«O Benfica está mal? O Sporting também estava e levámos quatro…»

Santa Clara 22-06-2020 11:15
Por João Pimpim

João Henriques conduz a equipa sensação da segunda volta e é com confiança que se prepara para defrontar um Benfica em crise. Ambicioso, antecipa o duelo da Luz, recorda que foi num mau momento do Sporting que sofreu a derrota que mais lhe custa até hoje, fala do que mudou com a nova realidade e do sonho de, um dia, ouvir o hino da Champions.

 

Decorridas três jornadas após a retoma do campeonato, já é possível fazer um balanço desta nova realidade que o futebol está a viver?
Tem sido um desafio grande para todos, jogadores, clubes e obviamente as equipas técnicas, que tiveram de adaptar-se a uma vida diferente, com todos confinados, com treinos online de modo a minimizar os estragos. E, depois, também a retoma foi diferente, com treinos individualizados até chegar à competição sem o período preparatório adequado. Quem se adaptou melhor, está a ter melhores resultados.

É o caso do Santa Clara?
Puxando a brasa à nossa sardinha, sim, fizemos bem o trabalho de casa. Mantivemos as dinâmicas mesmo estando afastados, de modo a que a equipa se apresentasse, como se apresentou, muito bem frente ao SC Braga [3-2]. E para que continue hoje a jogar bem, a criar oportunidades e ser superiores a todos os adversários.

No fundo, a pandemia acabou por colocar todas as equipas em plano de igualdade… É por aí que estamos a assistir a maus resultados das equipas do topo da tabela?
É um caso de estudo para o futuro. Vão existir muitos estudos sobre este período. O grande revés e que está a trazer maus resultados para os primeiros classificados é a questão da ausência de público. Os adeptos são mesmo o 12.º jogador e as equipas mais habituadas a ter dezenas de milhar de pessoas a apoiá-las ressentem-se mais. Até na influência das decisões de arbitragem isso tem influência. Estamos a falar de seres humanos e ninguém duvide de que é diferente arbitrar com público ou sem público. Tudo isto põe em pé de igualdade com os grandes as equipas com menos adeptos. Quantas vezes, mesmo em casa, contra um Benfica, Sporting, FC Porto ou V. Guimarães, parece que estamos a jogar fora? Agora estamos em pé de igualdade.

Uma das equipas que tem sentido dificuldades desde a retoma é o Benfica, precisamente o próximo adversário do Santa Clara…
O Benfica está mal? Pois, esta época, o Sporting também estava mal quando foi jogar aos Açores e levámos quatro. O nosso pior jogo aconteceu num momento menos bom do Sporting e aconteceu uma goleada por 4-0… A nossa equipa estava bem, queria muito ganhar aquele jogo, os jogadores sabiam que o Sporting não estava bem, mas não aconteceu o que queríamos. O futebol é imprevisível e dá-nos lições todos os dias… E temos de aprender com elas. Se estivermos preparados para tudo, há menos riscos de nos acontecer algo. Podemos errar uma vez, duas… Três já é burrice. Vamos estar atentos.

Que expectativas tem então para o duelo na Luz?
O Santa Clara vai ao estádio da Luz com a mesma ambição com que entrou para os três jogos anteriores: vamos disputar os três pontos, seremos competitivos e organizados e tentaremos aplicar as nossas estratégias para ultrapassar um adversário que independentemente dos últimos resultados é sempre um grande, é sempre uma equipa que de um momento para o outro volta à sua normalidade. Sobretudo em termos de resultados. Às vezes as equipas não estão bem e vão ganhando. E isso disfarça os momentos menos bons. Agora, no Benfica, estão a acontecer as duas coisas ao mesmo tempo. A qualquer momento pode mudar e melhorar.

Há, porém, muitas opiniões a dar conta de um elevado decréscimo de qualidade após a retoma.
Houve um decréscimo de qualidade nas equipas mais mediáticas. Porque há equipas que mantiveram o nível anterior. É o nosso caso. A nossa segunda volta tem sido muito boa, temos só duas derrotas em 10 jogos. Se temos feito isto na primeira fase da época, estaríamos a lutar pela Europa. Voltando à questão, demos continuidade ao que vínhamos a fazer.

Estar em estágio na Cidade do Futebol ajudou?
Tem vantagens e desvantagens. As condições são fantásticas. É verdade que estamos demasiado isolados, mas não esqueçam que somos uma equipa dos Açores, a insularidade habitua-nos a estarmos mais perto uns dos outros, isolados do continente. É um espírito diferente das outras equipas e trouxemo-lo para este estágio. Como devem imaginar, estar dois meses fechados num hotel e em treinos é impensável em termos psicológicos. Mas aqui todos assumimos que seria assim. Não foi imposto pela Direção. Foi decisão conjunta e bem aceite.

 

Leia a entrevista completa na edição impressa do jornal A BOLA desta segunda-feira

Ler Mais

A PAIXÃO CONTINUA EM CASA


O momento particular que vivemos determina a permanência das pessoas em casa além do fecho de todas as lojas comerciais alterando dramaticamente os hábitos das pessoas no que toca à leitura e ao acesso à informação.

Neste momento de grandes dificuldades para todos, estamos a trabalhar a 100% para continuar a fazer-lhe companhia todos os dias com o seu jornal A Bola , o site ABOLA.pt e no canal A Bola Tv.

Mas este trabalho só vale a pena se chegar aos seus clientes de sempre sem os quais não faz sentido nem é economicamente sustentável.

Para tanto precisamos que esteja connosco, que nos faça companhia, assinando a versão digital de A Bola e aproveitando a nossa campanha de assinaturas.

ASSINE JÁ

Comentários (5)

Últimas Notícias

Mundos