«Talvez pensassem que era velha, mas pus Portugal no pódio»

Jogos Olímpicos 04-08-2021 14:31
Por Redação

Patrícia Mamona, medalha de prata nos Jogos Olímpicos de Tóquio no triplo salto, chegou esta quarta-feira a Lisboa com a sua medalha e um bouquet de rosas amarelas.

 

A atleta de 32 anos voltou à prova ganha pela venezuelana Yulimar Rojas. «Treinei muito a minha parte mental e emocional, sabia que ia ser difícil, tinha de responder. Não estava satisfeita com 15m 01, foi até 12cm antes da tábua. Só pensei em dar tudo, fui feliz, vice campeã e Portugal no pódio, clube dos 15 metros. O meu sonho é dar tudo, saltamos todos para o ouro de mim esperem sempre o melhor. Até hoje, se calhar muitos não acreditavam em mim,  ´já é velha´. Mas tenho muito para dar.»

 

«Sabia que era melhor que 14m66 [marca com que chegou], mas tinha de sair na hora certa e no momento certo», disse acerca de ter batido três vezes o recorde nacional durante a final.

 

«Rojas é um fenómeno»

«Gosto muito destas receções quero repetir, continuar a trabalhar, são fruto do trabalho. O ouro é sempre um sonho, mas perdi para a recordista do Mundo, a Yulimar Rojas é um fenómeno, bateu um recorde com 26 anos, mas só posso pensar no que posso fazer, e o que acontecer será consequência disso. Se a mente quer o corpo é capaz de fazer. Vou olhar para trás agora, estes são os meus terceiros jogos; quando acabei os primeiros era o sonho de ir, depois de estar lá queres sempre mais. Queria estar na final e mostrar o que era capaz; no Rio era capaz e fiquei a 7cm, agora… obrigada ao meu treinador.»

 

Apoios: «Não quero falar no negativo, mesmo assim consegue-se fazer grandes coisas. Apoios fazem diferença em disciplinas técnicas e se queremos estar em grandes competições temos de estar ao nível de outras nações. Eu vim do desporto escolar, quero também sublinhar isso.»

Ler Mais
Comentários (10)

Últimas Notícias

Mundos