos ter o apuramento assegurado», observou.

 

Novidade de última hora, Pepe apresentou-se no onze, ainda que ausente no jogo anterior, para a Taça, devido a lesão.

 

«O Pepe é um campeão. Sentiu que podia jogar e ajudar, estava em condições de acordo com os testes realizados. Foi lá para dentro, sabendo que vinha de uma lesão recente e que ainda estava algo fragilizado. Queria ajudar a equipa, foi uma pena não ter feito o jogo todo. Entrou o Fábio Cardoso e entrou bem, deu uma resposta positiva. Realço, aqui, o espírito de todos os atletas quererem dar o seu contributo à equipa», concluiu, o técnico dos azuis e brancos.

Ler Mais
Comentários (20)

Últimas Notícias