Análise sociológica de práticas de combate dual em Portugal: estudo de caso dos praticantes avançados do judo e do aikido (artigo de Vítor Rosa, 111)

Espaço Universidade 22-06-2020 19:08
Por Vítor Rosa

Recentemente, terminei com sucesso o estágio científico avançado de Pós-Doutoramento em Sociologia no Centro de Investigação e Estudos de Sociologia (CIES-ISCTE) do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa. O trabalho de investigação, que teve início em 2017, centrou-se na “Análise sociológica de práticas de combate dual em Portugal: estudo de caso dos praticantes avançados do judo e do aikido”. A problemática subjacente à linha de investigação, na continuidade da minha tese de doutoramento, prende-se com o estudo das afinidades dos praticantes a este tipo de desportos oriundos do Oriente e das identidades e diferenciações encontradas nas disposições e práticas sociais segundo os perfis socioculturais em cada uma das modalidades.

 

No aprofundamento do objeto de estudo, definimos três hipóteses e construímos um modelo de análise para a sua operacionalização. Na primeira hipótese, partimos do pressuposto que se encontraria uma homogeneidade entre os perfis sociais dos praticantes dos dois desportos de combate em análise (aikido e judo), embora se encontrassem diferenças de hábitos e valores. Tendo por base as variáveis e indicadores mobilizados para medir as práticas, atitudes e valores identificadores de um estilo de vida identitário, tanto quando pudéssemos constatar, os dados apontam para a confirmação da hipótese, grosso modo. Na segunda hipótese, considerámos que existe uma diferenciação ao nível das disposições sociais, na visibilidade, oportunidades de carreira, segundo o perfil social e os desportos em estudo. Como terceira e última hipótese, considerámos que há uma diferenciação ao nível dos envolvimentos, nomeadamente do tipo de prática/conceção, nas condições de acesso, na influência familiar, na intensidade da prática e na participação associativa segundo o perfil social e os desportos em análise.

 

Recorreu-se à metodologia extensiva e à aplicação de diversas técnicas de investigação social: observação direta, observação-participante, entrevista semi-diretiva e inquérito por questionário. O universo foi de 60 praticantes avançados (30 de judo e 30 de aikido) com a função de treinadores, a nível nacional, tendo sido realizadas de forma a completar a informação 6 entrevistas junto de interlocutores privilegiados. Da análise das características dos treinadores de aikido e judo inquiridos, verificou-se que são maioritariamente de meia idade (41-45 anos), casados, com elevadas habilitações literárias (nível licenciatura), residentes nos centros urbanos, com uma regularidade de treino semanal e possuidores de certificação de treinadores.

 

Esta investigação permite concluir que existe uma homogeneidade entre os perfis sociais dos praticantes dos dois desportos de combate “dual” (aikido e judo), mas encontram-se diferenças de hábitos e valores, segundo o sexo, a idade e a escolaridade. A análise da informação aponta para uma diferenciação ao nível das disposições sociais, na visibilidade e nas oportunidades de carreira, segundo o perfil social e os desportos em estudo. Existe uma diferenciação ao nível dos envolvimentos, nomeadamente do tipo de prática e/ou conceção, nas condições de acesso, na influência familiar, na intensidade da prática e na participação associativa, segundo o perfil social.

 

A análise de resultados permitiu comprovar as três hipóteses de trabalho, mas para a segunda cremos que se torna necessário proceder a uma análise mais aprofundada. Esta investigação, comparativa, apresenta algumas limitações relativamente à representatividade da amostra, dado que não podemos extrapolar os dados para o universo de praticantes. No entanto, consideramos que abre uma nova janela por onde outros autores podem vislumbrar novos caminhos de investigação, em particular sobre a análise dos apoios financeiros do Estado no âmbito destas práticas desportivas e a perspetiva dos praticantes.

 

O Relatório pode ser lido na íntegra aqui: https://zenodo.org/record/3900046#.XvDIuUBFzIU

 

Vítor Rosa

Sociólogo, Doutor em Educação Física e Desporto, Ramo Didática. Investigador Integrado do Centro de Estudos Interdisciplinares em Educação e Desenvolvimento (CeiED), da Universidade Lusófona de Lisboa

Ler Mais

A PAIXÃO CONTINUA EM CASA


O momento particular que vivemos determina a permanência das pessoas em casa além do fecho de todas as lojas comerciais alterando dramaticamente os hábitos das pessoas no que toca à leitura e ao acesso à informação.

Neste momento de grandes dificuldades para todos, estamos a trabalhar a 100% para continuar a fazer-lhe companhia todos os dias com o seu jornal A Bola , o site ABOLA.pt e no canal A Bola Tv.

Mas este trabalho só vale a pena se chegar aos seus clientes de sempre sem os quais não faz sentido nem é economicamente sustentável.

Para tanto precisamos que esteja connosco, que nos faça companhia, assinando a versão digital de A Bola e aproveitando a nossa campanha de assinaturas.

ASSINE JÁ

Comentários (0)

Últimas Notícias