«As urnas não serão abertas, confiamos no voto eletrónico»

Benfica 28-10-2020 20:04
Por Redação

Virgílio Duque Ferreira, presidente da Mesa da Assembleia Geral do Benfica, reforçou a total confiança no sistema de voto eletrónico e esclareceu que as urnas não serão abertas para se proceder à contagem dos votos em papel.

 

«A Mesa da Assembleia Geral, nos termos estatutários, optou, à semelhança do que fez nos últimos três ou quatro processos eleitorais, pelo voto eletrónico porque considera ser um sistema perfeitamente auditável, fidedigno, sério, rigoroso e que garante a confidencialidade. Algumas candidaturas têm colocado a questão da contagem dos votos em papel. O voto em papel foi uma exigência da própria Mesa da Assembleia Geral. Se algum sócio do Benfica, não tem de pertencer a uma candidatura, entender que o voto eletrónico não é rigoroso, é sempre possível, através do voto físico, tirar a limpo essa situação», afirmou, em declarações prestadas aos jornalistas.

 

«O voto é eletrónico, confiamos nele, é nele que vamos apostar e é com base nele que vamos promulgar os resultados da lista vencedora», vincou, adiantando que «as urnas não serão abertas.»

 

«As urnas serão transportadas, fechadas e seladas, por uma empresa de guarda de valores e que as vai guardar durante seis meses, pelo menos», indicou Virgílio Duque Ferreira.

 

Confrontado com a pretensão de João Noronha Lopes, que fez saber que exige a contagem dos votos em papel, afirmou: «O Dr. Noronha Lopes pode dizer aquilo que entender, tenho muito respeito por ele e por todos os sócios, especialmente por todos os candidatos. Dizem que há quem consiga entrar no sistema. Poderão porventura consegui-lo, mas não conseguirão votar.»

 

«Qualquer sócio com direito de voto tem mecanismos legais ao seu dispor e poderá questionar esta situação», referiu o presidente da Mesa, deixando claro que dará posse ao novo presidente independentemente de um eventual anúncio de impugnação por parte de um dos candidatos.

Ler Mais
Comentários (83)

Últimas Notícias