«Porro no Real Madrid? Nunca! Preferia que ficasse no Sporting!»

Sporting 12-10-2021 11:01
Por Miguel Mendes

O futuro de Pedro Porro é tema de conversa que não desgasta António Sauceda. Bem pelo contrário. Não há tabus. «Nada deve ficar por dizer nesta família. Para quê esconder?», questiona. O futuro, porém, está entregue ao neto e Toni Pla, um empresário que é quase um «irmão» para o espanhol. António, como em tantas vezes fez na carreira de Porro, não hesita em dizer aquilo que acha melhor. Sobretudo numa altura em que muitos são os rumores de um salto para um grande de Espanha. Real Madrid e Barcelona à cabeça.


«Estão sempre a ligar-me da Imprensa espanhola para tentar saber algo. Vou ser sincero: gostava que ficasse pelo menos mais um ano no Sporting. Faria bem ao Sporting, que tem um sistema que se identifica com ele. Interesse do Real Madrid? Nunca! Preferia o Sporting! Os homens são homens, as mulheres são mulheres e eu sou do Futbol Club Barcelona. Aliás, era daquilo que o Barcelona fazia, agora não. Dói a forma como estão a jogar. Pelo Real não tenho simpatia nenhuma. Se for para Madrid, o avô irá para Madrid, mas do Real não sou», sublinha, identificando um dos clubes onde imaginaria ver o neto a brilhar: «Gosto do Atlético de Madrid. Simeone tem uma mentalidade que me agrada. Tem dois grandes huevos [risos]! Jogam e correm como nunca. Penso que seria bom para o Pedro. Claro que gostava do Barcelona de Xavi, Iniesta, Messi… mas essa inteligência já não existe na equipa. Vamos ver… não ficará no Sporting para sempre, certo? Se alguém contratasse gostava que fosse o Atlético de Madrid.»

 

António Sauceda, avô de Pedro Porro


«Não ao Benfica ou FC Porto»

 

Pedro Porro transformou-se numa referência leonina. Tanto que António não consegue ver, no futuro, uma hipotética mudança para um dos rivais. «Creio que nunca jogaria no Benfica ou no FC Porto. Não é pessoa de abandonar um clube. Seria uma traição. Mas o futebol, sei lá… Quando foi para o Sporting não conhecia nada de nada. Nem do clube, nem de Lisboa. Hoje conhece tudo. O objetivo, na altura, era sair do Valladolid, o mais rápido possível, e felizmente apareceu o Sporting», desabafa, destacando a importância de Rúben Amorim: «Portou-se muito bem com o meu neto. Gostava de lhe agradecer pessoalmente. Deu-lhe confiança. Agora até marca penáltis e sei que bate bem. O Pedro fala bem de toda a gente no clube. Faz parte da sua educação. Mas Amorim, tenho a certeza, será um dos grandes. Só o conheço da televisão mas sabe o que tem ali em mãos. E os adeptos posso dizer-lhes que ainda não viram tudo do Pedro, porque acredito que pode crescer mais. Tecnicamente, mentalmente, até ao nível de companheirismo, porque sem isso nada se consegue. Sozinho ninguém ganha.»

 

Leia a reportagem completa na edição impressa ou digital de A BOLA.

Ler Mais
Comentários (26)

Últimas Notícias