Coates expressa desejos para a nova época

Sporting 21-06-2021 11:08
Por Redação

Sebastián Coates concedeu uma entrevista à revista ‘Liga-te’, na qual fala daquela que considera ter sido a melhor época de sempre  no Sporting. Estabelece também os desejos para a nova temporada.

Eis a entrevista na íntegra:

 

Qual o balanço que faz desta temporada 2020-21, que terminou com o Sporting CP campeão? Esta foi, de longe, a melhor a época de sempre! Tanto a nível pessoal, como a nível coletivo. Conseguimos atingir o objetivo principal, fomos campeões e foi, sem dúvida, um feito histórico para o clube. Há muito tempo que não conseguíamos ser campeões e este grupo conseguiu realizar um desejo que estava por concretizar.

 

A nível individual, esta foi a melhor época ao serviço do Sporting CP? Obviamente, para mim foi muito especial, não só por ter batido o recorde de golos ao serviço do Sporting CP, como também, pessoalmente, senti-me muito confiante. O grupo deu-me muita confiança. À medida que os jogos iam passando e iam correndo bem, continuei e aumentei essa confiança. Saber que podia ajudar o grupo a chegar aos objetivos era um sentimento que me fazia seguir em frente. Depois vêm essas questões de recordes e números, mas na verdade, prefiro focar-me em ajudar a equipa. Acabou por correr tudo bem e conseguimos atingir o objetivo principal, que era sermos campeões.

Como capitão e jogador experiente, de 30 anos, como foi lidar com um plantel repleto de juventude? Na verdade, no início da temporada todos nós estávamos na expetativa e a pensar como iria correr a época. O grupo, que foi muito bem liderado por Rúben Amorim, era composto por muitos jogadores jovens, mas, na verdade, desde o primeiro dia eles sabiam onde estavam, o que tinham de fazer e aproveitaram a oportunidade que tiveram. Souberam fazê-lo! Da nossa parte, só tínhamos de acompanhar e saber se necessitavam de alguma ajuda. Sendo eu um dos jogadores mais velhos da equipa, assim como, o Luis Neto, Adán, Antunes - que jogou menos, mas ajudou muito a equipa -, João Mário e João Pereira, que tinham muita experiência, fiz parte de um grupo onde tínhamos uma mistura de jogadores com experiência e jogadores com muita vontade de jogar e de ficar na história do Sporting CP. Acho que quem está de fora e vê os 90 minutos do jogo e os treinos sempre sentiu que erámos sempre assim, um grupo unido, com muito bom ambiente e que acabou por resultar na conquista do titulo.

 

O que faltou para ser uma época perfeita? Ou entende que foi? Honestamente não sei… Obviamente que estar na Liga dos Campeões, ganhar a Taça da Liga e chegarmos ao objetivo final, que era a conquista do campeonato, é um feito que nos deixa extremamente felizes. Estamos orgulhosos!

No dia em que o Sporting CP se consagrou campeão, no jogo diante do Boavista FC, o que sentiu? Na primeira época, quando cheguei ao Sporting CP e ficámos a dois pontos de sermos campeões (20176-17), pensámos que iria ser difícil repetir esse momento, num campeonato tão difícil como é a Liga portuguesa. Mas, claro, nunca perdemos a esperança de atingir o objetivo e a cada ano que passava era esse pensamento e mentalidade: vencer todos os títulos. Quando acabou o jogo foram vários sentimentos que tive, de dever cumprido, de muita coisa que passámos, de todas as pessoas que trabalham todos os dias ao nosso lado e, claro, dos adeptos do Sporting Clube de Portugal que estiveram sempre connosco, que mereciam este título, depois de tantos anos à espera deste momento.

Este foi um ano completamente atípico, onde acabou por não haver público na grande maioria dos jogos da Liga NOS. Como encararam os jogadores esta situação? Sentiu a falta dos adeptos? Claro que sim. Todos os que gostam de Futebol nunca achariam possível que acontecesse isto. Um ano sem adeptos, era impensável. Claro que tudo o que se estava a passar no mundo era muito mau, mas no futebol, atividade na qual estamos habituados a chegar ao estádio e as bancadas estarem repletas de adeptos, este foi um ano muito estranho. Espero que em breve possam voltar aos estádios porque fazem muita falta ao futebol.

Que opinião tem da competitividade do campeonato nacional de Futebol Profissional? Cada vez é maior? Sim, sem dúvida. Cada vez é mais difícil ir jogar fora do nosso estádio. Quando cheguei a Portugal a mentalidade das equipas que vinham jogar a Alvalade era diferente do que é hoje. Agora todas jogam de igual para igual e na minha opinião é muito melhor para o espetáculo e para o futebol português, que tem vindo a crescer. As equipas cada vez preparam-se melhor para defrontarem todas da mesma maneira.

Que desejos tem para a próxima época? Desejo o mesmo de sempre. No fundo, o normal tanto para a minha vida pessoal como profissional. Os objetivos são sempre os mesmos. Fazer o melhor que sei e que sabemos, conquistar o maior número de títulos possíveis e jogar bem nos jogos da Champions League.

A quem dedica o título de Campeão Nacional 2020-21? Em primeiro lugar à minha família, aos meus amigos, a todos os que convivem connosco no dia a dia e que fazem tudo por nós. A todos os que trabalham na Academia Sporting e no Estádio José Alvalade. E claro, aos adeptos, como já tinha dito eles mereciam este título que há muito tempo era desejado. E por tudo o que passamos esta época de pandemia, ainda merecemos mais. Espero que agora comece uma nova época e que o Sporting Clube de Portugal possa vencer mais vezes.

 

 

 

 

Ler Mais
Comentários (11)

Últimas Notícias

Mundos