Treinadores aguardam resposta às reclamações apresentadas

FPF 14-07-2020 07:53
Por Irene Palma

O Curso 1 UEFA Pro começou esta segunda-feira, via online, mas nem todos os treinadores colocados marcaram presença nas aulas ministradas entre as 9h30 e as 13h30. A BOLA sabe que Artur Jorge, treinador do SC Braga, não conseguiu marcar presença na sessão uma vez que pelas 10 horas deu início ao treino da equipa principal bracarense. Aliás, também Filipe Celikkaya, treinador da equipa B do Sporting, não compareceu nas aulas do primeiro dia.

 

Estes dois treinadores são alguns dos que vão ter dificuldades em cumprir o calendário da formação geral pois os treinos das respetivas equipas realizam-se normalmente de manhã, colidindo com os horários das aulas. Também Filipe Anunciação e Franclim Carvalho, adjuntos de Petit no Belenenses SAD, terão dificuldades em cumprir as sessões online. Esta segunda-feira a equipa azul e branca esteve de folga e ambos marcaram presença nas aulas online, mas esta terça-feira os treinos do Belenenses SAD regressam pela manhã.

 

A Federação Portuguesa de Futebol já foi informada por vários treinadores sobre estas dificuldades que estão a ter para marcar presença nas sessões online da formação geral e mostrou «toda a disponibilidade e vontade em resolver os problemas apresentados pelos treinadores».

 

Para além desta questão, A BOLA sabe que o caso de Artur Jorge levanta outra questão para o organismo federativo. O primeiro exame presencial dos formandos do Curso 1 UEFA Pro vai ter lugar na próxima segunda-feira, dia 20, na Cidade do Futebol, com início marcado para as 10h30. Nesse dia o SC Braga joga em Tondela, às 19h15, a penúltima jornada do campeonato. Segundo os regulamentos do curso existe uma «2ª fase de exame permitida, mas apenas para quem reprovar no primeiro exame».

 

A BOLA contatou a FPF e a Associação Nacional de Treinadores sobre estas situações que são do conhecimento das duas entidades. «Nós sabemos que os horários não vão agradar a todos e os treinadores quando se inscrevem conhecem os critérios do curso. Sabemos que a Federação está recetiva a criar condições para agradar à maior parte dos treinadores, mas não vai agradar a todos», afirmou a A BOLA José Pereira, líder da Associação de Treinadores.

 

Para além das questões levantadas pelos treinadores que iniciaram esta segunda-feira o curso, A BOLA sabe que 18 dos 20 treinadores admitidos no Curso 2, com início marcado para o dia 10 de agosto, assinaram um email conjunto a sugerir alterações ao calendário de aulas definido. A mensagem conjunta dos técnicos está a ser analisada pela FPF e José Pereira admite que a decisão está nas mãos do responsável federativo Pedro Dias: «Não sou eu que tem de responder a isso. Os regulamentos estão feitos e os treinadores têm conhecimento deles, mas acredito que vai ser encontrada uma solução para as reclamações apresentadas. Aliás, eu próprio passei o dia a responder as reclamações de vários treinadores.»

 

Técnico do Nacional apresenta reclamação por não ter sido colocado

 

Têm sido várias as reclamações apresentadas na Associação Nacional de Treinadores, a maioria sobre os critérios de admissão. Houve 199 candidatos para as 40 vagas abertas para o UEFA Pro e 466 inscrições para o UEFA A. Luís Freire, treinador do Nacional, foi um dos candidatos ao curso de terceiro nível que não foi admitido e apresentou reclamação junto da associação.

 

«Não gosto de falar de casos individuais, mas sim confirmo que o Luís Freire reclamou e eu próprio expliquei-lhe que os critérios foram cumpridos. Não há nenhum treinador à frente do Luís Freire que tenha entrado com critérios inferiores a ele. Os critérios foram respeitados pela Federação e não há razões para reclamar», explicou A BOLA José Pereira, antes de concluir: «Há sempre reclamações e os treinadores têm de perceber qual a prioridade deles. Nós temos conseguido que haja cursos todos os anos para que eles possam ter qualificações mas não conseguimos fazer tudo o que querem.»

Ler Mais

A PAIXÃO CONTINUA EM CASA


O momento particular que vivemos determina a permanência das pessoas em casa além do fecho de todas as lojas comerciais alterando dramaticamente os hábitos das pessoas no que toca à leitura e ao acesso à informação.

Neste momento de grandes dificuldades para todos, estamos a trabalhar a 100% para continuar a fazer-lhe companhia todos os dias com o seu jornal A Bola , o site ABOLA.pt e no canal A Bola Tv.

Mas este trabalho só vale a pena se chegar aos seus clientes de sempre sem os quais não faz sentido nem é economicamente sustentável.

Para tanto precisamos que esteja connosco, que nos faça companhia, assinando a versão digital de A Bola e aproveitando a nossa campanha de assinaturas.

ASSINE JÁ

Comentários (5)

Últimas Notícias

Mundos