Ronnie supera Ding e avança para ‘quartos’ do Mundial com Williams

Snooker 10-08-2020 01:37
Por Redação

Os três primeiros do ‘ranking’ mundial (o inglês Judd Trump, o australiano Neil Robertson e o também inglês Mark Selby, respetivamente) e o quinto da hierarquia, Ronnie O’Sullivan - este ao vencer o chinês Ding Junhui por 13-10 no duelo mais ansiado da 2.ª ronda - confirmaram o seu favoritismo e apuraram-se para os quartos de final do Campeonato do Mundo de Snooker, prova maior da época 2019/2020 do World Snooker Tour, a decorrer desde 31 de julho e até domingo, dia 16 do corrente mês, em Sheffield (Inglaterra), ao vencerem, com maior ou menor dose de sofrimento, os seus jogos dos oitavos de final, disputados em três sessões.

 

Uma ronda em que a sensacional eliminação (11-13) do escocês John Higgins, tetracampeão mundial (1998, 2007, 2009 e 2011) às mãos do sensacional norueguês Kurt Maflin, a surpresa da prova, foi a exceção à regra dos favoritos imporem a sua lei. Para Higgins, no regresso à Escócia, a satisfação e proeza de ter realizado uma tacada máxima, de 147 pontos, ante Maflin, a primeira em oito anos no Crucible (e no Mundial) desde que o compatriota Stephen Hendry realizara a anterior (12 de abril de 2012), que lhe vale, para já, prémio de £55 mil libras (€60.685) pelo estupendo feito.

 

No último jogo a concluir-se, já na madrugada desta segunda-feira, o escocês Anthony McGill, que no final da primeira sessão perdia por 2-6 ante outra figura da prova, o galês Jamie Clarke – com quem implicou por, alegadamente, se posicionar sempre no seu raio de visão a cada tacada na segunda sessão, que terminou já encostado por 7-8 ao rival – operou sensacional reviravolta e venceu na ‘negra’ (13-12), para garantir lugar ante Kurt Maflin num jogo dos quartos de final que assegura que pelo menos um jogador das qualificações estará nas meias-finais.

 

Se o campeão, Judd Trump, ainda sofreu bastante para se desembaraçar do chinês Yan Bingtao, já o seu próximo rival nos ‘quartos’, o compatriota Kyren Wilson, cedo disparou no marcador ante outro inglês Martin Gould, que apesar do 11-5 para Kyren após a sessão inaugural, ainda compôs um resultado aceitável (8-13) ante um Wilson que só se estreou no Mundial sábado… e nestes oitavos e final (Anthony Hamilton, seu adversário na ronda inaugural, desistiu).

 

Num Mundial em que a Inglaterra coloca quatro profissionais (Trump, O’Sullivan, Selby e Wilson) a ocupar metado dos últimos oito sobreviventes em prova – mais um australiano (Neil Robertson), um norueguês (Kurt Maflin), um galês  (Mark Williams) e um escocês (Anthony McGill) – tensão e muito sofrer também para o tricampeão mundial Mark Selby: o triunfador do Crucible em 2014, 2016 e 2017 só no último parcial (13-12) suplantou outra das boas confirmações da prova, o tailandês Noppon Saengkham.

 

Selby irá defrontar, num duelo de campeões do Mundo, o australiano Neil Robertson (vencedor no Crucible em 2010), que na última sessão deixou o inglês Barry Hawkins para trás, num dos outros jogos que poderiam constituir a final antecipada do Campeonato do Mundo.

 

Dois jogos prenderam as atenções nestes oitavos de final concluídos na sessão noturna de domingo e já madrugada desta segunda-feira: o tricampeão mundial (2000, 2003 e 2018) Mark Williams levou a melhor sobre o inglês Stuart Bingham (campeão mundial em 2015), enquanto o inglês Ronnie O’Sullivan, pentacampeão mundial (2001, 2004, 2008, 2012 e 2013) suplantou, num jogo discutido palmo a palmo até à terceira e última sessão, o seu grande amigo e triunfador do UK Championship, o chinês Ding Junhui, por 13-10.

 

Será Williams, que, como Higgins e o ‘Rocket’, é profissional desde 1992 – há… 28 (!) anos – o rival de Ronald Antonio O’Sullivan nos ‘quartos’, e no caminho do inglês para tentar igualar os seis títulos mundiais do galês Ray Reardon e do inglês Steve Davis… e deixar para trás o já retirado escocês Stephen Hendry quando a provas de ‘ranking’ conquistadas: ambos somam 36, com a diferença de Hendry ser… heptacampeão mundial.

 

Se no Selby-Robertson há quatro títulos mundiais à mesa, no Williams-O’Sullivan teremos em compita dois profissionais que juntos somam oito cetros planetários: resume a categoria ímpar destes ases.

 

O Mundial, prova maior da época do World Snooker Tour, pontua para o ‘ranking’ e decorre até 16 do corrente mês no Crucible Theatre, em Sheffield (Inglaterra). A prova distribui £2.235 milhões (€2,474 milhões) em prémios, das quais £500 mil (€553.508) ao campeão.

 

Os jogos dos ‘quartos’, esta segunda-feira e terça-feira, dias 10 e 11 do corrente mês, são disputados à melhor de possíveis 25 parciais, em três sessões - oito ‘frames’ nas duas primeiras, possíveis nove na última -. até um jogador vencer 13 partidas: de 13-0 a possíveis 13-12.

 

As meias-finais da prova, transmitida para Portugal (EuroSport) já serão jogadas à melhor de 33 ‘frames’, em quatro sessões, até um conquistar 17 (de 17-0 a possíveis 17-16), de 12 a 14 do corrente mês e a final será jogada, também em quatro sessões, nos próximos sábado e domingo, dias 15 e 16 do corrente mês,, à melhor de 35 ‘frames’: é campeão do Mundo quem ganhar primeiro 18 (de 18-0 a possíveis 18-17).

 

O inglês Judd Trump, número um mundial, defende o título conquistado em 2019 (18-9 ao escocês John Higgins na final) e pode ser o primeiro a, desde 1977, quebrar a ‘maldição do Crucible’: nunca um campeão bisou logo na edição seguinte após o ter conseguido pela primeira vez.

 

Oitavos de final (apurados a negro):

Judd Trump-Yan Bingtao, 13-11

Martin Gould-Kyren Wilson, 9-13

John Higgins-Kurt Maflin, 11-13

Anthony McGill-Jamie Clarke, 13-12

Mark Williams-Stuart Bingham, 13-11

Ding Junhui-Ronnie O’Sullivan, 10-13

Mark Selby-Noppon Saengkham, 13-12

Barry Hawkins-Neil Robertson, 9-13

 

Quartos de final (hora local, mesma hora em Portugal continental):

Judd Trump-Kyren Wilson (10 e 19 horas, 3.ª feira 14.30 horas)

Kurt Maflin-Anthony McGill (14.30 horas, 3.ª feira 10 e 19 horas)

Mark Williams-Ronnie O’Sullivan (14.30 horas, 3.ª feira 14.30 e 19 horas)

Mark Selby-Neil Robertson (10 e 19 horas, 3.ª feira 10 horas)

 

Meias-finais (4.ª, 5.ª e 6.ª feira):

Judd Trump/Kyren Wilson-Kurt Maflin/Anthony McGill

Mark Williams/Ronnie O’Sullivan-Mark Selby/Neil Robertson

Ler Mais
Comentários (3)

Últimas Notícias

Mundos