Universidade da Maia - um exemplo de modernidade (artigo de José Neto, 131)

Espaço Universidade 03-08-2021 10:44
Por José Neto

Primeiramente Instituto Superior da Maia - ISMAI, depois Instituto Universitário da Maia - ISMAI e agora UNIVERSIDADE DA MAIA, nasceu há 30 anos como fruto auspicioso de um sonho de várias figuras, onde sobressaiu um homem singular como foi o Professor Doutor Vieira de Carvalho, que ousou desafiar a lógica de uma sedosa acomodação e rasgar caminhos de futuro.
 

Caminhos de convergência diversificada do humano através de um Campus universitário que cada vez mais se vem afirmando como paradigma de uma proatividade criativa junto das populações a cujo serviço se tem devotado, apresentando ofertas científicas renovadamente alinhadas com as exigências deste nosso novo tempo, em que se casa o desafio tecnológico e a necessidade de uma sólida formação humanista.

Ultrapassando tempos de alguma inquietação e crise no percurso que a conjuntura nacional por vezes lhe assiste, o ISMAI tem-se apresentado pletórico de vitalidade, fortalecendo-se, desviando-se dos caminhos tradicionais da rotina, abrindo-se a novas fronteiras, enfrentando o futuro e para além dos diversos laboratórios com alta tecnologia, foi obtendo pela assunção de novas e pertinentes exigências como a construção dum Complexo Desportivo de excelência, inaugurado em 19 de Maio de 2017, fazendo valer a magnitude da sua essência porque encorpado dum Campus Universitário com uma identidade de nível internacional.
 

Com um corpo diretivo coeso, liderado pelo Magnífico Reitor Professor Doutor Domingos Oliveira e Silva, que por entre uma experimentada competência de ofícios, congrega uma multidão de afetos numa marca de honestidade e exigência bem partilhada. Também pela Maiêutica, Cooperativa de Ensino Superior, o Presidente Dr José Azevedo, dotado de acumulada e exercida competência, cultivou e bem o exercício da tolerância e cumplicidade, rasgando o horizonte com futuro e brilhantismo. Um e outro, envoltos de suas equipas de apoio, desmerecendo os atalhos do facilitismo, foram enfatizando os termos do desafio, transportando no rosto o certificado da experiência vivida e, sempre disponíveis para a luta, assumindo o belo estatuto de uma EQUIPA VERDADEIRAMENTE GANHADORA.
 

O que, de imediato se vem notando, é esse sentimento de pertença que se respira nos seus corredores, o ambiente de confiança e de alegria que em todos os recantos se constata, tudo aliado a um notório orgulho institucional perante o sucesso alcançado por tantos antigos alunos que acederam a funções de relevo nas várias esferas da atividade nacional e internacional interpretando de forma profissional as mais valias de aquisição do conhecimento de mais de duas dezenas de cursos que ao longo do tempo lhe conferiram prestígio.
 

Na minha área de intervenção, os Cursos de Educação Física e Desporto e Gestão do Desporto, porventura o segmento mais emblemático desta nobre Instituição, têm funcionado como âncora privilegiada, onde o teor energético está em estreita interação do indivíduo e sua correspondência com a vida, como se vai por cá dizendo, este suor experimentado num saber sustentado e para tal tanto concorre uma sacerdotal dedicação dos seus docentes e funcionários, não deixando de referenciar a magna orientação dos diversos Coordenadores e Diretores de Departamento, que ao longo do tempo fizeram o exercício duma partilha de exigência o melhor dos exemplos.
 

Especificamente e no que concerne à modalidade de Futebol, temos vindo desde há 25  anos a esta parte a conferir uma experiência servida de exaltação institucional, levando a efeito de forma continuada 7 (sete) Seminários, transitando para a realização de Congressos de nível internacional (já contamos com 15), encorpando as siglas da Ciência, da Competência e da Razão. Como todos sabem, procuramos nestes encontros de diálogo e reflexão crítica, reunir conceitos, experimentar ideias, aclarar sentimentos, reunindo sempre figuras de destaque nacional e internacional, procurando integrar no programa vários momentos onde tributamos a gratidão por quem tem dado ao Futebol uma vida feita em história, competência, rigor e paixão.
 

