Alguém pára o FC Porto?

Andebol 18-09-2021 11:22
Por Célia Lourenço

De hoje, sábado, quando soar o apito no Pavilhão Flávio Sá Leite, em Braga, às 15 horas, para o primeiro jogo do Campeonato Placard Andebol 1, até 4 de junho de 2022, a ambição de 16 equipas será tentar provar que, em cada uma, existe a força e resiliência que o FC Porto demonstrou na última época em que conquistou o 22.º título nacional, segundo consecutivo, considerando que em 2019/2020 o Covid-19 congelou o mundo e os campeões. A pandemia, como se sabe, privou os atletas dos afetos do público. Triste ironia do destino, foi no coração que os comandados de Magnus Andersson encontraram forças para superar a trágica morte do guarda-redes Alfredo Quintana, aos 32 anos, e por ele conquistar tudo o que havia.

O FC Porto sagrou-se campeão com 90 pontos em outros tantos possíveis, marcando 1066 golos e sofrendo 728. Hegemonia repetida pela 9.ª Taça de Portugal . O plantel reforçou-se, entre outros, de Diogo Oliveira (HSC Suhr-Aarau) e dos francoatiradores Pedro Valdés (Sporting) e Pedro Cruz, melhor marcador intramuros oriundo do Águas Santas. «As expectativas, num clube como o FC Porto, são sempre as mais altas. Queremos sempre fazer melhor do que já fizemos», afiançou Andersson ao site da Federação Andebol de Portugal (FAP), sempre em busca da perfeição que vai querer mostrar amanhã, em casa, quando receber o Sp. Horta diante do seu público, que já festejou a conquista da 8.ª Supertaça, apesar do tropeço inaugural na Liga dos Campeões.

Já o Sporting, que se prepara para entrar nas lides da Liga Europeia - ronda 2 de qualificação com os dinamarqueses do TTH Holstebro, dia 21 -, sofreu grande revolução. Mudou de técnico, perdeu o cubano Valdés numa guerra velada com o FC Porto de onde vieram Martim e Francisco Costa, filhos de Ricardo Costa, que deixou o leme do Avanca para assumir o leonino, que guarda 21 títulos de campeão no museu. «Iniciámos na época 2021/2022 a construção de uma equipa. Sabemos do potencial dos adversários diretos, podemos não conseguir competir em orçamento, mas no que toca à determinação e entrega cá estaremos para lutar pela vitória», apontou Costa.

O Benfica, que já passou pelo crivo da Liga Europeia, acedendo à ronda 2, tem a ambição de ganhar o título que escapa desde 2007/2008. Chema Rodríguez foi buscar reforços de peso, entre eles o pivot Alexis Borges  e o ponta sueco Jonas Kallman, prata olímpica em 2012, para tentar o que nenhum outro técnico consegue desde Aleksander Donner. «Todas as equipas melhoraram os plantéis. Vai ser um campeonato muito disputado e muito bonito de se ver por parte dos adeptos.»

 

Fica a promessa extensível a todos para as próximas 30 jornadas…
 

Leia mais na edição impressa ou digital de A BOLA 

Ler Mais
Comentários (3)

Últimas Notícias