Marega cria mal-estar

FC Porto 09:39
Por Pascoal Sousa

O ruído mediático criado à volta da transferência de Marega para o Al Hilal, quando o jogador tem contrato até junho e a equipa está ativamente na luta pelo acesso direto à Liga dos Campeões, criou um certo mal-estar que poderá estar na origem da não utilização do internacional maliano na partida com o Farense.

 

Marega não saiu do banco nem aqueceu, apontamento raro ao longo da época. Antes da partida com o Farense, só por três vezes o número 11 foi suplente não utilizado: frente ao Olympiakos, quando o FC Porto já estava apurado para os oitavos da Champions; nos quartos de final da Taça da Liga, em casa, frente ao Paços de Ferreira; e na jornada 26, na visita dos dragões a Tondela (vitória por 2-0) antes do segundo duelo com o Chelsea, para os quartos de final da milionária competição da UEFA.

 

Como é lógico, não está em causa a opção de Marega de abraçar um novo projeto que lhe garante, em três anos, um ordenado global de 15 milhões de euros. O FC Porto não podia - nem tinha a intenção - de competir com essa grandeza de valores. A oferta portista previa dois anos de contrato e um salário muito mais baixo do que aquele que o Al Hilal lhe ofereceu.

 

O que se discute é o sentido de oportunidade de Marega, numa altura crítica da temporada, em que a unidade do grupo dispensa distrações relacionadas com o mercado, mais ainda com posições públicas do Al Hilal e do próprio Marega que também provocam profundo desagrado nos adeptos.
 

Leia mais na edição digital ou na edição impressa de A BOLA.

Ler Mais
Comentários (73)

Últimas Notícias