Assim é que, ao longo do tempo vimos tributando a cultura da memória: José Maria Pedroto (a título póstumo e de forma continuada nas comemorações do aniversário da sua morte); Prof. Doutor José Vieira de Carvalho (a título póstumo); Jorge Valdano; Luís Figo; Eusébio da Silva Ferreira; Fernando Gomes (bibota de ouro); Jorge Nuno Pinto da Costa; Artur Jorge; Carlos Queirós e Campeões do Mundo em Juniores (Riade); Prof. Doutor Manuel Sérgio e Prof. Doutor Domingos Silva; Co Adrianse; Rabat Madjer; Teófilo Cubillas; José Mourinho; Fernando Chalana; Jesualdo Ferreira; Vítor Baía; Jorge Mendes; Dr Sardoeira Pinto; Manuel José; Vítor Oliveira (o saudoso campeão das subidas); um corpo de treinadores que a experiência da vida desafiou e dela fez histórias com sucesso: Ferreirinha, Peres Bandeira, Augusto Mata, Mário Wilson, Manuel de Oliveira, José Augusto, Francisco Andrade; Dr Gilberto Madaíl; Federação Portuguesa de Futebol e Associação de Futebol do Porto (comemorações do centenário); F.C.Porto Campeão Europeu; Prof.s David Monge da Silva e Hernâni Gonçalves (este a título póstumo); Fernando Correia e Ribeiro Cristóvão; Arnaldo Teixeira, Aurélio Pereira e Costa Soares (este a título póstumo); Paulo Paraty, Paulo Costa, Jorge Sousa e Pedro Proença); Cristiano Ronaldo, (referenciando o aspeto da formação para a qualificação do Campeão); Johan Cruijff (a título póstumo); os atletas com estatuto de Campeões e que nos foram confiando a formação de seus filhos, tais como: Fernando Gomes, Jaime Pacheco, Frasco, Rui Barros, Paulinho Santos, José Alberto Costa, Sérgio Conceição, Vítor Pereira, Domingos Paciência, Paulo Ricardo e Laureta.
 

Como referência contextual em relação aos tributos prestados ainda sinto o coração em labareda pelo facto de há uma dezena de anos os meus alunos de opção e por mim supervisionados da tese monográfica para finalizar o seu curso, também em segredo absoluto, levaram até mim a gente amada que de minha vida sua vida faz e me largaram em palavras misturadas com um largo sorriso uma homenagem que irei dela fazer “brisa que sopra… tempo que voa … olhar que abençoa”!...
 

Desta feita também num dos recentes Congressos conseguimos congregar todo o potencial de ex alunos que ao nível profissional se foram revelando heróis do nosso tem(p)lo sagrado … as nossas bandeiras que em cada dia se vão soltando com mensagens onde habita a civilidade do homem e nela se deixa envolver a nobreza do cidadão pelos clubes de referência nacional e internacional e alguns deles também a prestar serviço em algumas seleções espalhadas pelo mundo.
 

Temos desta feita mantido e desenvolvido o nosso lema perante toda a academia, isto é: “a gratidão tem de ser aprendida para depois ser exercida”
 

Pela envolvência no que respeita aos contactos internacionais, pela direção altamente qualificada do laboratório do movimento humano no que respeita à produção científica, sustentada na investigação das fontes de rendimento para o treino, para a saúde e para a competição e tendo sido continuadamente celebrados múltiplos protocolos com Clubes nas áreas da formação e alto rendimento, vê assim a comunidade académica disponibilidade de fundamentar de forma mais categórica a sua aprendizagem. Tudo isto, associado aos diversificados Cursos em funcionamento, faz com que, do nosso ISMAI e seu Campus Universitário lhe sobre um “arco iris” cultural, admitido pela polivalência dos saberes que os trinta anos que germinam das suas entranhas, lhe conferem já, uma soberana jovialidade.
 

Apresenta-se a quem ouse “calçar-lhe as sandálias e suar-lhe a camisola”, como uma promessa de uma recompensa servida pela beleza do conhecimento … e mais, encarna um projeto sempre acolitado de uma renovada esperança: um projeto chamado HOMEM!..
 

Criado em 2 de Outubro de 1991 o Instituto Superior da Maia e em 14 de Janeiro de 2014 o Instituto Universitário da Maia, vendo convertido um tempo de 30 anos com a capacidade de mestria dum autêntico campeão o Professor Doutor Domingos Silva, primeiro como Presidente depois como Reitor, vê assumido a partir de 21 de Julho passado, o estatuto do prémio dos valentes - Universidade da Maia, transitando os encómios da sua elevada magistratura para Presidente do Conselho de Administração da Maiêutica.
 

Teremos a assumir a qualidade de Magnífico Reitor o Professor Doutor José Ferreira Gomes de cujo curriculum se esbate uma exemplar competência de funções académicas noutras universidades quer em Portugal como no estrangeiro, para além de investigador de nível internacional e também ter servido de forma notável Portugal.
 

Este é o meu testemunho. Desde que nasceu o Instituto Superior da Maia - ISMAI, depois Instituto Universitário da Maia e atualmente Universidade da Maia, dele a minha vida também faz parte. Foi num Domingo, (tinha que ser ao Domingo), ao ouvir o sino da minha aldeia no toque suave e terno das trindades, que primeiramente o Prof Doutor Eduardo Nunes (também saudade) e a seguir o Prof Doutor Domingos Silva me ligaram, convidando-me a fazer parte da Equipa e preparar-me para GANHAR O FUTURO e com prazer fazer do trabalho a minha alegria e também daqueles que ao longo do tempo me vão sendo confiados.
 

De forma muito feliz e honrada, reconhecidamente o atesto.

 

José Neto: Metodólogo de Treino Desportivo; Mestre em Psicologia Desportiva; Doutorado em Ciências do Desporto; Formador de Treinadores F.P.F./U.E.F.A.; Docente Universitário/Universidade da Maia.

 

 

 

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias

Mundos