«As amizades foram a maior riqueza que o futebol me deu» 

Varzim 14-01-2021 08:39
Por Redação

Ponto final na carreira aos 29 anos. Caetano decidiu pendurar as chuteiras em comunhão com a família, nomeadamente os pais, a irmã e a namorada. No jogo de despedida dos relvados, diante do Penafiel, o avançado entrou na segunda parte e marcou o golo que selou a vitória do Varzim, por 2-1, correndo, de imediato, na direção de um camarote onde se encontrava a mãe, a quem entregou uma das duas camisolas que vestiu, e a namorada Beatriz.


Não foi uma decisão tomada de ânimo leve e que imenso lhe custou - e não deixa ser curioso o facto de o seu pai, Caetano, antiga glória do Tirsense e Penafiel, também ter abandonado o futebol com a mesma idade e com uma despedida em tudo semelhante, uma vez que ao serviço do Espinho apontou um golo no último jogo.


 «O meu pai precisa de uma pessoa confiança que o possa ajudar na gestão das nossas empresas e eu sinto-me preparado para ajudar. Sempre tive grande empreendedorismo e vontade de dar continuidade à linhagem da família no ramo empresarial, agora no imobiliário. Não é fácil deixar o futebol, uma das minhas grandes paixões, mas a família está acima de tudo», confessou, a A BOLA, Caetano.

 

Leia o artigo completo na edição impressa ou digital de A BOLA.

 

 

Ler Mais
Comentários (0)

Últimas Notícias