«Nem sabia que tinha sido o último a marcar ao Quintana»

Andebol 28-02-2021 09:08
Por Célia Lourenço

Este domingo, no Funchal, o Águas Santas defronta o Madeira SAD nos oitavos de final da Taça de Portugal, mas há uma semana, em casa, recebeu o FC Porto longe de pensar que viria a ser o derradeiro jogo de Alfredo Quintana, guardião falecido na sexta-feira, quatro dias após ter sofrido paragem cardiorrespiratória. Ironia do destino, o gigante que se notabilizou a fazer defesas mais mirabolantes, acabou o jogo a marcar o 34.º e último golo da vitória dos azuis e brancos. A

 

s mesmas cores que vestia Mário Lourenço, em 2010/11, precisamente quando a equipa de Ljubomir Obradovic recebia o primeiro dos cubanos no dragão. O mesmo Mário Lourenço que foi o último a ganhar o duelo de baliza com Quintana, assinando o golo 26 da turma de José António Silva.


«Confesso que não tinha qualquer consciência de ter marcado o último golo ao Quintana. Aliás, estes têm sido dias complicados para toda a gente do andebol, toda esta situação tem sido difícil de digerir», admitiu o ponta direita de 29 anos, sem esconder a admiração pelo malogrado guarda-redes que deixou o mundo do desporto em choque. «Impunha respeito. Foi um dos melhores do mundo, era dos que mais trabalho de estudo me dava antes dos jogos», acrescentou Lourenço, ciente de «ter-se perdido uma das pedras fundamentais» do FC Porto, recusando referir ao atleta de 32 anos como adversário, mas como colega de profissão.
 

Leia mais na edição impressa ou digital de A BOLA.

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias

Mundos

África