Vieira fala dos processos: «Como posso mover influências se é o Estado que me deve o dinheiro?»

Benfica 21-10-2020 16:46
Por Redação

Em entrevista à TSF, Luís Filipe Vieira voltou a ser questionado sobre os vários processos judiciais em que está envolvido, reiterando que está de consciência tranquila.

«Ser presidente do Benfica já origina muitas invejas e ter a obra feita ainda pior é. Agora, a única coisa que posso garantir é que vou para casa e durmo descansado sobre isso. Processos são processos, não é a comunicação social, seja quem for que me esteja a julgar. Estou convencido que vou sair pela porta grande em qualquer um os processos em que estou acusado. O que lhe posso dizer é que no caso da "Operação Lex", o que eu fiz o que o senhor faria de certeza. Na altura própria vai-se saber. Não movi influências nenhumas. Como posso mover influências a alguém se é o Estado que me deve o dinheiro? Aquilo que podia ter sido resolvido em 30 dias, foi resolvido passado nove anos», atirou.

O presidente do Benfica foi de imediato questionado sobre o juiz Rui Rangel: «Então se o Benfica não vai fazer nenhuma universidade como é que podia prometer um cargo? Aquilo que o Benfica vai fazer é um colégio, até ao 12º ano. Rui Rangel não tinha nenhum papel prometido nesse colégio, nem me passava pela cabeça. Temos um parceiro e, inclusive, já estão definidas as percentagens, estamos à espera da aprovação do projeto, penso que vai ser para breve, quando for aprovado vai-se tornar no colégio do Benfica, numa primeira fase para 650 alunos.»

Sobre Paulo Gonçalves: «O Paulo Gonçalves não tem mais negócios com o Benfica. Continuamos a ser amigos. Vai ser julgado, mas, daquilo que eu sei, o Paulo não vai sofrer nada de especial.»

E também sobre a polémica em torno da inclusão de António Costa e Fernando Medina na Comissão de Honra pela sua recandidatura à presidência do clube encarnado: «António Costa é sócio do Benfica, apoiou-me em 2012, em 2016 e agora. Não sei porque agora, o mesmo homem, que continua como sócio do Benfica, a pagar as cotas, e há outros clubes que têm lá tantos políticos e ninguém diz nada. Porque é que foi só o António Costa? Quem me foi apoiar foi o cidadão António Costa e não o primeiro-ministro. Já havia tanta pressão sobre o Primeiro-Ministro que saiu ele e resolvi retirar tudo o que era político. Saiu tudo e resolvemos o problema. Mas não percebo qual é o problema de ter lá o António Costa. Isto tudo tem a ver sempre com a mesma conversa, que o Benfica tem um "lobby". O Benfica não tem "lobby" nenhum, o único "lobby" que o Benfica tem é trabalho e credibilidade. Não existe mais nada. Há muita gente que diz "o Benfica tem poder", mas qual poder? Poder de quê? Chamam-me "bicho do mato" porque não convivo com ninguém. Faz-me impressão quando dizem que tenho um poder terrível. Mas qual poder? Zero. O único poder que o Benfica tem é ter os sócios que tem, grandes profissionais e grandes dirigentes. Agora, se o Benfica ganhar... é a arbitragem. Já ninguém se lembra dos primeiros jogos do campeonato ou dos lances em que fomos prejudicados. Quando o FC Porto ganhar, por exemplo, dizem que foi com justiça, já quando é o Benfica a ganhar há sempre suspeição.»

Ler Mais
Comentários (134)

Últimas Notícias