João Almeida: «Não se pode ser super todos os dias»

Volta a Itália 22-10-2020 17:43
Por Redação

João Almeida (Deceuninck-QuickStep) disse esta quinta-feira estar «orgulhoso» do seu percurso na Volta a Itália, tendo passado 15 dias com a camisola de líder, hoje perdida para o holandês Wilco Kelderman e uma queda para o 5.º lugar da classificação.

 

O ciclista de 22 anos, a fazer a sua primeira grande volta, não resistiu à etapa-rainha com passagem pelo alto do Stelvio, a montanha mais alta desta edição. «As sensações não eram más. Sentia fadiga, o que é normal, mas os adversários estavam muito fortes. Estou contente com a minha prestação, foi sólida. Não se pode ser 'super' todos os dias, e hoje eles estavam mesmo muito fortes», referiu.


O jovem corredor agradeceu o apoio dos portugueses e sobretudo dos pais, que estavam no topo do Stelvio entre o frio e a neve. «Até chorei ao ver a família e alguns portugueses», confessou.


«Estava no limite e sabia que não podia seguir ao mesmo ritmo até ao topo, por isso levei o meu ritmo para não perder muito tempo», afirmou, acrescentou, dizendo que agora vai defender o seu quinto lugar até domingo, estando a 2m16 minutos de Kelderman (Sunweb).


O australiano Jai Hindley (Sunweb), que venceu a etapa, está a 12 segundos do novo camisola rosa, com o britânico Tao Geoghegan Hart (INEOS) em terceiro, a 15.
 

Na sexta-feira, a 19.ª de 21 etapas liga Morbegno a Asti, em 258 quilómetros de perfil plano, antes de nova tirada de alta montanha no sábado e o contrarrelógio final, no domingo, em Milão.

 

Ler Mais
Comentários (12)

Últimas Notícias