Yan vence Perry (6-5) e chega às ‘meias’ do Players Championship

Snooker 28-02-2020 00:15
Por António Barroso

O chinês Yan Bingtao, de 20 anos, 18.º do ranking, apurou-se para as meias-finais do Players Championship, prova da época 2019/2020 do World Snooker Tour a decorrer até domingo, 1 de março, ao vencer o inglês Joe Perry, de 45 anos, 16.º da hierarquia, por 6-5, no terceiro jogo dos quartos de final do torneio a concluir-se, após uma épica maratona decidida apenas na última bola do derradeiro parcial no Waterfront, em Southport (Inglaterra), que se iniciou na noite de quinta-feira e terminou já na madrugada desta sexta-feira.

 

O asiático entrou melhor (1-0) e brilhou antes do intervalo, ao selar o 2-2 com centenária (entrada de 100 pontos), com o inglês a mostrar a sua classe e experiência no meio, quer a igualar 1-1 (entrada de 69 pontos) e a passar para a frente logo após a 2-1, com break ganhador de 78 pontos.

 

O melhor do asiático estava para vir na segunda metade: três parciais sem resposta, ante um inglês que parecia impotente para travar a marcha de Yan rumo aos quatro melhores em Southport: foi com um break de 90 pontos que passou para a frente a 3-2 e foi por ali fora até à guerra tática que, a 5-2, quase lhe dava a vitória logo ao oitavo parcial, para terceira (!) meia-final seguida da presente temporada (em que já venceu o Riga Masters) em escassas três semanas, após o Open de Gales e o Shoot Out. Mas perdeu uma bela oportunidade de despachar o expediente logo ali.

 

Teve o chinês de esperar e sofrer bem mais - quase cinco horas de batalha à mesa (!) -, pois Perry, com mérito e tenacidade, resgatou a oitava partida, sua primeira na segunda metade do jogo, para o 3-5, e logo depois break de 72 pontos permtiu-lhe encostar a 4-5 e relançar a esperança e a emoção. Era o momento do inglês dar tudo, como se confirmou com o 5-5 na décima partida, a forçar a negra.

 

Uma 11.ª partida na qual a luta tática imperou, com a tensão ao rubro  e ambos a desperdiçarem chances de carimbar o passaporte para a meia-final. Perry passou para a frente a 53-50 ao embolsar a rosa, penúltima bola por embolsar sobre o pano verde, mas perdeu controlo da branca para o derradeiro tiro. E foi Yan que, com a preta, venceu duelo de cortar a respiração, mesmo sobre a reta da meta (57-53). Luta titânica e memorável, tremenda guerra de nervos, enorme jornada de propaganda do snooker.

 

Yan jogará sábado, dia 28 do corrente mês (19 horas) a segunda meia-final no Waterfront de Southport, com o vencedor do último jogo dos quartos, que opõe esta sexta-feira (13 horas) o norte-irlandês Mark Allen, de 34 anos, sexto da hierarquia, ao inglês Shaun Murphy, de 37 anos, nono do ranking (e campeão mundial em 2005).

 

Judd Trump, de 30 anos, número um do ranking e campeão mundial em título (2019), e Stephen Maguire, 38 anos, 15.º da tabela, vão defrontar-se ainda na noite desta sexta-feira, na primeira meia-final (19 horas), após o escocês ter vencido Mark Selby durante a tarde de quinta-feira (6-5) e de o inglês ter, na quarta-feira, suplantado John Higgins (6-3).

 

Recorde-se que o Players Championship, reservado ao top 16 do ranking a um ano e segunda de três provas das Coral Series, distribui £385 mil (€458.230) em prémios, £125 mil (€148.776) ao campeão e joga-se à melhor de 11 frames até às meias, inclusive: vence o primeiro a ganhar seis (de 6-0 a possíveis 6-5).

 

A final do torneio, transmitido para Portugal (EuroSport) é domingo, 1 de março, à melhor de 19: é campeão quem vencer dez (10-0 a possíveis 10-9). O inglês Ronnie O’Sullivan venceu o torneio em 2019 (10-4 a Neil Robertson na final).

 

Quartos de final (apurados a negro):

Judd Trump-John Higgins, 6-3

Stephen Maguire-Mark Selby, 6-5

Joe Perry-Yan Bingtao, 5-6

Mark Allen-Shaun Murphy (6.ª feira, 13 horas)

 

Meias-finais (hora local e de Portugal continental):

Judd Trump-Stephen Maguire (6.ª feira, 19 horas)

Yan Bingtao-Mark Allen/Shaun Murphy (sábado, 19 horas)

A PAIXÃO CONTINUA EM CASA


O momento particular que vivemos determina a permanência das pessoas em casa além do fecho de todas as lojas comerciais alterando dramaticamente os hábitos das pessoas no que toca à leitura e ao acesso à informação.

Neste momento de grandes dificuldades para todos, estamos a trabalhar a 100% para continuar a fazer-lhe companhia todos os dias com o seu jornal A Bola , o site ABOLA.pt e no canal A Bola Tv.

Mas este trabalho só vale a pena se chegar aos seus clientes de sempre sem os quais não faz sentido nem é economicamente sustentável.

Para tanto precisamos que esteja connosco, que nos faça companhia, assinando a versão digital de A Bola e aproveitando a nossa campanha de assinaturas.

ASSINE JÁ

Ler Mais
Comentários (1)

Últimas Notícias